Skip to content

Morar de graça na França? Oui!

21/03/2010

Mirelle Siqueira
Lyon, França

 

Uma das tarefas mais difíceis para qualquer estrangeiro que chega na França é arrumar um lugar para morar. A burocracia é enorme, tudo é muito caro, muito pequeno e/ou muito velho. O mais comum é dividir o aluguel com desconhecidos ou sublocar apenas um dos quartos de uma casa grande, onde moram outras pessoas. Se for para praticar o desapego, já que nenhum imóvel vale quanto custa, que seja no país mais charmoso do mundo, certo? É esse argumento que me conforta todos os meses, ali pelo dia 5…

Tão grande quanto o numero de estudantes sem-teto é a solidão dos velhinhos franceses, ainda que ser idoso por aqui não seja tão difícil quanto no Brasil. Aqui, a vida da melhor idade é tão ativa que o francês se habituou a deixar seus velhinhos soltos por ai. Chega a ser engraçado as senhoras de 276 anos dirigindo no trânsito, fazendo jus a carta de motorista que (pasmem) ainda é vitalícia na França. Não sei o que colocam na água dos françolas, mas esse povo não morre nunca! O problema é que a ultima parte da vida, eles passam quase sempre sozinhos. Os filhos já estão criados, casados e o velhinho fica ali, na rotina tranquila de ir ao mercado todos os dias. Só de pensar já fico entediada.

Quem diria que o problema do mais jovem poderia ser resolvido pelo mais experiente e vice-versa? Uma idéia simples que veio da Espanha, chegou na França em 2004 com o PariSolidaire, uma organização que une jovens e idosos em uma troca de boas ações. E danem-se as décadas de diferença! Pessoas com menos de 30 anos se alojam em quartos individuais nas casas dos idosos e em troca fazem companhia aos proprietários e partilham as tarefas domésticas.

A associação se compromete a definir as necessidades de ambas as partes, verificar as condições do alojamento (conforto, disposição), identificar o perfil “ideal” do jovem, estudando seus anseios e motivações e analisar individualmente cada inscrição para garantir o convívio harmonioso entre todos.

Para estar apto a se inscrever, o idoso deve apenas dispor de um quarto livre e coração aberto para receber seu novo hospede. Já o jovem, precisa ter comprometimento, paciência e respeito pelo seu acolhedor. Achei o projeto muito interessante, principalmente para estudantes estrangeiros que querem conhecer a língua e a cultura francesa. Existe maneira mais rápida de aprender que mergulhando no dia a dia de uma senhora francesa? Além disso, é um jeito mais econômico e confortável de morar no país mais caro do mundo.

Idoso e jovem podem optar entre duas formulas durante a inscrição: solidário (hospedagem sem custo, apenas em troca de companhia) ou convivial (com participação financeira). Sempre há uma pequena taxa de inscrição e em alguns casos uma mensalidade que chega a ser ridícula perto dos alugueis cobrados na França, vale mesmo a pena. Para saber tudo sobre o processo de seleção e sobre as tarifas consulte o site do PariSolidaire.

2 Comentários leave one →
  1. JUnior permalink
    22/03/2010 0:01

    Nossa, deve ser ótimo! Principalmente porque francês não é nem um pouco ranzinza e adora tomar banho! Imagina esses velhinhos =)

  2. Paulo Vilela permalink
    06/02/2012 2:29

    kkkkk…
    Júnior, muito engraçado, o seu comentário!
    De qualquer modo, eu gostaria muito de participar, se falasse francês.
    Gosto demais dos coroas. Do jeito como eles veem a vida.
    São uns fofos..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: