Skip to content

Faltando um pedaço

03/08/2010

 
Claudia Lordao – Adelaide, Austrália

 

Quem decide largar tudo e tentar a vida em outro país, como eu fiz, vai entender o que eu sinto.

Acho que nunca mais me sentirei inteira. Vai sempre faltar um pedaço. Sinto falta dos amigos que deixei no Brasil, da minha família. Sinto falta dos lugares que gosto… de ver o Cristo, de passear na Lagoa, no Parque Lage… Sinto falta do escondidinho de carne seca da Academia da Cachaça. Sinto falta do Gula Gula e do café da manhã do Zona Sul.

Se um dia eu resolver voltar, sentirei falta dos meus amigos daqui, que são, ao mesmo tempo, a minha família australiana. Sentirei falta dos lugares que gosto… da massa do La Tratoria, do crepe da Kopenhagen, da pizza orgânica do Good Life. Sentirei falta das cores da cidade no outono, dos aniversários nos parques, dos passeios às vinícolas e das praias maravilhosas e vazias.

Aonde quer que eu vá, aonde quer que eu viva, não tem mais jeito! Vai sempre faltar um pedaço….

8 Comentários leave one →
  1. Karol Nascimento permalink
    03/08/2010 14:44

    A mais pura verdade! Nunca mais viveremos como antes.

  2. 03/08/2010 19:10

    entendo perfeitamente o sentimento… 🙂

    o bom de ser um quebra-cabeça de peças ao redor do mundo é que nos faz ser muito maiores do que seríamos sem todos esses pedaços 😉

  3. 03/08/2010 23:14

    Puxa Claudia!
    Sabe que consigo te entender perfeitamente?
    Ler o seu texto me fez refletir sobre os meus sentimentos nos últimos tempos: é exatamente assim, parece que tá sempre faltando um pedaço… mas que no fim, tem um lado bom, significa que vivemos bons momentos, que temos boas lembranças e pessoas especiaias guardadas na memória e no coração.
    Bjocas em pedacinhos ..hahahah =D

  4. 04/08/2010 4:39

    Uma vez migrante, turista para sempre.

  5. Andre permalink
    05/08/2010 4:17

    Concordo plenamente 🙂

    Eu tinha dificuldade de viver com isso qdo voltei ao Brasil… agora já me sinto melhor. Mas não foi fácil!

  6. 08/08/2010 18:32

    Cláudia, concordo que a gente nunca mais será a mesma. Eu morei 7 anos fora do Brasil, depois voltei, mas sabia que não ia conseguir morar lá por muito tempo. Acabei saindo de novo por um acaso e posso até voltar um dia, mas não tenho vontade…
    A condição de emigrada me satisfaz mais talvez. Eu não tenho saudade do Brasil e tenho tanta vontade de comer uma comida brasileira quanto o steak tartare que comi em Praga há alguns meses. Tenho saudade dos amigos e família, mas tenho muito contato com todos, recebo bastantes visitas e, além do mais, vou fazendo novos amigos por onde passo. Eu sinto que não me falta um pedaço, mas que tenho um pedaço a mais (o que não me deixa menos esquisita).
    Beijos

  7. 14/12/2010 12:28

    Eu desde pequeno ja sentia isso. Minha familia comecou uma verdadeira saga por diversas cidades do estado de Sao Paulo quando eu ainda era pequeno, 6 anos aproximadamente. Mudamos mais de 12 vezes em 15 anos. Sempre perdia todos meus amigos da escola, do bairro e tinha que comecar tudo de novo. Por isso nao foi dificil largar tudo no Brasil e vir aos EUA. Parece que eu ja nasci “dando tchau”.
    Esse sentimento de ser inteiro, o oposto de “faltando um pedaco” como a Claudia falou, eu nunca nem me lembro de ter sentido
    Abs a todos!
    Ps. Como eh que eu entro em contato com o povo desse site hein??

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: