Skip to content

As melhores atrações de Zaragoza, na Espanha (I Parte)

15/06/2018

Ana Fonseca – Zaragoza, Espanha

Infelizmente, Saragossa não vem à mente de muita gente que planeja uma primeira ou segunda visita a Espanha. As pessoas geralmente só consideram Barcelona, Madri e Sevilha. Questão de prioridades relacionadas a tempo e dinheiro, posso compreender.

Marido e filho caminham pela praça onde se encontram a Basílica, a SEO e a torre onde funciona a oficina de turismo da cidade. 

Porém, toda a Espanha oferece tesouros arquitetônicos e artísticos. Quando estive na costa da Catalunha, na hora de retornar para a França, decidimos passar primeiro quatro noites em Saragossa, e depois Montserrat. Há muito o que se ver e fazer por lá, e se você ficar alojado no centro como eu fiquei, poderá fazer tudo, tudinho mesmo, à pé. Com uma vantagem a mais se visitar a cidade no verão (julho – agosto): estará tudo tranquilo, pois parte da população sai da cidade durante as férias. Saragossa fica a 320 km de Madri na região de Aragão. Você pode tomar um trem de alta velocidade e chegar à cidade em 1h30. Abaixo, relaciono as principais atrações. Nos próximos posts estarei dando mais detalhes sobre algumas dessas atrações.

1) Basílica Nossa  Senhora do Pilar

A entrada fica na Plaza del Pilar, e é a catedral emblemática da cidade (século 18 e 19). Não deixe de ir até a ponte sobre o rio para ter uma outra vista dessa catedral (por trás), com sua torres imponentes e telhado policrômico.

O interior é monumental e impressionante, você anda, anda, anda, e o olho fica assim ó: arregalado… Singular. Fotos permitidas.

 

2) Catedral de San Salvador, ou simplesmente “La Catedral” ou “SEO”

Fica do lado da Basílica. Me impressionou muito. É como se diversas capelas complexas estivessem dentro dessa catedral. Via até um altar imenso em vermelho todo em estilo todo chinês, preciosíssimo, lá dentro. Proibido a vida toda fazer fotos no interior, tem um carinha lá circulando e abordando os turistas cara de pau que fazem fotos discretas sem flash. Como já levei minha dose de broncas sobre tirar fotos proibidas nessa vida, já faz um tempinho que para mim “proibido” é proibido mesmo. Cansei. Fiquei só observando os outros levarem reprimendas e eu rindo por dentro. A história diz que aqui foi um templo romano do Fórum da cidade Saraqusta antes da era cristã, virou igreja visigótica no comecinho da idade média e depois uma mesquita muçulmana. No século XII, foi convertida arquitetonicamente em igreja de estilo italianado. Mas o minarete mouro ainda está lá. É uma melange de estilos árabe, gótico, renascentista, barroco e neoclássico que podia dar muito errado – mas deu muito certo. Diante de tanta elegância e opulência, marido holandês teve que desistir do eterno ar blasé de quem já viu tudo e nada impressiona e me perguntar como era possível a igreja católica ter financiado tanta riqueza. Inocente, não sabe de nada. Para me economizar, eu disse apenas: “Ouro e prata roubados de toda a América Latina”.

Um dos muitos ambientes da SEO, foto via Pinterest

Tem um plus aqui: suba ao segundo andar e visite o Museu da Tapeçaria. É a técnica mais fina do mundo, técnica essa que se perdeu há centenas de anos atrás. A coleção de gigantescos tapetes de parede (11 no total) foi toda feita na Flandres (atual parte da Bélgica) em Brugges e Ghent. Dizem que esse é o melhor museu do mundo nesse tipo de exposição de tapetes. Há cenas da Bíblia, contando passagens complexas, com detalhes preciosos como fios da barba, dobraduras dos tecidos das roupas, renda e filigranas… tudo tecido em forma de tapete. Só para dar ideia da complexidade da técnica: meio metro de tapete tecido levava três meses de trabalho diário. Semanas depois visitei um castelo em Pau na França com ricos e preciosos tapetes Gobelin e achei a técnica bem menos impressionante que desses tapetes de Saragossa.

Detalhe de um dos tapetes. Foto via Pinterest.

Uma das salas com gigantes tapetes de parede, foto via tripsntance.com

3) Plaza de Toros

É de 1764 e está muito bem preservada. Em cores ocre e amarelo, vale a pena fazer uma visita (mesmo que você, como eu, não goste de touradas) para fotografar o exterior. E além do mais, fica bem pertinho da próxima atração: a fortificação Aljafería. (veja mais fotos minhas em breve no Instagram).

Eu, diante da Plaza de Toros de Zaragoza

4) Palácio Aljafería

Essa fortificação moura do século XI, com o passar dos séculos sofreu inúmeras modificações arquitetônica e foi palácio dos reis cristãos espanhois, Fernando e Isabela. Eu vou falar em mais detalhes sobre essa atração num próximo post, fiquem ligados.

O exterior tem um entorno bacana, com oliveiras, jardins e muito gramado (Foto minha, acima). O interior já foi muito destruído e modificado. Mas guarda parte do esplendor mouro (foto minha, abaixo). Mas, numa postagem separada. 

5) Museu do Fórum da cidade de Césaraugusta

Confesso: passei diversas vezes diante mas não o visitei. É uma entrada moderna (um cubo) com portas de vidro, que dão acesso às ruínas subtrrâneas da antiga cidade romana Césaraugusta durante os séculos I e II da nossa era (sim, essas ruínas passam por baixo da gigantesca catedral SEO, que mencionei acima). Para saber mais, visite o site oficial: https://www.zaragoza.es/ciudad/museos/es/foro  . Abiaxo, uma foto que peguei do site da Expedia (vou estar publicando minhas próprias fotos do exterior do prédio no Instagram).

Num futuro próximo, mais postagens sobre as melhores atrações de Saragossa!

Hasta luego…

________________

Ana Fonseca administra o “Brasil com Z” e mora na Holanda. Sigam-nos para atualizações diárias no Facebook, Twitter e Instagram. Blog “Brasil com Z”, um site coletivo, feito por brasileiros morando nos quatro cantos do mundo. Que se candidatar a participar do nosso time? Acesse aqui para mais informações. Agradecemos. 

Todas as nossas postagens sobre o “Dia dos Namorados”!

12/06/2018

 Ana Fonseca – Mundo

Amores gringos, Valentine’s, filmes estrangeiros românticos, rituais de união, novos códigos amorosos, amar um país estrangeiro com todos seus defeitos… Já falamos sobre tudo isso aqui no blog “Brasil com Z”e muito mais!

Confiram esse link:

Dias dos Namorados… com sotaque estrangeiro!

____________

Ana Fonseca mora na Holanda e administra o blog “Brasil com Z”. Acompanhem-nos no Instagram, Facebook e Twitter. Blog “Brasil com Z”: um site feito por brasileiros vivendo nos quatro cantos do mundo!

Dia dos Namorados é o ano todo!

11/06/2018

Edu Justo – Espanha

Neste clima de ressaca após o Dia do Namorados, gostaria de falar de dois destinos muito românticos e pouco explorados (ainda) pelos casais de todo o mundo: o Lago de Como e Verona, localidades muito próximas de Milão, no Norte da Itália.

como_1

Foto: arquivo pessoal do autor

Localizado na região da Lombardia, o Lago de Como é o mais profundo da Europa e o terceiro maior da Itália. Lugar tranquilo e encantador, serviu de cenário para grandes filmes como 007-Cassino Royale e Star Wars, e aparece em quase todos os comerciais da Nespresso protagonizados por

Leia mais…

Leipzig, a cidade da música

31/05/2018

Lilian Nosralla – Leipzig, Alemanha

Eu fiz essa semana que passou uma viagenzinha a Leipzig (Lípsia em português), a cidade da música. Fica a uma hora e meia partindo de trem da estação central de Berlim.

IMAG5987.jpg

Chegando de trem na estação central da cidade (Hauptbahnhof) aproveite que tem um shopping dentro e faça uma pausa pra comer ou pra comprar um shampoo ou desodorante tamanho viagem, caso você tenha esquecido de colocar na mala.

Leia mais…

Posts primaveris: vale a pena ler de novo!

30/05/2018

 Ana Fonseca – Mundo

Produtos sazonais chegando aos mercados, visitas a parques naturais, shows, festivais e concertos ao ar livre, alergias típicas dessa época do ano, hora de pôr coisas fora e vender em mercados de artigos usados (“braderies”). As estações do ano no hemisfério norte são bem marcadas, e a chegada da primavera transforma todo o visual das paisagens. Pode ser um época complicada: dias de sol seguidos por tempestades, vontade de sair de casa para curtir as altas temperaturas e ao mesmo tempo de se trancar para não ficar exposto ao pólen. A seguir, uma lista de postagens para se (re)ler nessa época do ano, que está quase acabando:

As belezas naturais de Alberta, no Canadá

Festival de tulipas no Canadá. Foto via: nossa autora de Edmonton, a Tallitha Campos. 

Leia mais…

Começando uma horta na Áustria

29/05/2018

  Elieser Borba – Áustria

Nos últimos dias recebi o contato de um antigo colega de trabalho que está vindo morar na Áustria com sua esposa daqui para uns meses. Ele, que não falava comigo por um período significativo, curiosamente leu meu primeiro artigo no “Brazil com Z” ao procurar informações sobre a Austria na Internet e desde então temos nos falado bastante. Dentre as perguntas que ele tem feito sobre como é viver neste país uma foi crucial e foi sobre os gastos com alimentação. Partindo daí surgiu a ideia de escrever este artigo.

Em geral, as pessoas que tem o desejo de sair de seus respectivos países constumam perguntar bastante sobre como funcionam as coisas nos locais para onde planejam viver. Sempre bato na tecla de ser imprescindível estar ao máximo familiarizado com o idioma, mas certamente outros pequenas questões são de muita ajuda nessas empreitadas. Além de me ater ao ponto destacado anteriormente que é concernente à língua venho conversando muito com minha esposa sobre maneiras de economizar nos gastos do lar. Ideias que vão desde o consumo mais consciente de água e energia elétrica até as compras no mercado.

Leia mais…

Museus Imperdíveis nos Emirados Árabes Unidos

23/05/2018

Carlos André Marinho – Emirados Árabes

As-Salamu Alaikum, viajantes !!! Os Emirados Árabes Unidos apesar de ser um país relativamente novo (46 anos) essa região do golfo tem muita história.  Em 02 de dezembro de 1971, 07 Emirados se uniram para formar um país – história contada no Etihad Museum, em Dubai.

O grande idealizador desse projeto foi o então Sheikh de Abu Dhabi Zayed bin Sultan Al Nahyan que em parceria com o Sheikh Rashid bin Saeed Al Maktoum, de Dubai construíram o alicerce necessário para a unificação. Outros cinco Emirados: Sharjah, Ajman, Fujairah, Um Al Quwaim e Ras Al Khaimah também assinaram o tratado de união e se juntaram para a criação do país Emirados Árabes Unidos.

Cada Emirado tem uma história em particular, um cenário próprio de explicar o passado e registrar os fatos históricos. O que caracteriza cada Emirados, quanto ao processo histórico, é a relação de cada Família Real com o próprio espaço/território e a população local ligada a essas famílias.

As 06 Famílias Reais dos 07 Emirados
Abu Dhabi – Família Al Nahyan | Dubai – Família Al Maktoum | Sharjah e Ras Al Khaimah – Família Al Quasimi | Ajman – Família Al Nuaimi | Fujairah – Família Al Sharqi | Um Al Quwaim – Família Al Mualla.

Há dois ramos da Família Real Al Quasimi uma administra o Emirados de Sharjah e outro o Emirado de Ras Al Khaimah. Maiores informações sobre as Famílias Reais, no link:
https://en.wikipedia.org/UAERoyalFamilies

Ajman Museum.jpg

Ajman Fort Museum

Em geral cada Emirado, quando se trata de Museus, tem seu espaço reservado, e é normalmente um Forte (Antiga Fortaleza), haja vista que esses fortes eram as residências Reais dos Emirados; foram as únicas construções que sobreviveram ao tempo e as mudanças urbanas.

Leia mais…

%d blogueiros gostam disto: