Barbara Basso
 Costa Rica

 

* Confusões lingüísticas: Aqui na Costa Rica, os nativos são chamados “ticos”, eles andam em “busetas” (uma buseta aqui é um ônibus pequeno… o engraçado é que tem uma empresa que se chama “Busetas Heredianas”) e eles comem, no café da manha, “pinto”, que pode vir acompanhado de ovos (“pinto” é um prato de arroz e feijão misturado, com cebola e pimentão… e sim, eles comem isso no café da manhã!)

* Endereços: Aqui não existem nomes de rua nem números de casas. Os endereços são dados em pontos cardeais e metros. Por exemplo,  o endereço do lugar onde eu trabalho é: 200m norte y 15m este del parqueo del Hotel San José Palacio. La Uruca, San José Costa Rica. (ou seja: 200m norte e 15m leste do estacionamento do Hotel São Jose Palácio. La Uruca é o bairro). O endereço dado em pontos cardeais e metros é o endereço oficial, só que é claro que as pessoas normais não andam por aí com bussola e fita métrica pra saber como encontrar o lugar que estão procurando. Então o endereço que eles usam fica mais ou menos assim: “Entras en el AMPM de Sabanilla, pasas 3 muertos, en el segundo portón a la mano derecha”. (traduzindo: AMPM é um supermercado, Sabanilla é o bairro, “muertos” são os quebra-molas – esse é o endereço onde eu morei na minha primeira semana aqui)

* Exército e Qualidade de vida: O país não possui exército! O governo daqui decidiu investir em educação e não em armas!! 🙂 Parece que funcionou, já que o nível de alfabetização é superior a 95%. E o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano, que mede, além da alfabetização, o PIB e a expectativa de vida) da Costa Rica é de 0,85 (maior que o do Brasil). Ah, sim… isso também significa que a expectativa de vida aqui é alta: 78,8 anos (a mais alta da América Latina).

* Comer frutas com sal: “Ticos” adoram comer frutas com sal: pegam frutas meio verdes (manga, goiaba) ou frutas ácidas (limão, laranja), colocam um pouquinho de sal e… comem!

 * “Guacala“: Sabe o “eca!” que a gente diz quando tá com nojo? Aqui se diz “guacala”! Acho muito engraçado.

* “Teu cabelo tá feio. Tu tá gorda“: Aqui é normal dizer essas coisas pras pessoas…pelo menos entre mulheres! E nem precisa ser aquela amiga íntima que te diz essas verdades com intenção de ajudar. Podem ser pessoas aleatórias mesmo (do tipo a empregada daqui da ONG um dia veio e me disse “Tu engordou né?”… pra mim soou muito grosseiro!)

* Os homens casam cedo (e têm filhos e fazem vasectomia cedo também): Já conheci muitos guris aqui que são casados/divorciados/tem filhos e têm menos de 30 anos. E muitos com mais de 30 que são separados e tem filhos grandes (12-15 anos). E a maioria deles, depois do(s) primeiro(s) filho(s), fez vasectomia (e até sei de um caso de um que casou de novo e aí fez uma cirurgia de reversão da vasectomia, pra poder ter filhos com a esposa nova… e ele tem uns 35 anos, calculo eu)

* As mulheres se maquiam. Muito: Todos os dias no ônibus, indo pro trabalho, tem pelo menos uma guria com um lápis de olho/rimel/delineador e um espelhinho. Todas as “ticas” andam com os olhos pintados. Sempre.
Até já nos disseram uma vez: “dá pra ver que vocês são estrangeiras, porque não usam maquiagem“.

* Eles acham normal bater nos filhos: Esses dias, no almoço, estava sentada na mesa com o pessoal daqui do trabalho e eles começaram a falar de educação dos filhos. Todos eles disseram que apanhavam dos pais e que batem (ou bateriam) nos filhos. Porque isso é normal, é a forma correta de educar os filhos… que trogloditas!

* Ticos odeiam Nicas: Ticos = pessoas da “Tiquicia” (Costa Rica). Nicas = pessoas da Nicarágua Os “nicas” vêm muito para a Costa Rica procurando melhores oportunidades de trabalho. É bem comum encontrar “nicas” trabalhando como empregadas doméstica, segurança, etc… E são muito discriminados pelos “ticos”: falam muito de “coisas de nica”, falam deles depreciativamente como “paisas” (não, nada a ver com os “paisas” colombianos, de Medellin)… reclamam que eles “estão invadindo a Costa Rica”, etc, etc… E os pobres nicaraguenses se sentem tão inferiorizados que eles mesmos acreditam que é justo que eles sejam discriminados. 🙁

* Influência dos EUA: Talvez pelo turismo gringo (gringo = alguém dos EUA) aqui, talvez pela proximidade (!?!), talvez porque a maioria dos “ticos” adoraria morar nos EUA… mas tem muita influência deles aqui… seja nos inúmeros e incontáveis fast-food que eles têm aqui, seja quando me vendem um “burrito de meia libra“, ou que é pra tomar “1 onça” de algo… quanto diabos é isso??  E o pior é que já perguntei pra pessoas daqui quanto era meia libra e a pessoa não sabia me responder. Afinal, eles usam as medidas iguais às nossas, só que aprenderam a comprar dos gringos nas suas medidas.

* O trânsito: San Jose (e todo o “Vale Central”) tem uma urbanização péssima: são poucos os caminhos pra cruzar a cidade (pra ir da minha casa até o trabalho existem 2 caminhos, só! Assim se acontece um acidente – que são bem frequentes – todo o trânsito para), a maioria das ruas tem no máximo 2 pistas (e que em geral se convertem em uma só logo em frente, o que causa uma fila gigante) e, com isso, um trajeto que levaria 10 a 15min (como ir da minha casa pro trabalho) leva no mínimo 1h – 1h30 em horários de pico (e, óbvio, como o horário de ir e voltar pro trabalho é horário de pico, eu SEMPRE levo esse tempo pra chegar no trabalho). Ah, e sem comentários para a forma “tica” de dirigir: se enfiando na frente dos outros carros, buzinando pra pedir espaço, acelerando quando alguém tenta te ultrapassar, com motos cruzando pelo meio do caminho…

* Praias: Quando soube que vinha pra um país entre o Oceano Pacífico e o Mar do Caribe, fiquei tri empolgada: PRAIA!!! Só que não é bem assim. Ainda não conheci nenhuma praia daqui que ganhe de Floripa (e muito menos do nordeste brasileiro). E sempre me dizem “Ah, mas é que as praias mais bonitas são as que estão longe de San Jose” e essas praias ficam há 5h – 6h de viagem. E tem só 3 ou 4 ônibus por dia… e todos entre as 6h da manhã e as 5 da tarde… nenhum de noite (ou seja, não dá pra usar aquele truque de viajar toda a noite e aproveitar o dia… e nem pra ir depois do trabalho e poder aproveitar o dia seguinte inteiro na praia). Então pelo jeito ainda não conheci (e nem vou conseguir conhecer) as tais praias bonitas daqui.

E a paisagem das praias aqui é bem diferente do que a gente tá acostumado: na maioria das praias a areia é preta (ou cinza) e a água do mar também é escura, porque como tem muitas ondas, elas reviram a areia e o mar fica cor-de-areia. Tem muitos coqueiros e muita vegetação na beira da praia (nada de dunas! aqui a beira da praia tem é mata! verde! e, claro, sombra!) e a água é extremamente quente!!! Às vezes o mar nem chega a ser refrescante… é praticamente a mesma temperatura dentro e fora d´água… tu praticamente fica suando enquanto toma banho de mar. Um dia com uns amigos daqui, entrei no mar (e a água tava fresquinha) e eu “Nossa! Que delícia!” e eles não entraram porque a água tava “muito fria”… fiquei imaginando eles nas praias do Rio Grande do Sul…

______________

Blog Brasil com Z, um blog feito por brasileiros expatriados dos quatro cantos do mundo. Sigam-nos no Instagram para ver fotos dos nossos autores em diversos países. E nossa pagina no Facebook para atualizações diárias de estudar, trabalhar e viver fora do Brasil. Acesse nosso Twitter aqui. Agradecemos!