Skip to content

Paisajes argentinos – Patagonia

03/05/2010

Nadja G. 
Buenos Aires, Argentina

 

A Argentina é um país que possui um vasto território – o oitavo maior do mundo – com diversas e variadas paisagens. Mas neste post vou falar de uma região que, pelo que conheci, está entre as mais bonitas não só do país mas até do mundo: a Patagonia.

A Patagonia abarca o sul do Chile e da Argentina e é a parte mais austral da América do Sul. Abaixo dela, só a Antártida. Ou seja, faz frio pra dedéu. Viram a foto de satélite? Tudo coberto de neve!

 As paisagens por lá são deslumbrantes. Montanhas, neve, lagos, glaciares gigantescos. Não conheço tanto quanto gostaria de lá, porque é longe de Buenos Aires e caro. Aqui não rola Easy Jet nem Ryan Air, minha gente!

A cidade da região mais conhecida entre os brasileiros com certeza é Bariloche, também conhecida como “Brasiloche” de tanto que a brasileirada vai lá ver neve pela primeira vez com pacotes em 12 X sem juros da CVC.  A foto abaixo eu tirei quando fui pra lá em abril de 2003. É a vista do Monte Campanario, um dos montes com vista panorâmica da cidade. Você chega lá de “aerosilla”, ou seja, de teleférico. Imagino que no inverno deve estar tudo nevado e ainda mais lindo.

 Outro lugar lindo de viver (como diria a Hebe Camargo) que eu tive a oportunidade de conhecer por lá é Ushuaia (que a gente tem mania de pronunciar “Uchuaia” mas os argies dizem “Ussuaia”). Localizada na província de Tierra del Fuego (adoro este nome!), é a cidade mais austral do mundo, tanto que tudo lá é “del fin del mundo”: alfajor “del fin del mundo”, porto “del fin del mundo”. É um baratinho. Fica pertinho de Buenos Aires, como vocês podem ver na foto. É um pulinho, né!

As paisagens por lá são lindas, a cidade é uma graça e os passeios, como os de barco por exemplo, são incríveis. A foto abaixo é uma vista da cidade e de um dos glaciares ao redor. Tirei em um passeio de barco. Tava um friiiio! Era janeiro, ou seja, pleno verão, e o máximo de “calor” que pegamos lá foi 10 graus.

Mas com certeza vale a pena passar um pouco de frio!

Uma coisa imperdível na Patagonia mas que ainda não pude conhecer são os glaciares, praticamente “rios de gelo” que, pelo degelo, formam lagos. Os mais conhecidos são o El Calafate, o Perito Moreno e o Upsala. Eles ficam na província de Santa Cruz, famosa não só por suas belezas mas por ser a terra dos Kirchner. Diz que eles são praticamente donos da província. Mas vamos deixar a política de lado e falar das paisagens que vale mais a pena. Pra vocês terem uma idéia da magnitude dessas massas de gelo, o Perito Moreno tem em média 30 m de altura e se espalha por 195 km2 de superfície, quase o tamanho da cidade de Buenos Aires. Enorme, né?

Como nunca fui pra lá, vou mostrar pra vocês uma simpática fotinho da minha mãe e o marido dela uns anos atrás lá no Perito Moreno. Espero tirar uma foto aí em breve! Coisa linda de Deus, né?

Bom, espero que tenham gostado do post e das fotinhos. Não coloquei muitos dados geográficos porque não sou Wikipédia e o Google tá aí pra isso! hahaha Até a próxima!

One Comment leave one →
  1. glendadimuro permalink
    03/05/2010 8:52

    Oi Nadja! Lugar lindo de CONHECER! Eu acho lindo paisagens e essas coisas de neve…hehehe…mas não queria viver num lugar onde sempre fizesse friiiio…bruuuu….

    Lá do sul sempre sai excursão para Barilóoooche… é muito “chique” ir para lá e depois dizer que esquiou…hahaha…

    Mas dizem que essa tal Tierra del Fuego, no fim do mundo, é realmente MA-RA-VI-LHO-SA e que vale muito a pena conhecer. Quem sabe um dia…

    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: