Skip to content

Mercado de queijos em Alkmaar

04/08/2018

Ana Fonseca – Alkmaar, Holanda

Recentemente, tive um casal de amigos brasileiros na minha casa. Para encerrar os passeios deles pela Holanda, decidimos na sexta-feira pela manhã leva-los a Alkmaar para ver o famoso mercado de queijos da cidade. Passeio obrigatório para quem está pelo norte da Holanda!

Alkmaar fica a uma hora de trem saindo da Estação Central de Amsterdã. De carro é super rápido, e fácil para achar estacionamento grátis fora do centro. Indo a pé para o centro da cidade, já dá para ir vendo o transporte de queijos dos produtores pelos canais.

Alkmaar tem um pouco mais de 100mil habitantes e é bem fácil de achar seu caminho pela cidade. Várias marcas holandesas como Sissy-Boy, Dille & Camille e muitas outras estão pelo centro, muito bem preservado e agradável, com várias ruas livres de carros. A cidade tem 399 monumentos públicos registrados, então prepare-se para olhar para cima e para muitos detalhes arquiteturais. Lojas de antiguidades, bares e restaurantes também não faltam.

O mercado de queijos começa em abril e vai até setembro, na praça “Waagplein”. É toda sexta-feira, de 10h – 12h30. É um dos quatro mercados tradicionais ainda existentes na Holanda, e repete todo um procedimento que remonta há séculos: exibição dos queijos de diferentes produtores, negociação dos preços dos queijos (na base do grito e palmas com as mãos), e carregamento para pesagem. Durante a chegada dos imensos queijo à praça, uma guia turística explica todos o processo em várias línguas (holandês, alemão, inglês e espanhol ou francês). Moças em roupas tradicionais e carregando bolsas oferecem saquinhos com queijos para os turistas. Meus amigos optaram por sacolinhas a 10EUR, com queijo, faquinha, geleia, mostarda e uns crostinis. Basta fazer um sinal e ela vem mostrar os produtos e interior das sacolinhas. Meus amigos acharam o preço razoável e compraram duas sacolinhas.

Ali na praça é possivel ver toda a ação num telão. No final, o órgão da igreja é tocado ao vivo – dá para acompanhar num telão também.

Ali mesmo fica o Museu do Queijo, com uma lojinha maravilhosa onde você pode comprar cervejas, suvenires, acessórios de cozinha… Nem precisa visitar o museu, a “lojinha” é na verdade bem grande e satisfaz plenamente sua curiosidade.

Como já disse acima, o que não falta em Alkmaar é clima de festa durante o mercado. Pelas ruas dá para comprar muita coisa em barraquinhas: comida como mini panquecas, peixes do Mar do Norte, sanduíches, roupas…

A boca dessa boneca era tão beijada (!) por adultos e crianças que estava polida e com uma cor diferente do resto da estátua. Aaaaargh!

Chapéus tradicionais como dos carregadores de queijos também estão à venda.

Depois de andarmos pelas barraquinhas e lojas da cidade, decidimos almoçar por Alkmaar mesmo. Queríamos ainda visitar duas outras cidades nas redondezas e precisávamos comer. Na praça onde meia hora atrás acontecia a exibição de queijos agora estava totalmente limpa e tomada por mesas, cadeiras, garçons e sombrinhas gigantes. Decidimos ir de sandubas com fritas de batata doce (tá na modinha), wraps e cervejas holandesas, claro. Meus amigos tinham ido à Jopen de Haarlem e não hesitaram em pedi-la.

Há outras cidades onde é possível visitar mercados de queijos, tão tradicionais como esse de Alkmaar: Edam, Gouda, Hoorn e Woerden. Conheço Edam (cidade fofolete) e Hoorn (grande), vale a pena visitar o mercado por lá também. Recomendo.

SERVIÇO: https://www.kaasmarkt.nl/en

Foto via Pinterest

(Todas as fotos desse post: arquivo pessoal Ana Fonseca – com exceção da foto apanhada no Pinterest)

E aqui aproveitamos para anunciar que o blog Brasil com Z sai de férias de verão. Voltamos em setembro com mais postagens, fotos e novidades. Sigam-nos e convidem seus amigos para acompanhar-nos!

