Skip to content

EUA e Canadá: parecidos, mas diferentes

25/11/2010

Lilian Kano
Califórnia/Connecticut, EUA
 

 

Os EUA e o Canadá são países vizinhos e semelhantes em vários aspectos.

Hoje vou escrever sobre algumas diferenças, uma síntese do que postei no meu blog depois da minha visita a Vancouver há alguns meses.

Há muitos anos, na minha época de estudante, o Canadá me parecia o lugar mais atraente para estudar inglês fora. Tinha boas escolas, um custo relativamente baixo e ótima qualidade de vida.

Hoje, no entanto, o fator econômico mudou. O custo de vida, de forma geral, chega a ser mais alto do que nos EUA. A gasolina está cerca de 30% mais cara.

Os dois países são mesmo muito parecidos, nos costumes, no sotaque… Muitas redes de lojas e restaurantes são as mesmas. Ao cruzar a fronteira e entrar no país, senti uma ligeira mudança na arquitetura e também um ritmo mais relaxado. Impressões vagas. Comecei então a perguntar aos amigos locais o que achavam.

Alguém lembrou que ao sobrevoar os EUA, o que se vê é uma intrincada teia urbana se expandindo de encontro a outras teias, ao passo que no vizinho, há muito mais espaços verdes inexplorados, entre um povoado e outro. Fácil entender: a população americana é quase dez vezes mais numerosa que a do Canadá, segundo maior país do mundo (depois da Rússia), embora muito menos ocupado, cheio de vazios demográficos.

Foi uma surpresa para mim descobrir que apesar da área maior, por incrível que pareça, o Canadá tem um território cultivável, viável para a agricultura, de menor proporção que o dos vizinhos americanos, por causa de uma combinação de fatores, como qualidade do solo, clima e topografia.

Ao tocar no assunto com um amigo canadense, ele chamou a atenção para o fato de nos Estados Unidos sentirmos imediatamente uma forte presença militar nas bases espalhadas pelo país, quando no Canadá ela é bem mais discreta.

Sua esposa lembrou que o acesso ao álcool é mais restrito, ele é vendido em liquor stores, lojas específicas de bebidas, e não nos supermercados também, como na maioria dos estados americanos.

Muitos canadenses mencionam, com indisfarçável orgulho, o fato do porte de armas de fogo, exclusivamente para autodefesa, não ser facilitado no país, em contraposição à sua abertura nos EUA. Além disso, falam também da previdência social que cobre uma rede abrangente de necessidades, seguindo os moldes do oeste europeu. Em especial, do sistema de saúde, que investe em prevenção e dá a toda a população um acesso razoável aos cuidados médicos quando, por outro lado, muitos americanos não têm nem o benefício do seguro, por conta dos preços altos. Daqui, ainda hoje se cruza bastante a fronteira em busca de emprego e melhores condições de vida em território americano.

Contudo, o Índice de Desenvolvimento Humano das Nações Unidas colocou o Canadá em 4ª colocação no ranking mundial, ao passo que os EUA estão abaixo, em 13ª, de acordo com as estatísticas de 2009, baseadas em longevidade, educação e renda per capta (o Brasil está em 75o lugar).

Do ponto de vista religioso, no Canadá, o catolicismo ainda abocanha a maior fatia da população; e entre os americanos, o protestantismo é mais difundido.

Quanto ao bilinguismo canadense, as principais instituições públicas e privadas devem oferecer serviços nos dois idiomas, inglês e francês, e o Quebec é a única província oficialmente unilíngue. Muito se fala na fenda que existe entre as bandas francofone e anglófona, mas cada vez mais as pessoas tomam partido da situação, e encaram a necessidade de aprender ambos os idiomas como um precioso lastro cultural e uma excelente ferramenta para o mundo global.

O novo website da Lilian acaba de sair do forno. É o Panorama da janela! Visite !

8 Comentários leave one →
  1. 26/11/2010 15:07

    Oi Lilian, bem esclarecedor seu post, com exemplos claros. O Michael Moore entrevistou para o filme “Sicko” alguns canadenses sobre o sistema de saude do pais, que se parece mais com o europeu. Alias, o Michael Moore tem residencia fixa no Canada pois esta enojado com a politica militarista e a mentalidade dos estadunidenses. Sou grande fa do Michael Moore e gosto demais de muitos aspectos da cultura do Canada !

  2. 27/11/2010 15:14

    Eu sempre ouvi maravilhas do Canadá. Muito legal ouvir um relato de quem já esteve por lá. Outro dia vi uma reportagem que dizia que há muitos brasileiros imigrando para lá legalmente, graças a programas do governo.

  3. 29/11/2010 20:09

    Sim, Anita, em Bowling for Columbine Michael Moore também tocou de leve na questão “saúde” do país. Você viu?
    Gostei em especial do jeito laid back, simples, menos neurótico das pessoas que encontrei; do estilo de vida em sintonia com a natureza. Entre os imigrantes, havia muitos asiáticos também, Shigue.
    Mas o custo de vida é mais caro do que eu pensava.
    Abraços!

  4. kinka permalink
    30/05/2013 20:20

    Ola eu sou Angola, pretendor esudar no exterio, estou em duvida entre CANADA OU USA, onde posso estudar melhor com bons preços qualidade de vida e emprego

  5. 15/10/2013 17:01

    Minha esposa e eu chegamos no Canada em 2008, tendo o status de residente permanente. Atualmente somos canadenses, pois recebemos a cidadania em 2013.
    O Canada e uma pais muito mais complexo do que a maioria das pessoas descreve, tendo varios niveis de sutileza que sao visiveis apenas para os que muito observam. Assim como no Brasil, diferentes provincias vao apresentar caracteristicas bem especificas, tanto qualidades quanto problemas.
    Existe um sistema de saude publico aqui no Canada mas a coisa pode ser extremamente lenta e dificil, dependendo do que voce precisa. Eu digo que se voce mora em Sao Paulo e tem acesso a algum plano de saude privado razoavel voce esta melhor do que aqui no Canada tendo que lidar com o sistema publico e gratuito local.
    Poucos profissionais extrangeiros serao reconhecidos como qualificados para trabalhar aqui como tendo o mesmo nivel dos locais (ex: programadores). A maioria dos imigrantes qualificados tera que estudar novamente e provavelmente mudar de profissao. Sete em cada dez imigrantes que chegam pelo Skilled Worker Program deixarao o Canada em menos de um ano devido as dificuldades de arrumar algum emprego ligado a sua area profissional de origem. A maioria dos que ficam se submetem a posicoes abaixo do que se esperaria e se voce nao sair da sua ‘area de conforto’ voce provavelmente nao sera capaz de se manter no Canada.
    Nos gostamos muito de morar aqui e nao pretendemos voltar para o Brasil, mas e preciso entender que imigrar nao e um convite para jantar. E preciso fazer muitas e dolorosas concessoes, e so o tempo dira se a escolha foi certa ou nao.
    Quanto a estudar aqui no Canada, digo que podera ser uma otima experiencia.

  6. 08/12/2013 21:24

    Olá
    Gostaria de saber se um químico com doutorado e formado em uma universidade federal, teria alguma chance de trabalhar no Canadá?
    Comprando um imóvel fica mais fácil de se obter a cidadania?Obrigada Suly

  7. 27/03/2017 16:23

    Eu amo o Canada e hoje não o trocaria por nenhum pais. Mas imigrar e reiniciar uma vida no Canada não e tao simples como muita gente imagina. Quanto ao bilinguismo eu também achei que o Frances fosse alem do Quebec, porem existem algumas comunidades pequenas que são francofonas em Alberta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: