Muitas pessoas quando planejam morar no exterior não têm a mínima ideia de quanto se vai gastar mensalmente com o básico para o sobrevivência. Principalmente, com alimentação. Por isso vou tentar mostrar como é a situação em Roma, onde vivo.

O ideal é começar pelo começo, pela base. Uma das primeiras coisas que fazemos quando nos mudamos para o exterior é saber o preço dos alimentos, ou melhor, quanto se gasta para fazer um rancho.

Tenho que confessar que tenho uma queda “gravíssima” por supermercados. Sempre que possível vou aos supermercados das cidades que visito no exterior. Mas o foco aqui é Itália, mais precisamente Roma e trataremos disso.

Em linhas gerais, os supermercados aqui são excelentes, pelo menos para o meu gosto. Perto da minha casa existem pelos menos três boas opções de redes diferentes, o que é ótimo para comparar preços e produtos.

Supermercado Roma @blogbrasilcomz

Foto via agência Reuters, Roma

Sempre que conheço um brasileiro que está de férias aqui em Roma e avançamos um pouco mais na conversa, invariavelmente, ele me pergunta sobre o custo de vida, que imediatamente recai na pergunta básica: “Quanto tu gastas de supermercado aqui em Roma?” A pergunta é ótima e a resposta pode explicar muito bem uma parte importante em termos financeiros do que é viver numa cidade como Roma.

Somos um casal normal e comemos e bebemos de tudo, sem dificuldade de adaptação às diferenças alimentares em relação ao Brasil, o que ajuda muito a não ter “necessidades alimentícias especiais”, que podem consequentemente custar mais ao longo do mês.

Supermercado Roma, Diogo Rimoli @brasilcomz

Nossa parceria inclusive na hora de “fazer o super” em Roma por Diogo Rimoli

Geralmente, vamos ao supermercado uma vez por semana e compramos o necessário para em média dez dias. Gastamos normalmente 75 euros e compramos de tudo um pouco (pão, presunto, queijo, mortadela, bacon, carne, frutas, verduras, iogurte, leite, manteiga, massa, arroz, molhos, biscoitos, ovos, café, feijão, itens de higiene e limpeza, etc.), inclusive algumas bobagens que qualquer pessoa compra e que aqui têm valores bem mais em conta, como Pringles, Nutella, Gatorade…

O legal é que os supermercados por aqui fazem com muita frequência promoções, como por exemplo, agora no início do ano, momento em que uma das redes fez uma promoção com duração de 15 dias em que você compra uma unidade de determinados produtos e leva duas unidades.

O valor que eu gastava mensalmente de supermercado no Brasil é bem aproximado com o que gasto mensalmente aqui em Roma, com a diferença de que aqui o salário médio é maior do que o do Brasil. Óbvio que existem algumas mudanças de hábito nas compras, mas a adaptação é extremamente tranquila e, o melhor de tudo, não dói nada!

Em um próximo post me aprofundarei mais sobre essa questão de compras alimentícias em Roma. Até mais!