Skip to content

Casamento gay na Argentina

24/07/2010

Nadja G.
Buenos Aires, Argentina

 

Nesta semana foi promulgada na Argentina uma lei que ficou conhecida popularmente como a “ley del matrimonio gay”, que dá aos casais homossexuais os mesmos direitos que um casal heterossexual possui. Agora os gays podem se casar no civil e adotar filhos, por exemplo. Com isso, o país se tornou o primeiro na América Latina a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Geeeente, que coisa mudérna, né? Adorei. Achei incrível como em um país bastante tradicionalista e machista esta lei conseguiu a maioria dos votos no Senado (por bem pouco, mas conseguiu) e uns dias depois entrou em vigor, depois de um processo que durou anos. Não sei se a intenção realmente foi trazer mais igualdade à sociedade ou se prevaleceram os interesses em jogo – gays são eleitorado também, né? – mas, neste caso, o resultado valeu a pena. Até tô botando um pouco mais de fé na Argentina. 

Claro que nem todo mundo gostou da história. Dias antes da votação no Senado, houve um protesto de setores mais tradicionais e religiosos da sociedade contra a aprovação da lei. Tinha bem mais gente lá do que no protesto a favor. Além disso, mesmo com a lei já em vigor houve casos de  juízes que estão se recusando a realizar casamentos homossexuais.  E acho que ainda vem muita confusão pela frente!

Espero que esse tenha sido um dos primeiros passos para tornar a sociedade argentina mais aberta e igualitária e menos preconceituosa. E cá entre nós: em um país cuja sede do governo é um palácio todo rosa chamado “Casa Rosada” e onde os homens se beijam pra se cumprimentar, já tava mais que na hora de respeitar mais os gays, né? hehe Brincadeirinha, brincadeirinha…

A quem interessar possa, dei minha opinião e falei um pouco mais sobre o tema em um dos meus blogs pessoais.

One Comment leave one →
  1. 24/07/2010 4:50

    Acima do Bem e do Mal!

    Acima da capacidade intelectual e profissional, está a capacidade de reconhecer que nenhuma verdade é absoluta. Ter humildade em admitir seus próprios erros, mesmo que isto represente situações adversas, é digno e nos aproxima das outras pessoas. Ter autoconfiança, sim. Ser arrogante, JAMAIS. Não confundamos arrogância com coragem, ousadia, ou persistência.
    Escrevo este texto inspirado sobre Arrogância, postado no blog do meu amigo Wanderley Elian Lima, Novas Estações, porque foi num momento em que li de um deputado: “Não tenho dúvida de que essa decisão dará força a grupos de pressão no Brasil, grupos que já são recebidos no Congresso com uma pompa desproporcional, grupos absolutamente minoritários”, afirmou o deputado, em entrevista ao UOL Notícias. “É um exemplo danoso, muito próximo de nós.”
    A arrogância descrita acima, para mim, esta sim, vai muito mais além.
    Aliás, bem além do Poder Constituído.
    Porque digo isso? Há uma classe de pessoas que imbuídas de uma autoridade conseguida nas urnas, usam desse poder, para desprestigiar, para menosprezar, e para se colocarem perante a sociedade tupiniquim, como embaixadores do céu e do inferno!
    Por meio de bancadas, lobby, e ARROGÂNCIA, não fazem concessões, e não abrem mão, para os clamores de uma parte dessa sociedade, que também paga seus impostos, são seres humanos, e acima de tudo isso, são cidadãos brasileiros!
    A impressão que dá, é que vivemos num Estado Teocrático!
    Perante a lei, somos todos iguais? Se não somos, continuaremos na contramão da História, ou seremos movidos pela ortodoxia de alguns grupos religiosos? Continuaremos na arrogância em acharmos que somos a verdade absoluta? Estou falando aqui sobre pessoa física, portanto humana, e o Estado de Direito!
    Sabemos que o Brasil foi o último país a abolir a escravidão!
    Vergonhoso, não?
    O Divórcio só foi aprovado em 1977, Portugal já o havia aprovado em 1910!
    Onde estará a humildade para mudar o que é preciso?
    A presidente argentina Cristina Fernandez apóia o casamento homossexual, como questão de direitos humanos.
    Enquanto o país dela, e enquanto a Holanda, Suécia, Portugal, Estados Unidos e Canadá adotam leis que dá os mesmos direitos legais para os homossexuais, o Brasil fica em cima do muro, com a máscara da hipocrisia, bancando uma de moralista, da defesa das tradições, da religião, e dos bons costumes!
    Pasmem! Pasmem amigos de outras plagas!
    O nosso Congresso é a nata do mundo! É o centro do Universo! Nem a própria Igreja católica na Idade Média!
    O deputado acrescenta que nenhuma forma de união civil deveria ser admitida, tampouco a possibilidade de adoção por parte de casais gays. “Adoção deve ser feita por uma família, e não por um simulacro de família”, afirma.
    Se as tais bancadas e a igreja católica estão a serviço de Deus, dos anjos e dos profetas, que o sejam no âmbito teológico, ou procurem evoluir para melhor servir a sociedade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: