Sabe qual é a melhor parte em se aprender um idioma? Na minha opinião é conhecer os palavrões. Isso é muito útil ainda mais quando você mora no país em que se fala a tal língua que se está estudando. É claro que isso é algo que, normalmente, não se aprende na escola. Em meu dia-a-dia aqui na China, acabo aprendendo muitas palavras más com meus colegas de trabalho, que me ensinam. A cereja do bolo é que eu encontrei um livro que muito me ajuda sobre expressões populares na China.

Esse livro é ótimo, recomendo. Ele é dividido em temas e cada sessão traz palavras populares usadas em determinado tipo de ambiente – como frases usadas para dar em cima de uma pessoa, no sexo, usada na internet, e até em bordéis, etc.

Ora, e porque é útil conhecer palavrões na língua estrangeira? Pelo simples fato de que o palavrão é algo terapêutico. Ou vai dizer que quando você tá “p” da vida, falar um bom “Vai tomar no **” não ajuda a extravasar toda a tensão que se sente em determinado momento? Eu tenho os meus dias em que acordo e que o dia não está bom para minha pessoa. E tudo de ruim acontece para me deixar irado.
Recentemente aconteceu de eu precisar de um táxi e, gente, é impossível competir contra os chineses no quesito rapidez. Ô, povo veloz! Tipo, você tá em pé no metrô e uma pessoa levanta, pode crer que já existe ao menos 50 chineses de olho naquele assento. É assim, um chinês levanta e pelo menos uns 3 outros chineses correm para sentar no lugar que ficou vazio (às vezes me dá uma peninha em ver a cara de tristeza das pessoas que correm e não conseguem um lugar ao sol). Por isso, eu nem entro na disputa e já aceitei o fato de ficar a viagem toda em pé.
Irado Mano! Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz
Para mim o bicho pega é na hora do táxi. Imagine só a situação: você em baixo de um dilúvio (o rio Amazonas caindo na sua cabeça) e você na busca de um táxi para ir ao trabalho.
Aí, você está lá, posicionado, e não tem ninguém esperando um táxi. Nesse momento, a população inteira da China aparece e resolve pegar um táxi. Parece um joguinho de celular no qual seu desafio é dar sinal para o táxi e correr até ele antes que um chinês que mal chegou na parada entre no carro antes de você.
Então, ontem passei 27 minutos debaixo de um toró para pegar um táxi. Levei todo esse tempo não pelo fato de não haver táxi (há muitos),  porém eu parava um táxi e um chinês do nada aparecia dos lugares mais impróprios e entrava no táxi que eu tinha chamado.
No último eu atravessei a rua correndo, quase fui atropelado e no momento em que quase comemoro, uma chinesa sai do mato (um arbusto, na verdade) e se joga dentro do carro. A garota me viu, me olhou e mesmo assim me tratou como se eu fosse um gasparzinho. O que eu fiz? Me joguei dentro do carro e ela começou a brigar comigo. Respirei fundo e disse: C** n* m* (tradução: f***-se a sua mãe). Nossa, me senti revigorado quando vi a cara de espanto dela ao saber que eu falava um pouco de mandarim. Saí do carro e fui em busca de outro táxi.
Na última vez que esse tipo de coisa aconteceu eu havia acabado de sair do hospital (estava muito mal com dores pelo corpo e febre) e um chinês simplesmente ficou na minha frente, o táxi parou ao meu lado e ele (o chinês) correu, entrou e fechou a porta com força para eu não entrar. Ele falava muito bem inglês, aí comecei o bate-boca lá mesmo. Agora, me perguntem o que eu fiz? Disse C** N* M* novamente, com toda força.
O cara ficou tão “p” que saiu do carro para me enfrentar. Não deu outra. No que ele sai do carro, eu aproveitei para me jogar lá dentro. Como em um movimento friamente calculado de ninja, tranquei a porta para ele não entrar. O motorista ficou com cara de natureza morta, sem saber o que fazer mediante a fúria chinesa. Ele só ficou mais esperto quando o cara, o ex-passageiro, começou a bater no vidro do táxi. O motorista não teve outra atitude, senão arrancar com o carro dali me levando, antes que o chinês quebrasse tudo.
Taxi na China Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz
Enfim, mesmo depois de ter xingado umas mil gerações de chineses, ainda continuo amando demais este lugar!