Skip to content

As esquisitices da lingua francesa

14/08/2010

Mirelle Siqueira
Lyon, França

 

Como toda língua que se preze, a francesa também tem lá as suas esquisitices. Por exemplo, limão em francês é citron, mas se você quiser beber uma limonada, precisa pedir uma limonade. Que geralmente nem é o suco do limão com água, é só um refrigerante bem sem graça, tipo Sprite sem gás. Portanto, deveria se chamar ‘citronade’, não?

Mas confusão mesmo eu faço com os verbos aimer e adorer (amar e adorar). Para nos brasileiros, amar é mais forte que adorar, certo? Dizer que adorou a balada de ontem demonstra que ela foi legal e que você se divertiu muito, mas dizer que amou é praticamente afirmar que foi a balada mais incrível da sua vida. Pois na França é o contrario. Se você diz j’adore (eu adoro), quer dizer que, putz, você ama loucamente aquele prato, aquele lugar ou aquela saia florida. Ja o j’aime (eu amo) é tipo ‘eu gosto’: normalzinho, sem muito alarde. Vira e mexe, esqueço que para demonstrar o quanto eu sou louca por uma determinada musica, por exemplo, tenho que dizer j’adore cette musique e não j’aime cette musique.

E tem pior. Dia desses uma amiga brasileira que estuda moda aqui em Lyon estava contando que recebeu o primeiro grande elogio da sua professora. A mulher olhou para o vestido desenhado no papel e disse: c’est pas mal. Que bem ao pé da letra quer dizer: não esta ruim. Dai você vai pensar “pô, que elogio meia boca hein?”, mas vindo de francês é um puta elogio, acredite. É que receber esse tipo de agrado deles é uma tarefa meio difícil e quando se consegue, na maioria das vezes, tem certo ar de desdém. Principalmente em ambientes competitivos.

Outra expressão que ainda soa estranha aos meus ouvidos é o tal do c’est pas terrible. Traduzindo: não é terrível. Se alguém te falar isso você vai pensar o quê? Que tudo bem, não é tão ruim, certo? Errado. Em francês ‘não é terrível’ quer dizer que é sim terrível, e muito! E ai, eu me confundo toda. Enquanto em português, nos usamos a palavra não como negativa para amenizar a situação em “não é terrivel”, aqui na França a negativa do pas, que é o nosso não, enfatiza o lado ruim. Ou seja, c’est pas terrible significa que é realmente péssimo, embora soe como o contrario.

Essa balela toda é só para contar que ainda acho estranho ser chamada de madame por aqui, não me acostumo de jeito nenhum (mas essa esquisitice é minha mesmo). Madame é uma mulher casada, as solteiras são mesdemoiselles. Só que no Brasil madame tem outro sentido, diz ai? “Hum, você viu aquela madame saindo?”. Tem um ar de arrogância, de esnobismo. Sem falar que madame faz eu me sentir muito mais velha, sendo que até outro dia eu era mademoiselle para todo mundo. Claro que a aliança na minha mão esquerda mostra que eu não sou mais uma mulher solteira, mas mesmo quando me esqueço de colocá-la, me chamam de madame. Estou perdendo minha carinha de 18 anos ou será só a crise dos 30 chegando com um mês de antecedência?

Quer saber mais sobre a Mirelle e sua vida na França? Visite o seu blog pessoal!

4 Comentários leave one →
  1. 14/08/2010 18:15

    Olá !
    Sou um viajante, turista profissional, escritor e colunista de jornal. Estou escrevendo um livro sobre viagens com a idéia de poder ajudar as pessoas com consultoria de viagens. O livro já está registrado ( não publicado ), porém decidi por continuá-lo devido alguns roteiros que pretendo concluir. Já tenho uma coluna no site mais abaixo no jornal PARANÁ ONLINE.
    Também publiquei um texto no jornal Gazeta do Povo do Paraná e a Revista Panorama do Turismo já divulgou meu blog na última edição de junho/2010. Estou querendo ampliar a divulgação, pois tenho convicção que será o livro de maior incentivo ao turismo que já existiu, com vários roteiros interessantes e dicas importantes baseadas em experiências e argumentos contundentes de que viajar não é só para ricos e sim para aqueles que se esforçam e vêem o mundo como um só, com a possibilidade de cultura e conhecimento ao contrário do consumo materialista avassalador que temos na sociedade. Destaco que viajar é opção de vida, despreendimento e coragem com mensagens positivas para aqueles que sonham em viajar ou ir a um lugar distante, pois a única coisa que ninguém lhe tira são as lembranças. Afinal, quem não gosta de viajar ?
    O problema é que muitas vezes as pessoas ficam presas em certos paradigmas pessoais a serem quebrados. Tudo isso aliado a um alerta ao que os seres humanos estão fazendo com nosso planeta.
    Acredito que vai gostar das minhas idéias e publicações. Convido-o(a) para visitar o site e no blog. Se achar conveniente, vou adorar receber seu comentário. Suas idéias, elogios ou críticas são importantes para mim e se puder me passar alguma dica ou indicação com relação a uma futura possível edição, apoio ou divulgação da idéia, também agradeço muito. Trocar idéias e informações é muito importante.
    Embaixo do site nas publicações sempre encontrará a data da próxima publicação e o título. E mais abaixo também estão as últimas publicações passadas … sugiro que leia todas para entender a intenção deste livro que incentiva as pessoas a conhecer nosso planeta.
    Se acessar meu blog, vai ver que já tenho alguns PARCEIROS … que divulgarão meu blog em seus respectivos sites também, se topar o mesmo é só me avisar, assim quando acessarem um já tem acesso ao outro, ok ?
    Fico à disposição.

    Grande abraço, paz e boas viagens !

    Marcelo Kasprzak
    http://www.parana-online.com.br/canal/viagem-e-turismo
    http://www.omundoseuviaje.blogspot.com
    omundoseuviaje@hotmail.com

  2. 15/08/2010 2:24

    Interessante saber dessas diferenças, principalmente para mim que nunca estudou francês na vi da. É intressante como línguas latinas tenham tanta diferença umas com as outras né? Agora ser chamada de madame realmente não deve ser fácil né? Mas olhe pelo lado bom: melhor que ser chamada de rapariga em Portugal né não? rs. Boa Sorte ae na França e Sucesso!

  3. 17/08/2010 9:48

    Esses são os problemas de uma tradução literal. Cada língua é uma entidade diferente e não deveria ser comparada com a nossa, embora isso seja às vezes inevitável, não é mesmo?

  4. adriel cristiano permalink
    14/11/2011 2:44

    es como los falsos amigos entre portugues y español!!
    como ejemplo, acordar que en español es lembrar en portugues,y acordar en español se dice despertar! o sino taza(E),es xicara(P), vaso(E) es copo(P), entre muchos otros mas!!
    me gusta mucho los idioma latinos y sus caracteristicas!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: