Júlio Cesar Caruso – Colaborando de Tóquio, Japão

 

Sempre me perguntam se os japoneses gostam dos brasileiros. Eu digo que em geral sim, mas isso é muito relativo. Talvez um japonês que já tenha tido algum problema com um vizinho brasileiro, tenha se separado da mulher brasileira, esse sim deve se recusar até a ouvir bossa nova que é pra não lembrar de brasileiro nenhum. Do mesmo modo que se me perguntarem se eu gosto dos japoneses, responderei que em geral sim. Só no trem que encontro mais carinhas do tipo que eu não gosto! Mas uma coisa é certa: há japoneses e japoneses. OK! Pode parecer que estou dizendo algo óbvio demais, mas me refiro a uma separação de grupos muito peculiar aqui no Japão! Falo dos japoneses que nunca saíram do Japão ou tiveram qq contato com estrangeiros e daqueles que já viveram fora, são casados com estrangeiros ou trabalham com estrangeiros.

É notória a diferença dos dois grupos. Aqueles que já saíram daqui alguma vez falam de maneira diferente, reagem de maneira diferente, conversam normalmente, aliás, puxam conversa, riem, dão opiniões, se expressam e acima de tudo sabem o que nós estrangeiros sentimos. Eu costumo sempre acertar na mosca! Dia desses foi com o barbeiro. Ele que puxou conversa comigo e me perguntou de onde eu era e tal. Depois de uns 5 minutos num gostoso bate-papo, eu perguntei a ele quanto tempo ele havia morado fora. Ele arregalou os olhos pq até o momento, ele não havia mencionado nada. E ainda me perguntou: como vc sabe?? Eu falei?? Eu disse que não havia falado, mas que eu notei que ele não era um japonês, digamos, comum. Ele riu e respondeu: morei 10 anos nos EUA e tive que voltar para cuidar de meus pais. Na mosca!

Outro dia foi com um taxista. Esse tbm puxou papo. Ficamos conversando e rindo até que eu perguntei em que país ele havia morado. Ele disse: Lugar nenhum! Quando eu estava começando a achar que minha teoria estava indo por água abaixo, ele completou: bom, minha esposa é filipina e já ficamos lá 3 meses, mas a gente sempre vai pra lá! YES!!!!!!! Mais um que acertei!! !…de tabela, mas acertei! Enfim, eles são nitidamente diferentes. Agora, morar fora, somente não significa que ele será sempre assim! Cabe a esse japonês, quando voltar ao Japão, se impor e assumir que mudou e que aprendeu valores fora do país que o fizeram uma outro pessoa. Isso porque aqueles que se rendem à poderosa força da pressão da sociedade japonesa, esses, voltam ao normal. Em geral, eles têm medo de se expressarem, não puxam conversa com estrangeiros, pensam demasiadamente no que os outros irão pensar dele e temem serem vistos como “os diferentes” ou  “estrannhos” ou ainda, numa conotação mais amena, são taxados como “maluquinhos”. E muitas vezes, não são. Eles apenas não têm medo de se expressarem, puxam conversa com estrangeiros, não temem serem vistos como “os diferentes” e não estão nem aí para que os outros vão pensar dele. E alguns casos, não têm medo, ou melhor, não encontram barreiras para tocar, abraçar, beijar outra pessoa.

Conheço japoneses dos dois grupos. Tem até alguns do grupo dos que já viveram fora, mas que vira e mexe, têm uma recaída. No fundo, o que eu observo, é que são na maioria, muito felizes por terem visto outro mundo lá fora – diferente daqui –  e sabem o que estamos querendo dizer quando dizemos algo sobre os japoneses em geral. Muitos gostam do nosso jeito livre de ser, nossa espontaneidade, alegria de viver e saber que não precisamos nos importar tanto com os outros, principalmente com aqueles que não pagam a nossa conta! Acho interessante que os próprios japoneses sabem da pressão que a sociedade japonesa impõe. Bom, qual sociedade que não impõe valores? Mas aqui é de certa forma, uma imposição bem diferente! Bom, mas, enfim, a diferença dos tipos de japoneses está entre se render ou não….eis a questão!