Ingrid Mantovani

Paris, França

Viver na Europa nos proporciona uma visão de mundo completamente diferente da visão que estamos acostumados. Os europeus são diferentes e similares em seus atos e pensamentos, mas só conseguimos definir essas semelhanças e diferenças quando estamos mergulhados no ambiente dele.

Uma das diferenças que percebi foi a escolha pelo seus destinos de viagem. Os brasileiros, geralmente, escolhem praia. Tanto pela comodidade (já que a maioria da população mora próxima ao litoral), quanto pela economia.

Já na Europa, visitar outro país, fazer viagens buscando arte, cultura, história, belezas naturais, riquezas gastronômicas e etc, é muito mais fácil e econômico. Portanto as opções são variadas e as viagens costumam enriquecer a população culturalmente.

Disse tudo isso para falar que minha viagem preferida quando estava na Europa foi uma visita de uma semana à uma cidade que é menos conhecida que alguns de seus habitantes, Liverpool.

Albert Docks em Liverpool

Meu namorado estava em Londres me visitando pela primeira vez. Muito apaixonados e prontos a aceitar qualquer coisa, decidimos essa viagem de última hora para a terra dos Beatles.

No dia seguinte da nossa chegada fomos perguntar informações turísticas ao recepcionista do albergue e depois da segunda frase já não entendia mais o inglês do senhor, muito solicito, que parecia explicar tudo. Deixei o entendimento para meu namorado que já morava mais tempo na Inglaterra e estaria preparado para esse tipo de problema. Engano. Saímos de lá  sem informação já que o sotaque de Liverpool conhecido como Scouse é difícil até para os britânicos de outros lugares entenderem.

Apesar dos problemas de comunicação, descobrimos uma cidade encantadora. Estava sendo exposta uma bienal de arte moderna na rua, então, em qualquer lugar que passávamos poderíamos tropeçar em alguma obra de arte.

Obra de arte da Bienal

O museu dos Beatles é uma gracinha, bem organizado e nos deixa emocionados. Mas o que surpreendeu mesmo foi o Tate Modern,que possui um acervo de obras de arte contemporânea tão completo que não existe em uma cidade grande como São Paulo, por exemplo.

A noite foi muito divertida. Eu e meu namorado fizemos nosso famoso “pub crawl” (o ato de beber em vários bares ou pubs em uma mesma noite) que finalizou no the Cavern, local onde os Beatles tocavam.

Rua de Liverpool

Ao deixar aquela cidade, tão pequena, mas cheia de calor e arte, senti uma pontada de tristeza. Mas hoje tenho um pouquinho de Liverpool comigo.

Mais viagens da Ingrid?

Colônia

Giverny , La Maison de Monet (Dica do viajante)