Skip to content

外食 – Comendo Fora

18/09/2008

ShigueS
Tóquio, Japão

Olá! O post de hoje está delicioso, cheio de guloseimas de encher os olhos. Isso, é claro, se você gosta de comida oriental. Quando cheguei no Japão tudo o que eu conseguia ler nas placas era らめん (lámen, aquele macarrão tipo miojo). Comi tanto isso que agora eu tento evitar ao máximo! Para mim, a refeição é sagrada e não uma simples despesa doméstica, portanto, sempre que posso, procuro comer pratos intrigantes para descobrir novos sabores. Tóquio, com toda sua diversidade, é definitivamente o lugar para isso!

A culinária japonesa é conhecida mundialmente e tem muitas peculiaridades que a fazem um tanto exótica. Entre os brasileiros talvez o prato mais icônico seja o sashimi, peixe cru servido ao molho shoyu e wasabi. Desde de criança eu nunca fui fã de peixe, fazia de tudo para não comer nada que viesse do mar. Porém, após provar sashimi, meu conceito mudou. Até hoje o único peixe que faço questão de comer é o filé de atum, cru logicamente (se fritar eu preciso me preparar psicologicamente antes de digerir).

É dito que todo japonês come pelo menos 1 vez por semana num 鮨屋 (sushiya, ou restaurante de sushi)

Além de deliciosos os pratos, feitos com frutos do mar e verduras, são muito saudáveis e nutritivos. O tipo mais comum de restaurante é aquele onde os pratinhos ficam rodando ao redor de um balcão e você pega qual quiser. De acordo com o ingrediente o preço muda, isso é indicado pela cor do prato. Geralmente o valor pode variar entre ¥180 até ¥600 por belisco. Eu geralmente como de 5 a 10 pratos de sushi e saio muito feliz do sushiya-san.

Típica ruazinha com bares-restaurantes no centro de Tóquio, em Shinjuku

O capitalismo japonês fez com que pequenos estabelecimentos familiares fossem varidos por redes de fast-food e cadeias de restaurante como “McDonnald’s”, “Outback”, “Matsuya” entre diversos outros que só mudam de endereço. Como tive a sorte de morar no interior, pude provar a comida caseira japonesa e acreditem, há sim uma singela diferença. Acho que mais do que qualquer outra coisa, sinto falta dos pequenos restaurantes de lá.

O grande barato dos restaurantes japoneses é o menu-vitrine, onde réplicas dos pratos são exibidas juntamente com os preços e descrição de ingredientes!

Antes de me mudar para a capital, reparei que a grande parte dos brasileiros comiam em restaurantes que mostravam fotos nos cardápios. Logicamente é difícil escolher o que comer quando não se consegue LER o nome do prato. Outra opção era ir a lugares onde haviam displays com réplicas da comida servida no local. Além de dar a noção exata do que é o prato, essas comidinhas de mentira atiçam nosso apetite e ajudam a decidir o que comer num piscar de olhos.

A imitação muitas vezes chega a ser mais apetitosa que o prato de verdade, esse tipo de vitrine é muito comum em Tóquio e não tenho dúvidas que os pratos exibidos nela são os que mais vendem no estabelecimento

Tóquio é conhecida pelo seu ritmo frenético de vida. É muito comum ver pessoas literalmente correndo nas ruas vestidas de terno, vestido ou uniforme escolar na tentativa de não se atrasar para os compromissos. É claro que quem tem a agenda apertada a esse ponto não pode se dar o luxo de comer em lugares onde o prato demora para ser servido. Tempo é dinheiro na capital japonesa e uma forma de economizá-lo é almoçar em cadeias de fast-food como Yoshinoya e Matsudaya, que são praticamente a mesma coisa: restaurantes onde a comida é servida em menos de 5 minutos.

Uma coisa que me chamou a atenção foi o 立ち食い (tatigui), que é uma “modalidade” de comer em lugares onde não há cadeiras para se sentar, se faz a refeição em pé, sob um balcão. É muito comum ver assalariados japoneses se amontoando nesses lugares que além de baratos são extremamente rápidos. Afinal, já experimentou almoçar em pé? Aposto que termina sua refeição em menos de 5 minutos.

Típica vendedora automática do Matsudaya. Não é preciso caixa nem garçom nos restaurantes rápidos japoneses, nesse aparelho você faz o pedido, paga e recebe o troco sem interferência de nenhum funcionário. Depois é só entregar o bilhete no balcão e aguardar seu prato chegar

Existem máquinas automáticas para tudo. Para vender refrigerante, cigarro, petiscos e, dentro de estabelecimentos, bilhetes de pedidos dos clientes. É tão rápido que não dá tempo de formar fila na frente delas. Geralmente os japoneses já têm as moedinhas contadas nas mãos quanto chegam até o aparelho. Se você demora mais que alguns segundos para escolher o que quer e depois ir pegar o dinheiro é muito provável que alguém atrás de você vá soltar um *humph* irritado por estar com pressa de comer logo.

As máquinas mais novas têm monitor sensível ao toque e até falam com você, agradecendo pela preferência no mais polido japonês

O povo japonês adora comer. As pessoas chegam a atravessar o país apenas para experimentar o frango especial ou alguma iguaria que só existe naquela região. Cara província, cada cidade tem sua comida famosa e existe toda uma estrutura de turismo gastronômico no Japão. Nas grandes estações de trem de Tóquio exitem mapas da região que são distribuídos gratuitamente, o que mais se apontam neles, além dos pontos turísticos, são os restaurantes da região. O pessoal aqui planeja o jantar com tanto afinco quanto planeja uma viagem longa.

Esse é restaurante Matsuya, bem comum no Japão, onde almoço quase todos os dias (já enjoei)

É claro que existem restaurantes para todas as situações e bolsos. Como eu sempre estou correndo entre o trabalho e a escola de japonês, minhas alternativas residem nos lugares onde se come rápido e se paga barato. Um bom almoço pode sair por ¥500, mas eu geralmente prefiro os de ¥1000 pela qualidade e quantidade do prato, geralmente com carne bovina (caríssima no Japão).

Esse é o meu prato de domingo, numa pseudo churrascaria perto de casa. Não faço idéia do que seja, mas é muito bom!!! A sopa é algum tipo de carne refogada com tofu e temperos especiais, tem a salada com alface e couve, um prato com piccles e verduras e o famoso arroz com fibras (deve ser transgênico, mas é gostoso pacas)

Não dá para falar de tudo da cozinha japonesa, percebe-se que eu mesmo raramente como prato japonês. Sempre tento almoçar o que para mim sempre foi a refeição ideal: arroz, feijão e bife. Mas como isso é raro por essas bandas, agente vai improvisando. Esses são os pratos que fazem parte do meu dia-a-dia, um típico estudante-trabalhador estrangeiro vivendo em Tóquio. Como 2 vezes por dia em restaurantes diferentes durante toda a semana, então sei muito bem reconhecer cada tipo deles. Há os para se comer só, os para se levar a namorada e os para se reunir a galera do escritório e comemorar. Os preços não variam tanto de lugar para lugar, sendo os mais caros os que são especializados em carne (droga, logo ela).

Antes de comer, é costume dizer em voz alta: いただきます! (itadakimasu) que é o equivalente à bênção cristã sobre a comida. Segura-se o hashi (palitos) entre os polegares com a mão fechada em oração, faz-se um breve cumprimento com a cabeça enquanto se diz a palavra. Itadakimasu é a forma polida de もらう (morau), o verbo “receber” em japonês. Então pode-se dizer que itadakimasu significa “estou a receber com gratidão”, como “obrigado, Senhor, pelo alimento dado”.  Dizer isso demonstra grande educação e é sempre bom ser educado à mesa, por isso da próxima vez que for a um restaurante japonês não esqueça de dizer ITADAKIMASU!!!

Bom apetite!

また今度

4 Comentários leave one →
  1. persistenciadamemoria permalink
    26/09/2008 15:29

    So essa primeira imagem ja me deixou com fome para ler o post inteiro.
    Como muitos brasileiros, eu ADORO a comida japonesa.
    Mas tambem nao dispenso um arroz, com feijao, ovo frito e BIFE!
    A gente foi muito mal acostumado comendo a carne gostosa brasileira.
    Agora sentimos falta. Aqui, a carne de segunda custa mais que uma carne de primeira no brasil. Imagino que no Japao seja o mesmo.

    Eh triste, mas eu nao ligaria se tivesse que comer sushi todos os dias.

    Adorei a ideia das vitrines tbm!

    Otimo post, cheio de informacoes interessantes. Parabens!

  2. 05/10/2008 18:55

    Muito bom post!
    Tenho conhecidos que acabaram de voltar do Japão e que so conseguiram comer algo pq tinham essas maquetes dos pratos, mas mesmo assim não tinham muita noção do que estavam comendo!ehehhe

  3. MIYUKI LEITE KAJIHARA permalink
    30/08/2012 20:01

    PARABÉNS PELO POST!MOREI ANOS NO JAPÃO ADORO AQUELE PAÍS,A CULINÁRIA É DIVINA.MAS AMO MEU BRASIL,MAIS AINDA A MINHA BAHIA.VC ESTÁ VIVENDO BEM O JAPÃO APROVEITE CADA MINUTO DESSA TERRA ESPECIAL!

Trackbacks

  1. Wordpress - Blogs of the Day - Top Posts « IMOMENTUS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: