Carla  – Milão, Itália

Não é nome de livro, nem filme, e qualquer semelhança é mera coincidência! hahaha.

São as três coisas que eu não fazia no Brasil e agora faço na Itália. Claro que não é nada de tão diferente ou estranho, tenho certeza que depois que eu estiver alguns anos aqui, terei adequado à minha rotina outras coisas que eu não fazia no Brasil. Mas nesses quase 5 meses, são essas.

Vou me justificar ok?

Dirigir…

Eu tinha carteira de motorista no Brasil, mas odiava dirigir. Tinha um certo medo, pânico. Medo de bater, pânico de acidente, etc. Na verdade, creio eu, tudo porque eu não tinha o meu carro, e não tinha experiência nenhuma. Não gostava de dirigir o carro do meu marido, ainda namorado (aliás, o carro nem dele era, era da mãe dele!), me sentia insegura em dirigir e acontecer alguma coisa. E por aqui é diferente. Compramos um carro, tive que enfrentar o medo a inexperiência e sair dirigindo por aí! E não é que está dando certo!

Dirigir para mim não é mais um problema. E aqui é tão diferente. O trânsito é tranquilo, as pessoas são menos afobadas, menos estressadas, mais educadas, então tudo fica mais fácil. E aos poucos estou aprendendo a “dominar” o volante. Claro que ando por aqui, por perto, ainda não fiz nenhuma viagem longa, nem me arrisquei a ir a grandes centros de carro, mas logo isso será natural para mim.

Pedalar…

Tive algumas bicicletas na minha infância, e na pré adolescência também. Mas quando ela virou casa de aranhas e suas teias, meus pais resolveram vender e falaram que nunca mais me dariam uma bicicleta! hahaha. E nunca mais tive mesmo.

Mas chegando aqui, meu marido tinha comprado uma bicicleta. E vi que nas ruas isso era a coisa mais natural do mundo. As pessoas vão à feiras, mercados, estações de trem de bicicleta. Claro que no inverno isso diminui um pouco, mas bicicleta aqui é muito mais comum do que no Brasil.

Depois de tanto tempo sem andar de bicicleta, vi que isso a gente nunca esquece mesmo. E enquanto não tínhamos carro, ia para lá e para cá na maior felicidade, de bicicleta!! Alguns lugares as pessoas nem colocam a corrente para não roubarem, principalmente se for uma bicicleta velha. Agora  a nossa novinha, já tentaram roubar mas não conseguiram estourar a corrente. Por isso, nunca deixamos de colocá-la. Voltar a pé para casa frustrado não dá né? E ainda tenho aquela coisa de paulista, com medo de roubo, assalto, o que é bem menos comum por aqui.

Mesmo com o carro às vezes ainda ando de bicicleta. Quando o tempo está bom. Tenho certeza que na primavera e verão muitos vão sair de casa de bicicleta, tendo assim uma vida mais saudável!

No centro de Milão tem aluguel de bicicletas para passear pela cidade, se deslocar da estação para onde quiser. Muito legal. Foge do trânsito e ainda curte a cidade de uma maneira menos sedentária.

Cozinhar

Até vir para a Itália, nunca tinha cozinhado de verdade. Sabia fazer um bolo, uma vez fiz um strogonoff (com ajuda), mas o trivial arroz e feijão do dia-a-dia nunca tinha feito! Falava que quando casasse quem iria cozinhar era o Tiago e eu ia lavar a louça, já que ele é um cozinheiro de mão cheia!

Mas as coisas não ficaram bem assim. E foi bom! Pois aprendi na prática tudo o que eu sabia em teoria, vendo minha mãe, minha vó e até o Tiago cozinharem. E gostei! Claro que a rotina de cozinhar todo dia é chata, mas fiquei feliz em saber que não sou um desastre na cozinha, me saio bem e  até agora não fiz nada que desagradasse. hahaha!

Aprendi a cozinhar na Itália, mas ainda cozinho comida brasileira. Mas quero aprender a fazer pratos italianos claro, quem sabe um dia abrimos um restaurante! hahahah.

Bem, quais serão as próximas coisas que adequarei à minha rotina… hum.. vivendo e aprendedo!

Carla Guanais é cientista, blogueira e mora na Itália desde 2010. Saiba mais sobre ela clicando aqui.