bz_colaborador André Fernandes – Ucrânia

A Ucrânia foi um daqueles países de que nada sabia e me surpreendeu ao conhecer quando “fui a campo” explorar: belas cidades, as pessoas que conheci, encontros com amigos locais, a arquitetura, comida, bebidas e até praia. Não vou entrar na parte dos atuais conflitos, por não estar lá agora e não poder falar com propriedade, e nem pretendo desmerecer os fatos do conflito. Contudo, pretendo com este post mostrar que a Ucrânia não é só aquilo que vem sendo exibido nos noticiários e este é o primeiro post. As notícias sempre tendem a exagerar, certo? Em boa parte do país, sobretudo na parte oeste, a vida continua. Os conflitos tem se concentrado no leste do país.

É o maior país dentro da Europa, divide fronteiras com Moldávia, Romênia, Hungria, Eslováquia, Polônia, Bielorússia e Rússia.Foi parte da antiga União Soviética de 1922 a 1991 e a capital é Kiev (Kyiv), conhecida como a capital mais verde da Europa. De fato, a cidade tem uma expressiva paisagem verde até mesmo na parte central.  E a moeda do país é a hryvnia (grívinia).

O verde no meio de centro de Kiev

O verde no meio de centro de Kiev

A Ucrânia não é uma sombra da Rússia, como tem dado a aparecer desde os tempos na União Soviética e nos acontecimentos políticos recentes, ainda que sejam evidentes as marcas da cultura russa no país. Eu mesmo, comecei a ter mais familiaridade com a cultura russa na Ucrânia, como até mencionei no post O jeito russo de ser.

Ucraniano e russo são línguas diferentes, e ucranianos costumam falar ambas. Pelo menos nas principais cidades, muitos dos mais jovens falam inglês, mas ainda existe considerável barreira de idioma, sobretudo entre os de famílias russas. O fato é que há muitas famílias russas vivendo no país, sobretudo na parte leste. Crescem falando russo, estudam em escolas russas, leem e assistem TV em russo; vivem como se estivessem na Rússia. Já em Lviv, é possível ver pessoas falando ucraniano, russo, inglês e polonês (idioma nada fácil para estrangeiro aprender).

Os ucranianos, na impressão que tive, são aparentemente frios a princípio, se abrem aos poucos e se mostram simpáticos, alegres e festeiros – é o jeito mais comum no Leste Europeu. E as mulheres ucranianas, lindíssimas! Tem tanta mulher no país que as que não quiserem emigrar tem de disputar à tapa qualquer homem pela frente – como na Rússia. Vi que na Ásia e no Oriente Médio costumam associar às mulheres ucranianas – e russas- os mesmos rótulos aplicados a brasileiras na Europa. Pelo que eu pude ver, ucranianas e russas prezam pela autonomia, não gostam de alguém possessivo enchendo o saco dizendo o que fazer/vestir/etc, e se estão a fim de alguém, dizem na cara sem dramas e sem joguinhos (assim que eu gosto). Fica a dica!

 Matrushka, Ucrânia

Matrushka, o micro-ônibus que é utilizado como transporte público na Ucrânia

O custo de vida no país é barato, há um bom transporte público, além de uma boa malha rodoviária (pelo menos nas principais rodovias é OK) e ferroviária ao longo do país; o que torna a Ucrânia uma interessante opção para viajar barato. Mesmo não sendo um país altamente desenvolvido, a Ucrânia demonstra um bom nível de organização com respeito à infraestrutura e à vida cultural. As mashrutkas, como são chamados os micro-ônibus, são as opções mais baratas de transporte; costumam ser lotadas e desorganizadas.  Eu estive no verão, época em que as temperaturas ficam entre 20ºC e 30ºC, em média. No inverno, as temperaturas já chegam a -20ºC e a -30ºC, para ninguém chegar desprevenido.

Viajar de trem na Ucrânia é super recomendável, sobretudo em longas viagens, pela possibilidade de dormir nos compartimentos com direito a travesseiro e cobertor. Apesar de vagarosos, os trens são bem equipados, baratos e muito utilizados pelos ucranianos, ou seja, uma grande oportunidade de mergulhar na cultura local.

Cabine do trem que peguei de Kiev para Lviv, umas 10 h de viagem.

Cabine do trem que peguei de Kiev para Lviv, umas 10 h de viagem.

Atenção e recomendações

Brasileiros não precisam de visto em caso de turismo, é permitido até 90 dias sem visto. Caso entrar no país por estrada ou ferrovia, tomar cuidado com os policiais, que não costumam perder uma única chance de receber propinas. Tal fato reflete o maior problema do país, a corrupção, tal qual no Brasil. Foi o único ponto negativo que percebi na Ucrânia.

Ao circular dentro do país, deixar o passaporte original bem guardado e carregar cópias do passaporte, que são legalmente válidas caso policiais perguntem por documento. Se os policiais insistirem, insista que você vai ligar para a embaixada que em alguns minutos eles se cansam e vão pedir propinas a outros. Carregue consigo o número do telefone da embaixada e se tiver amigos locais, anote o número deles também.  No meu caso, mostrar o número de amigos ucranianos e ameaçar ligar para a embaixada fez com que os policiais se intimidassem de me arrancar dinheiro ao atravessar a divisa com a Romênia.