Tot ziens! 

____________________

Ana Fonseca mora na Holanda e administra o BZ, um blog feito por brasileiros expatriados vivendo nos quatro cantos do mundo. Dicas de turismo, viagens e culinária, diferenças e choques culturais, as dificuldades em se fazer novos amigos e integrar-se, estudo e trabalho no exterior… falamos sobre tudo isso por aqui, e muito mais! Gostou do que leu? Então curta nossa página do Blog Brasil com Z no Facebook, nossa conta no Twitter e Instagram e compartilhe nossas postagens com seus contatos. Agradecemos! Mora no exterior, gosta de escrever e quer se candidatar a participar mensalmente do BZ? Seja ousado (a) e escreva-nos um e-mail contando quem você é e sua motivação para fazer parte da equipe de autores: blogbrasilcomz@gmail.com Boa-sorte! 

Emirados Árabes – O País dos Sheiks

24/07/2018

 Carlos André Marinho – Dubai, Emirados Árabes

As-Salamu Alaikum, viajantes! Quando pensamos no espaço físico e/ou cultural árabe, normalmente nosso imaginário é construído com alguns elementos, digamos … “clássicos”, tais como camelos, oásis, tâmaras, areias escaldantes e intermináveis, dança do ventre e exóticas dançarinas, etc. isso só para ilustrar.

bcomz-15

Quadros da esquerda para direita ::: His Highness Sheik Khalifa Bin Zayed bin Sultan Al Nahyan, HH Sheik Zayed bin Sultan al Nahyan e HH Sheik Mohammed bin Zayed Al Nahyan | Recepção do Hotel em Abu Dhabi

De fato, todo esse arsenal de valores foi incorporado através de contos como das “As mil e umas noites” ou, mesmo, do filme “Lawrence da Arábia” que, por sinal, ainda existe e, de certa forma, sobrevive ativo até os dias de hoje. Em linhas gerais o mundo árabe e, em particular, os Emirados Árabes Unidos, se conservam bem alinhados com a própria história e integrados na fé da religião islâmica.

Leia mais…

Celebrando a vida sem frescura: o Biergarten (Jardim da Cerveja) na Alemanha

17/07/2018

Manuela Marques Tchoe – Munique, Alemanha

A primeira coisa que os bávaros fazem quando o sol dá as caras após o longo inverno é passar algumas horas no Biergarten – ou jardim da cerveja. Muito comuns no sul da Alemanha, você pode ter certeza que existe um Biergarten à espreita em alguma esquina, nos convidando para uma tarde de Gemütlichkeit (que pode ser traduzido para “aconchego”), transmitindo uma sensação de calor, simpatia e pertencimento a cada brinde em canecas enormes. No Biergarten tradicional, pode-se levar sua própria comida para fazer piquenique, reforçando o ideal de simplicidade à mesa. Ou seja, uma celebração da vida sem frescura, exceto pelo frescor da cerveja!

IMG_0958

Não se sabe qual cervejaria de Munique abriu o primeiro Biergarten da Baviera, mas foi provavelmente um dos seis maiores de Munique: Löwenbräu, Hofbräuhaus, Augustinerbräu, Paulaner, Hacker-Pschorr e Spaten. O que se sabe é que eles se desenvolveram no então Reino da Baviera no século XIX e que, com limitações sazonais na produção de cerveja, produzia-se a bebida durante o inverno (para minimizar o risco de incêndio). Às margens do rio Isar, a cerveja era mantida fresca durante o armazenamento. Daí para a criação de  “adegas de cerveja” para consumir cerveja fresca logo seguiram – e assim nasceu o Biergarten, um lugar agradável, geralmente cercado de árvores para dar sombra, um verdadeiro jardim para apreciar o sabor especial da cerva alemã.

