Skip to content

Itália: Pão, Amor e Serviço Sanitário (parte II)

20/07/2009

(acima um fax simile da “receita vermelha”)

O médico de família também é o responsável por prescrever as receitas médicas. Aqui na Itália existe um certo controle na venda de remédios. Muitas farmácias só vendem anticoncepcional com receita do médico… às vezes a gente até pode achar um farmacêutico que venda sem, mas depende exclusivamente da sua boa vontade, etc.

Existem duas receitas: a receita “branca” e a receita “vermelha”. Normalmente o receituário branco é usado para prescrição de remédios que não são cobertos pelo Sistema Sanitário. Já o receituário vermelho é usado para remédios e exames médicos com cobertura total e/ou parcial do SSN.

Um exemplo prático: semana passada comprei um remédio para asma. Sem a receita vermelha eu teria pago 51 euros. Com a receita vermelha eu só paguei 4 euros pelo remédio. Muitos remédios para tratamento de doenças crônicas têm 100% de isenção, mas o paciente tem que levar a receita vermelha.

A mesma receita é usada para exames médicos. Nesse caso funciona da seguinte maneira: quem ganha até 8.263,00 euros por ano ou se todas as rendas da família não superarem 11.362,05 é totalmente isento do pagamento de uma parte dos exames médicos.  A isenção também engloba crianças até 6 anos de idade; idosos acima de 65 anos, desde que a renda último não supere 36.151,98 euros; desempregados; inválidos e doentes crônicos; deficientes visuais e auditivos; inválidos graves de guerra; acidentados no trabalho; menores de 18 anos que precisem de acompanhamento médico; mulheres com gravidez de risco, portadores de HIV.

Todos aqueles que não se encaixarem nessas categorias pagam um percentual para realizar os seus exames em hospitais públicos, além de clínicas e hospitais particulares conveniados com o SSN.

O valor que pagamos, porém, pode ser abatido no imposto de renda, desde que as despesas médicas anuais (entre exames médicos, consultas e remédios) superem uma quantia de mais ou menos 124 euros. Agora não lembro bem a quantia, mas me informarei, para passar a informação correta para os nossos leitores.

Aprendeu um pouco sobre a saúde italiana? Depois de muito burocratês, no próximo post falarei da minha experiência pessoal como paciente, e passando da teoria para a prática veremos o que funciona e o que não funciona. [continua]

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: