Hoje nosso vídeo e sobre o novo esquema do governo Britânico, criado devido a pandemia, para auxiliar os trabalhadores aqui no Reino. Quer saber mais? Assiste até o final que eu te explico mais. 

Olá pessoal! Meu nome é Raquel e faço parte da equipe do Blog Brasil com Z. 

Pra quem é novo aqui no canal, o blog Brasil com Z tem como objetivo compartilhar dicas e experiências de brasileiros que vivem em diferentes partes do planeta. Pra seguir nosso conteúdo, se inscreve aqui no nosso canal ou acompanha a gente pelo Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn ou te inscreve lá no Blog! Com todas estas opções, não tem como desculpa pra não nos seguir, né? 

Então, quando foi declarada a pandemia do Coronavirus e o governo Britânico determinou o lockdown, o então novo ministro das finanças do Reino e sua equipe criaram um esquema novo para salvaguardar o maior número de empregos possível no país. 

Esse esquema foi chamado de CJRS, em inglês Coronavírus Job Retention Scheme, o que em português poderíamos traduzir por Esquema Coronavírus de Retenção de Empregos. 

Originalmente, nesse esquema, o empregador pode nomear funcionários para sair de licença e fazer um requerimento para que o governo pague 80% do salário de seus empregados nesta licença. Claro que tem um teto. O governo paga 80% até o valor máximo de £2,500.00 por mês, por funcionário. 

No início foi bastante confuso, pois como era um esquema novo, o governo tinha que delinear as regras e tudo isso, como quase todos devem lembrar, em março de 2020, aconteceu muito rápido. O país (e o mundo) parou meio que de uma hora pra outra e tanto empregados e empregadores estavam bem perdidos. 

O principal objetivo desse esquema e que os funcionários não sejam demitidos. Para o governo, demissão em massa cria uma série de outros problemas, como uma avalanche de pessoas pedindo auxilio do governo para sobreviver (o que aqui agora se chama Universal Credit ou em português, Crédito Universal), além de uma desaceleração da economia, que acaba levando a redução do pagamento de impostos, entre uma série de outros problemas econômicos e sociais. 

Porém, alguns críticos dizem que o esquema não é o suficiente. Até o final de julho de 2020, o governo cobre, dentro deste valor de até £2,500.00 a contribuição da seguridade social e a contribuição da previdência privada obrigatória no Reino Unido, mas fica por conta do empregador pagar as férias acumuladas para este período.