– Não dar sinais de que é estrangeiro aos policiais, como falar uma língua estrangeira na frente deles. Eles sempre param com aquele papo de que “algo está errado com seu documento”, “precisa ir à delegacia”, “você tem certeza?” com intenção de botá-lo na parede e conseguir propinas.

– Ao pegar táxi, combinar o preço da corrida antecipadamente com o taxista. Em caso de barreira de idioma, negociar escrevendo os números no papel.

– Ter cuidado com os pertences: no trem, nos ônibus, num restaurante, em locais públicos. Vacilou, é roubado!

– Ficar ligado com pessoas oferecendo algo, é comum nas maiores cidades e sinalizam golpes e furtos. Estrangeiros são vistos como alvos fáceis.

– Na parte leste, mais russificada, é mais comum o pessoal ter aquele jeito durão, rude, grosso. No oeste, o pessoal já é mais calmo e receptivo.

– Outro ponto a ter atenção é o fato de ser ilegal na Ucrânia consumir bebidas alcóolicas em locais públicos. Você pode ver muitos locais bebendo nas ruas, mas se a polícia pega, tem poder de prisão e vão querer lhe arrancar um bom dinheiro. Fica mais uma dica!

Comida

De tudo que experimentei na Ucrânia, ficou na minha cabela o borsch, principal prato do país feito de beterraba junto a outros ingredientes como carne e verduras. Também experimentar o Varenyky, a Smetana (misturada com o borsch) e o Uzval.

Algumas das comidas para experimentar na Ucrânia. Descrição feita por uma amiga ucraniana.

Algumas das comidas para experimentar na Ucrânia. Descrição feita por uma amiga ucraniana.

O tal do Shevchenko

No Brasil, muitos devem imaginar o Andrey Shevchenko, ex-jogador de futebol com passagens pelo Milan, Chelsea e seleção ucraniana. Mas, em Kiev, é possível ver pela cidade referências a Taras Shevchenko (no cirílico, Тара́с Шевче́нко), que foi escritor, artista, poeta, figura pública e política. Viveu entre 1814 e 1861, é apontado como o pai da literatura ucraniana e da língua ucraniana moderna, e suas criações são um símbolo da resistência ao Império Russo, ainda nos tempos do czarismo, o que lhe rendeu 10 anos de exílio (entre 1847 e 1857) em São Petersburgo. É um dos ícones da identidade ucraniana.

Retrato de Taras Shevchenko, Kiev, Ucrânia

Retrato de Taras Shevchenko em frente à universidade que leva o seu nome em Kiev, Ucrânia

Pontos para visitar em Kiev

Com 2,8 milhões de habitantes, é a maior cidade na Ucrânia, além de capital. Opções de lazer e vida cultural é o que não falta em Kiev. Abaixo, segue apenas uma lista básica. Daria para escrever vários posts extensos sobre eventos e locais para visitar. A cidade é bem tranquila de se locomover de metrô.

Catedral Santo André: igreja ortodoxa, uma arquitetura barroca no estilo russo. Construída entre 1747 e 1754.

Igreja Santo André, Kiev, Ucrânia

Igreja Santo André, Kiev, Ucrânia

Maidan Nezalezhnosti: Praça da Indpendência ou simplesmente Maidan, é a praça central de Kiev. Tem um belo visual com os edifícios, jardins e monumentos em volta e é ponto de encontro de locais no centro da cidade.

Maidan Nezalezhnosti, Kiev, Ucrânia

Maidan Nezalezhnosti, Kiev, Ucrânia

A loja da Roshen: se você é fã de chocolate e doces como eu, indispensável visitar a loja da Roshen em Kiev. Chocolates, doces e balas – e  melhor, a preços bem baratos!!!

Para ver como eu fiquei entretido dentro da loja da Roshen! Kiev, Ucrânia.

Para ver como eu fiquei entretido dentro da loja da Roshen! Kiev, Ucrânia.

Estádio Olímpico de Kiev: uma das marcas da Eurocopa de 2012, que a Ucrânia sediou junto com a Polônia. É um belo estádio e atualmente é a casa do Dinamo de Kiev, um dos maiores clubes do país, onde jogou o Andrey Shevchenko.

Em frente ao Estádio Olímpico de Kiev

Em frente ao Estádio Olímpico de Kiev

Espero com este post ter dado uma primeira luz sobre a Ucrânia. Em próximos posts, escreverei sobre Lviv e Odessa, apenas aguardem!

*André Fernandes, nascido em Santa Catarina para ser um nômade pelo mundo. Voltou ao Brasil e já está pensando nas próximas aventuras! Saiba mais sobre ele clicando aqui. Visite e curta nossa fanpage no Facebook acessando aqui. Twitter e Instagram: @blogbrasilcomz