Leia mais…

Pratos Típicos do Sul da França

10/07/2018

 Fabio T – França 

Olá, leitores do “Brasil com Z”. Eu já contei por aqui em vários artigos anteriores sobre a culinaria e hábitos culinarios franceses (15 hábitos gastronomicos dos franceses , 6 doces tipicamente franceses , 12 iguarias francesas e Pratos típicos franceses do inverno). Hoje, quero apresentar-lhes alguns pratos típicos do Sul da França, muito consumidos no verão.

1- Tapenade

tapenade (fonte : journaldesfemmes.fr)

tapenade (fonte : journaldesfemmes.fr)

Um petisco tradicional do Sul da França  é a tapenade (azeitonas pretas trituradas, com anchovas e alcaparras) sobre pedaços de pão ou de torradas.  

Leia mais…

Entrevistando expatriados: Elieser Borba

05/07/2018

 Ana Fonseca, Holanda – Elieser Borba, Áustria

Hoje damos continuidade ao novo formato de postagens, em forma de entrevista. Nossos autores, além das mais diversas profissões, são muito produtivos nos seus hobbies! Vamos conhecer agora mais um pouquinho do nosso colaborador da Áustria, o carioca Elieser Borba. Ele é assistente social por formação, artista plástico e também escritor independente.

Elieser, você é do Rio e mora no interior da Áustria. Como se estabeleceu no país? 

Eu morava em Copacabana, no Rio de Janeiro. Conheci minha esposa, que é austríaca e estava de férias com uma amiga, num bar em dia de jogo do Botafogo. Após namorarmos à distância por pouco mais de um ano, decidimos começar a vida juntos na Áustria. Infelizmente, a situação econômica no Brasil não favorece um casal jovem iniciar a vida por lá!

E como veio a ideia de escrever livros? Qual foi sua motivação?

Para mim, todos tem a capacidade de escrever. A grande diferença é o ato de “tornar o que se escreve público” seja via livros, blogs ou outros meios. Eu sempre li e escrevi muito, e desde cedo sou muito ligado com o que está à minha volta, socialmente falando. Sempre fui um inconformado com o conformismo de algumas pessoas, e a ampliação de minha consciência crítica ainda na adolescência me motivou a tecer diários que mais tarde como assistente social aprimorei de forma mais técnica. Escrever é um exercício muito bom para externalizar angústias e para estimular nossa reflexão e daqueles que nossos textos atingem.

Leia mais…

Onde comer e beber tapas maravilhosas em Zaragoza? El Tubo!

02/07/2018

Ana Fonseca – Zaragoza, Espanha

Continuando nossas postagens sobre Saragossa (Veja os textos anteriores aqui e aqui), vamos hoje fazer uma abordagem gastronômica. Se você está procurando um lugar bem autêntico em Saragossa para comer tapas, “hamburguesas” e “raciones” e beber umas cervejas, simplesmente vá direto ao El Tubo. É bem central, e um par de passos de onde fiquei via Airbnb, na Praça San Felipe.

Essa área da cidade de Zaragoza tem ruas estreitas, apertadinhas mesmo. Daí o nome “El Tubo”.  Pela internet tínhamos visto que a área estava compreendida entre duas ruas: Calle Estébanes e a Calle Libertad. Porém, mais ruas estão se juntando com o passar do tempo a essa vocação gastronômica.

Leia mais…

As Melhores Atrações de Zaragoza – II parte

28/06/2018

Ana Fonseca – Saragossa, Espanha

Se você não leu, acesse a Parte I  sobre “Atrações em Saragossa”.

1) Museu Pablo Gargallo

O apartamento que alugamos via AirBnB na Praça San Felipe (com parede rosa, à direita da foto) fica colado à casa que serve de museu para as obras do escultor Pablo Gargallo. Há que se visitar! De fora não parece, mas a casa é muito ampla, com diversos salões, o que valoriza muito a obra do escultor. O artista teve uma vida curta e a evolução do seu trabalho é muito interessante.

Da escada do prédio onde ficamos, dava para ver os detalhes em madeira entalhada do exterior da casa museu Pablo Gargallo. (Acima)

Leia mais…

%d blogueiros gostam disto: