Oscar Augusto
Delaware, Estados Unidos
 
 

Resolvi sentar em frente ao computador hoje para compartilhar uma experiência quase mágica que é a florada das cerejeiras.

Obviamente não existe lugar melhor no mundo para isso que no Japão, embora o genero prunus tenha origem na China e Índia , cruzamentos, melhoramento genético e mutações induzida ao longo de séculos criaram centenas de variedades naquele país. Hoje estima-se que existam no Japão mais de 300 diferentes variedades da espécie.

A Florada das Cerejeiras é algo tão importante para os Japonses que todo ano, a Agência Meteorológica e um público estimado em 100 milhões de pessoas acompanham a sakura zensen (a frente de floração das cerejeiras) conforme ela avança através do arquipélago Japonês.

O desabrochar começa em Okinawa no final de Janeiro e tipicamente chega em Kyoto e Tóquio no fim de Março ou começo de Abril. A frente de calor e o desabrochar das flores segue para áreas de maiores altitudes e para o norte, chegando em Hokkaido algumas semanas depois.

Embora não esteja no Japão, mas quase do outro lado do mundo também no hemisfério Norte podemos apreciar este espectáculo de rara beleza, na mesma época do Ano.

Já havia ouvido falar que o melhor lugar para se observar a floração da Cerejeira aqui nos EUA era em Washington e como tivemos um inverno rigoroso a floração este ano prometia ser espetacular. Mal havíamos retornado de férias do Brasil e decidi dar um pulinho em Washington DC com duas amigas que estavam nos visitando da Califórnia, a cerca de 2 horas de carro de Delaware.

A história das Cerejeiras de Washington remonta há quase um século atrás, quando a Cidade recebeu em 1912 as primeiras mudas de Cerejeiras de presente da cidade de Tóquio para celebrar a então crescente amizade entre os EUA e o Império do Japão.

Em uma cerimônia simples no dia 27 de Março de 1912, a primeira-dama Helen Herron Taft e Viscondessa Chinda, esposa do então embaixador do Japão nos EUA, plantaram as duas primeiras árvores do Japão na margem norte da bacia do Rio Potomac. E em 1935 ocorreu o primeiro festival nacional da floração das cerejeiras “National Cherry Blossom Festival”.

Veio a Segunda Guerra Mundial, a relação amistosa entre os dois países se complicaram culminando com o lançamento das bombas atomicas em Hiroshima e Nagasaki. O Japão assina sua rendição Incondicional e no decorrer da história as relações voltam a ser amistosas. A ponto que em 1965 a então Primeira-dama Lady Bird Johnson aceita mais 3.800 árvores oriundas do Japão.

Em 1981,um fato curioso, horticultores japoneses receberam mudas de árvores produzidas a partir de estacas colhidas em Washington para substituir algumas árvores, que haviam sido destruídas em uma enchente em Tokio no Japão. Podemos até dizer que as Cerejeiras de Washington serviram como uma espécie de Banco de Germoplasma.

A partir de 1994 o Festival foi ampliado para duas semanas, e hoje acomoda um cronograma com diversas artísticas e culturais durante toda a Floração das Árvores.

Hoje, mais de um milhão de pessoas visitam Washington DC a cada ano para admirar as cerejeiras florescendo e participar de eventos que anunciam o início da primavera na capital da nação.

Se você quiser ver este espetáculo é bom ficar de olho, a cada ano ela acontece em uma data diferente, sempre por volta da últimas semana de Março e primeira Semana de Abril, tanto que a data “média” da florada é 4 de Abril.

Mas este ano ela veio mais cedo, a florada durou do dia 27 de Março a 5 de Abril tendo o último dia do mês de Março o seu pico, exatamente um dia antes da minha visita.

Veja Site do National Cherry Blossom Festival

Veja o Post Completo no Mauoscar