Skip to content

As Melhores Atrações de Zaragoza – II parte

28/06/2018

Ana Fonseca – Saragossa, Espanha

Se você não leu, acesse a Parte I  sobre “Atrações em Saragossa”.

1) Museu Pablo Gargallo

O apartamento que alugamos via AirBnB na Praça San Felipe (com parede rosa, à direita da foto) fica colado à casa que serve de museu para as obras do escultor Pablo Gargallo. Há que se visitar! De fora não parece, mas a casa é muito ampla, com diversos salões, o que valoriza muito a obra do escultor. O artista teve uma vida curta e a evolução do seu trabalho é muito interessante.

Da escada do prédio onde ficamos, dava para ver os detalhes em madeira entalhada do exterior da casa museu Pablo Gargallo. (Acima)

A casa é bem grande e os trabalhos estão muito bem expostos. Há um vídeo em inglês que você pode pedir para assitir quando comprar os tíquetes na recepção. O Pablo Gargallo foi um escultor excepcional, e muitas obras suas estão espalhadas por pontos nobres e públicos em Barcelona.

Acima e abaixo: obras do Gargallo, fotos do meu arquivo pessoal

A casa é rica em detalhes arquitetônicos preciosos: colunatas, arcos, entalhes em madeira e mármore. Tentei fotografar com várias lentes para dar uma impressão acurada (acima e abaixo), mas nada como visitar pessoalmente o lugar.

2) Museu das Termas públicas

Vestuário, sala de ginástica, piscina, sauna… Tudo isso fazia parte do complexo de termas romanas em Saragossa. Hoje em dia, só dá para ver as ruínas de latrinas para 20 pessoas e os restos de uma piscina. Eu pulei essa visita porque já vi ruínas mais extensas e complexas na minha vida, mas há quem goste. Pelo valor histórico, decidi recomendar aqui. A foto abaixo peguei na internet, e não sei o autor.

2) Museu do Teatro Romano

Esse Museu faz parte do complexo de museus da “Rota Caesaraugusta”, que são: Museu do Foro, Termas públicas (acima) e Teatro. Como já disse, nem todo mundo gosta de ver ruínas (meu marido diz: “visitar pedras antigas”). Se você gosta, vá. Dá para entir a dimensão das obras dos romanos, que não eram nada bobos.

3) Ponte de pedra

É uma ponte guardada por dois leões imensos em cada extremidade, com vistas belíssimas para o conjunto de torres da Catedral Basílica del Pilar.

Fotos abaixo: Pinterest. As outras são minhas.

Fotos acima e abaixo: arquivo pessoal Ana Fonseca

A ponte data de 1401-1440, e foi parcialmente destruída  (e renovada) no século XVI. Há bastante vegetação, ondas, pedras, torvelinhos e prainhas ao longo das águas do rio Ebro – e que rio mágico! A ponte te leva para um lado menos histórico da cidade, com murais lindos nas laterais de prédios residenciais, onde deixamos o carro na rua durante todos os dias que passamos na cidade. Venta bastante quando caminhamos pela ponte, mas as vistas são lindas, e há algumas “varandinhas”ao longo da ponte, onde você pode se alojar para fazer fotos e se debruçar um pouco sobre o rio. Sem falar na atmosfera do lugar.

 

4) Museu Ibercaja

Fica num palácio renascentista todo restaurado que pertenceu a uma rica família aragonesa e agora pertence ao Banco Ibercaja. Aqui, você encontra de El Greco a Goya, com coleções que vão do século XV ao XX. Se você gosta do pintor Goya (e do estilo de outros artistas inpirados por Goya), visite esse museu. Acho que a maioria dos turistas internacionais que chegam à cidade num fim de semana, tomaram um avião no outro lado do mundo e foram à Saragossa especificamente para ver Goya (ele nasceu na cidade).

A entrada do museu é grátis. Endereço: Calle Espoz y Mina, 23

5) Museu Pablo Serrano

Pessoalmente, os trabalhos do Serrano não me tocam tanto quantos os trabalhos do Gargallo. Pesquise um pouco online antes de visitar o museu. A coleção mostra os trabalhos dele desde a fase figurativa, até a fase expressionista. São 140 peças entre desenhos e esculturas. É recomendável um tour com guia.

Endereço: 20 Paseo María Agustín

http://www.iaacc.es/index.php

 

6) Lonja de Saragossa

É um prédio datado do século XVI, situado na Plaza del Pilar (perto da Basilica de mesmo nome). Muito cheio de detalhes estilísticos, aqui era o lugar onde os mercadores da cidade realizavam suas transações. É muito, muito bonito – e pesquisando, descobri ser esse o melhor exemplo de um estilo arquitetônico chamado “Renascença aragonesa”. Não me cansei de fotografar alguns detalhes, veja abaixo:

Visite essa Lonja em Saragossa, vale a pena!

7) Museu de Saragossa

Tem de tudo nesse museu: arqueologia, belas artes, artefatos romanos, islâmicos e 60 (!) obras de Goya, de todas as suas fases.

http://www.museodezaragoza.es

8) Oficina de turismo de Saragossa

Como estávamos num apartamento alugado, e não em hotel, não tínhamos como ter acesso a folhetos sobre as atrações nem pegar um mapa e saber rotas para se fazer à pé. O centro de turismo nos ajudou nisso. É uma torre com acesso por uma pequena ponte bem no centro, na Plaza César Augusto. A recepção é bem pequena, mas o interessante é subir a torre para tirar fotos da cidade e ler sobre a breve história da fundação de Saragossa. As vistas do rio Ebro também são bem bonitas, voce pode fotografar os leões que guardam a ponte de pedra. Atenção: há várias “Oficinas de Turismo” na cidade. A que visitei e estou recomendando aqui se chama “Torreon de la Zuda”.

O povoado era chamado de “Salduie” pelas tribos celtas locais. Os romanos a chamavam de “Salduba” e o imperador Augusto resolveu edificá-la ao modo romano (teatro, termas, fórum…), a renomeando “Césaraugusta”. Com o declinio do império romano na pensínsula ibérica e tomada pelos árabes, a cidade recebeu o nome de “Saraqusta”. No século XII, os reis cristãos passaram a denominá-la “Zaragoza’. Muita gente já passou por aqui e deixou suas marcas profundas. Vale a pena conhecer a cidade de Saragossa, a quinta maior da Espanha e rica de história, arte e gastronomia.

Veja abaixo algumas fotos que fiz no interior da torre e as vistas do rio Ebro e avenidas da cidade a partir das janelas:

Uma observação final: não vale a pena visitar o Mercado Central da cidade. Tire fotos de detalhes do exterior, e só. Dentro há bancadas de legumes, verduras e carnes. Nada que você não possa achar num supermercado, bem em frente por sinal. Eu adoro mercados como o de Valencia (arrebenta em arquitetura, cúpula, painéis de azulejos), o Boquería em Barcelona, o de Estocolmo. Porém esse de Saragossa faz parte de outra era e não tem nenhum atrativo. Abaixo, foto que fiz da fachada e de um detalhe da arquitetura.

Nota: não subestime Saragossa. Se quiser visitar a cidade, reserve pelo menos, no mínimo, quatro noites. E ainda assim, não verá tudo (eu não vi tudo e voltaria lá daqui a alguns anos para explorar mais a cidade).

___________________

Ana Fonseca mora na Holanda desde 1999 e administra o BZ. Sigam-nos no Facebook e Instagram para atualizações diárias. Quer candidatar-se a participar do BZ como autor? Leia as instruções de como proceder nesse post. Blog “Brasil com Z” um site feito por berasileiros vivendo nos quatro cantos do mundo! 

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: