Skip to content

Toda brasileira é bunda

17/03/2010

Mirelle – Lyon, France

 

Francês não tem muita noção das coisas, principalmente os criadores do curso de francês para estrangeiros da universidade onde estudo. Com certeza nunca estiveram no Brasil nem conhecem muitos brasileiros. Onde já se viu oferecer aulas para ensinar gírias e palavrões à gente diplomada no assunto como eu? Tá, palavrões eles não falam, mas expressões maliciosas não faltam na língua francesa. Alias, não faltam em língua nenhuma, só não esperava aprender isso na sala de aula! Para disfarçar a pouca vergonha, chamaram a matéria de “Francês familiar”, sei…

O professor, um negão cheio de estilo, me cativou logo nos primeiros 5 minutos de aula:
– De onde você veio?
– Brèsil.
– Hum, que bom! Meu tataravô era brasileiro, da Bahia.

Rá! Virou amigo de infância! Não sei se por isso, mas as aulas dele são as minhas preferidas. Ou talvez por ser lá onde eu aprenda a chamar policial de “poulet” (frango). Claro que ele ri e avisa imediatamente que não podemos usar a gíria na frente das autoridades, mas falar isso pra corintiana é como dar bom dia ao cavalo, né?

Na última semana o coitado ensinava ao bando de chinesinhos e às 2 pervertidas da terra do samba (Carol e eu), as partes do corpo humano, para no final entendermos melhor algumas expressões como “custa os olhos da cara”. Carol, sambista toda vida, logo deu falta de duas partes importantíssimas para o funcionamento de todo o resto:
-Professor, e as partes que faltam?
– Hã?
– Do homem e da mulher, aqueeeeelas…

Juro que eu nunca tinha visto uma pessoa ficar tão sem graça! Ele disfarçou, pensou, gaguejou e quando viu todos aqueles olhinhos puxados ‘made in China‘ se arregalarem a espera da resposta, escreveu “pénis” et “vagin” na lousa e apagou 10 segundos depois. Carol ficou p. da vida! Não entendia como um professor de país de primeiro mundo que ensina expressões contemporâneas francesas, podia ter ficado tão chocado com uma pergunta típica de jardim de infância. Eu ri e fiquei imaginando o que se passava na cabeça do mestre: “ah, essas brasileiras…”. Não é mais ou menos isso que todos eles pensam?

Muitos brasileiros ficam extremamente ofendidos quando um gringo pensa que somos o que realmente somos: desbocados, autênticos, espaçosos, criativos e barulhentos. Tem gente que se incomoda pra valer quando ouve falar que toda brasileira é bunda. Uai, não é?

Podemos não ser bunda, mas como negar que a parte glútea do nosso corpo pipoca para fora do biquíni (do vestido, da saia e do short…) com mais frequência que o necessário? Fingir que isso não existe é como dar as costas para o nosso futebol, para o nosso acarajé, para a nossa MPB. Brasileira é bunda sim, e das boas! E tão importante quanto saber como se diz ‘orelha’ em francês, é saber como se diz ‘vagina’. Eu sempre precisei muito mais do ginecologista que do meu otorrinolaringologista.

14 Comentários leave one →
  1. 17/03/2010 14:59

    Assumo: sou popozuda.
    Sofro.

  2. 17/03/2010 15:38

    O problema nao é acharem que a gente é bunda. É acharem que a gente é SÓ bunda. É acharem que a gente é tudo puta e que por isso nao precisam respeitar. Acontece muito, né?

  3. 17/03/2010 15:41

    Eh isso mesmo Nadja. So bunda nao rola, como escrevi no texto. Mas morando aqui na França e vendo como sao sem graça as francesas, acho o maximo ter essa coisa que so as brasileiras tem. Alem do mais, quem realmente precisa saber se eu sou ou nao inteligente, vai saber. O povo na rua não precisa saber o nivel do meu QI ne?

    Beijos!

  4. Lis permalink
    17/03/2010 19:32

    Pois é… Só que na grande maioria das vezes, eles (principalmente eles) pensam que somos só bunda. E para uma “negrona” como eu, popozuda como muitas brasileiras, é muito mais complicado. E eu me incomodo quando dizem que toda brasileira é bunda, afinal, cria uma lenda urbana e um estereótipo dificil de reverter. Quem sabe, só quem já passou por situações de preconceito forte pode concordar comigo. Suponho que não foi o seu caso, porque se não, nunca escreverias algo assim.

    • glendadimuro permalink
      17/03/2010 19:41

      Pois é meninas…caso difícil. Eu também concordo que brasileira não é só bunda, e tenho lá minhas dúvidas se somos mesmo algo de “bundas”…
      Mas não concordo quando dizes que todos os brasileiros são desbocados, autênticos, espaçosos, criativos e barulhentos. Talvez os franceses sejam meio “mais ou menos”, “xoxos”, “sem sal” ou qualquer coisa do tipo, mas aqui na Espanha, o pessoal é muito mais desbocado, espaçoso e barulhento que muito brasileiro… Eu mesma não me considero nem desbocada, nem espaçosa e nem barulhenta (será que virei européia???). Quem sabe eu também não tenha a bunda tão grande assim…
      E me arrisco a dizer que por aqui também tá cheio de popozudas… Mas a fama vai para as basileiras!

  5. 17/03/2010 20:03

    Gente a idéia do post foi brincar um pouco com a fama que nos levamos. Francês tem fama de fedido, brasileiro tem fama de malandro! Sao esteriotipos que cada um precisa quebrar no dia a dia, individualmente. Mas nao da pra negar que eles existem.

    Claro que eu nao sou so bunda. Mas acho natural demais as pessoas fora do Brasil pensarem que é assim. Ja viram o tamanho dos nossos biquinis? Eu so percebi quando fui para a praia na Grecia, fiquei com vergonha de usar o meu, que usava tranquilamente no Brasil e comprei um gringo, daqueles enormes. Me senti melhor.

    Puff Dady chegou no Brasil e do seu hotel de frente para o mar no Rio de Janeiro escreveu no twitter: “no Brasil! Isso aqui é um mar de bundas!”. Da pra culpar o cara???? Vamos fazer o que? Começar a usar biquinis enormes em plena praia de Copacabana e perder a magia toda so pra provar que somos serios?

    Nao rola.

    • glendadimuro permalink
      17/03/2010 20:27

      Eu tb não uso meu biquini do Brasil aqui…hahaha…no final até gostei, já que nunca usei fio dental mesmo…pelo menos não fica toda hora entrando na bunda!
      E quem vai no Rio tem uma overdose de bundas, isso é verdade! 😛
      A questão não é provar ou não provar, é mostrar que nem todas brasileiras são bunda, que nem todas usam fio dental, que nem todas sambamos…. isso que é dificil! ô se é difícil…

  6. 18/03/2010 13:52

    Quando eu vim morar na Holada o pessoal ficou desconfiado que eu fosse dancar em cima da mesa.
    Cada um tem o direito de ter a ilusao e fantasia que quiser a respeito dos outros.
    O unico que fazia comatario da minha bunda era um africano gay, colega de trabalho. Ficava: “Oh, darling ! Look at her ! Everybody now ! Stop ! I said “everybody” ! I said: NOw !! Look at her !! It is written in your buttocks that you are Brazilian !! I love that ! Fantastic! ”
    Pode ?
    Mirelle: e’ claro que eu sei que seu post foi uma brincadeira e uma provocacao. O povo (=leitores) leva tudo muito a serio !!

  7. alemosquera permalink
    21/03/2010 17:15

    Acho que entendi o que a Mirelle quis dizer. É claro que nao somos APENAS, ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE bunda, mas nao temos que ter medo de assumir essa fama de sexy que nós temos, primeiro porque é verdade, porque é o que acontece e ponto. Segundo, porque pode ser um diferencial e algo positivo, como o amigo gay da Anita, que achava bonito ter bundao. É claro que é muito chato quando somos taxadas de gostoas e putas, mas eu tbem acho que devemos assumir nosso lado sexy sim, nao tem porque ter vergonha, medo, ou sei lá o que. Quando meu marido disse que tinha conhecido uma brasileira aos seus amigos, todos pensaram que eu era uma mulata gostosa dessas de escola de samba, mas nao achei algo ofensivo, pelo contrário. Eles pensaram que eu era um furacao de mulher, e bem que queria ser! 🙂 Acho que depois se decepcionaram quando me conheceram e viram que eu tinha mais de europeu que de brasileiro.

  8. Rodrigo permalink
    21/03/2010 17:32

    É…quando leio comentários com essa padrão e lembro que ainda “sou” brasileiro…a vergonha e a decepção ganham espaço ao ponto de quase me deixar frustrado.

    Bom, em alguns meses abandono essa nacionalidade “malandra” e assim espero esquecer que tive algum ponto em comum com pessoas “tipicamente brasileiras”.

    *Superficialidade é pouco.

    Rodrigo, Genebra.

  9. 21/03/2010 22:02

    O dia que eu começar a escrever de forma chata, pesada e totalmente fiel à realidade de qualquer fato, por favor, me enterrem!

    Ja tem blogueiros demais por ai defendendo o Brasil e a seriedade (?) do povo brasileiro! Prefiro o outro lado, o mais gostoso.

    PS: acabei de chegar do cinema, assisti ao filme “Desert flower”. Quem acha o Brasil um pais machista, devia ver também, vai abrir mentes.

  10. 24/03/2010 10:42

    Com certeza é muito mais importante saber como se diz vagina que nariz ou orelha. Concordo 100% 🙂
    Ótimo post, adorei.

  11. 27/03/2010 11:59

    Obrigada Gabriel!

    Fui dar uma espiada no teu site: UAU! fotos lindas!

    parabens pelo otimo trabalho!

  12. Carla permalink
    20/04/2014 9:53

    Olá,
    Nunca viajei ao exterior como vcs, mas tenho contato com estrangeiros que passeiam pelo Brasil. Eu sempre vejo falando da fama da brasileiro… Mas aqui vai a minha opinião: eu trabalho e conheço muita moça brasileira, principalmete mulatas/negras, e acredito que esteja relacionado ao comportamento que, às vezes, é estravagante. Exemplo: uma vez estava viajando em Bonito e a mãe de uma das meninas hospedada no hostel achava que eu devia estar pegando (“beijando e transando”) um cara que conheci durante a viagem, pois eu tive a sorte dele me achar bonita. Muitas negras e mulatas brasileiras são muito carentes e elas acham tudo muito chique. Pode ser a fama relacionado a mulata/negra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: