Skip to content

Dirigir, pedalar, cozinhar….

19/03/2011

 
Carla  – Milão, Itália

Não é nome de livro, nem filme, e qualquer semelhança é mera coincidência! hahaha.

São as três coisas que eu não fazia no Brasil e agora faço na Itália. Claro que não é nada de tão diferente ou estranho, tenho certeza que depois que eu estiver alguns anos aqui, terei adequado à minha rotina outras coisas que eu não fazia no Brasil. Mas nesses quase 5 meses, são essas.

Vou me justificar ok?

Dirigir…

Eu tinha carteira de motorista no Brasil, mas odiava dirigir. Tinha um certo medo, pânico. Medo de bater, pânico de acidente, etc. Na verdade, creio eu, tudo porque eu não tinha o meu carro, e não tinha experiência nenhuma. Não gostava de dirigir o carro do meu marido, ainda namorado (aliás, o carro nem dele era, era da mãe dele!), me sentia insegura em dirigir e acontecer alguma coisa. E por aqui é diferente. Compramos um carro, tive que enfrentar o medo a inexperiência e sair dirigindo por aí! E não é que está dando certo!

Dirigir para mim não é mais um problema. E aqui é tão diferente. O trânsito é tranquilo, as pessoas são menos afobadas, menos estressadas, mais educadas, então tudo fica mais fácil. E aos poucos estou aprendendo a “dominar” o volante. Claro que ando por aqui, por perto, ainda não fiz nenhuma viagem longa, nem me arrisquei a ir a grandes centros de carro, mas logo isso será natural para mim.

Pedalar…

Tive algumas bicicletas na minha infância, e na pré adolescência também. Mas quando ela virou casa de aranhas e suas teias, meus pais resolveram vender e falaram que nunca mais me dariam uma bicicleta! hahaha. E nunca mais tive mesmo.

Mas chegando aqui, meu marido tinha comprado uma bicicleta. E vi que nas ruas isso era a coisa mais natural do mundo. As pessoas vão à feiras, mercados, estações de trem de bicicleta. Claro que no inverno isso diminui um pouco, mas bicicleta aqui é muito mais comum do que no Brasil.

Depois de tanto tempo sem andar de bicicleta, vi que isso a gente nunca esquece mesmo. E enquanto não tínhamos carro, ia para lá e para cá na maior felicidade, de bicicleta!! Alguns lugares as pessoas nem colocam a corrente para não roubarem, principalmente se for uma bicicleta velha. Agora  a nossa novinha, já tentaram roubar mas não conseguiram estourar a corrente. Por isso, nunca deixamos de colocá-la. Voltar a pé para casa frustrado não dá né? E ainda tenho aquela coisa de paulista, com medo de roubo, assalto, o que é bem menos comum por aqui.

Mesmo com o carro às vezes ainda ando de bicicleta. Quando o tempo está bom. Tenho certeza que na primavera e verão muitos vão sair de casa de bicicleta, tendo assim uma vida mais saudável!

No centro de Milão tem aluguel de bicicletas para passear pela cidade, se deslocar da estação para onde quiser. Muito legal. Foge do trânsito e ainda curte a cidade de uma maneira menos sedentária.

Cozinhar

Até vir para a Itália, nunca tinha cozinhado de verdade. Sabia fazer um bolo, uma vez fiz um strogonoff (com ajuda), mas o trivial arroz e feijão do dia-a-dia nunca tinha feito! Falava que quando casasse quem iria cozinhar era o Tiago e eu ia lavar a louça, já que ele é um cozinheiro de mão cheia!

Mas as coisas não ficaram bem assim. E foi bom! Pois aprendi na prática tudo o que eu sabia em teoria, vendo minha mãe, minha vó e até o Tiago cozinharem. E gostei! Claro que a rotina de cozinhar todo dia é chata, mas fiquei feliz em saber que não sou um desastre na cozinha, me saio bem e  até agora não fiz nada que desagradasse. hahaha!

Aprendi a cozinhar na Itália, mas ainda cozinho comida brasileira. Mas quero aprender a fazer pratos italianos claro, quem sabe um dia abrimos um restaurante! hahahah.

Bem, quais serão as próximas coisas que adequarei à minha rotina… hum.. vivendo e aprendedo!

Carla Guanais é cientista, blogueira e mora na Itália desde 2010. Saiba mais sobre ela clicando aqui.

7 Comentários leave one →
  1. 19/03/2011 11:31

    Carla, também só fui cozinhar de verdade depois que vir morar em Dubai. Eu não sabia nada lá no Brasil, além de arroz, macarrão e salsicha! rs No início, marido que fazia a comida, mas como ele voa mto tive que perder o medo do fogão e me jogar! Fiquei surpresa pq tenho me saído bem e fico feliz com isso. Já fiz vários pratos e ultimamente tenho deixado o sexto sentido me guiar para mudar algumas receitas! =D

    Dirigir… isso ainda não consegui fazer aqui e nunca me senti bem pra pegar no volante no Brasil. Só que em Dubai, o povo é louco demais! As pessoas andam no mínimo a 120km/h numa via que não é auto-estrada… rs Avisa que é mto rápido pra quem não tem experiência como eu. Aqui, brasileiros têm que fazer auto-escola pq nossa carteira do Br não serve e marido já avisou que quando ele entrar, euv vou junto! Me-do!

    Bike, infelizmente, não há ciclovias ou pistas específicas para isso. Mtas vezes, as calçadas aqui terminam sem aviso prévio e isso dificulta a caminhar que dirá pedalar. Temos bons parques, mas achei as bikes carinhas aqui. Vontade nós temos que comprar e tirar dias pra gastar nos parques. Adoro pedalar e há anos que não faço isso.

    Parabéns pelo post e por suas conquistas.

    Bjs,

    Manddy
    http://tourdubaiguide.blogspot.com

  2. 20/03/2011 19:09

    Embora eu já cozinhasse antes de me mudar pra Espanha, aqui isso virou mais que um prazer, uma obrigação. Não reclamo, mas sinto falta dos buffets por quilo baratinhos…

  3. sonhosnaitalia permalink
    20/03/2011 22:12

    Legal Manddy vc comentar como é aí nesses itens…rs.. Dubai deve ser muito diferente mesmo da Itália. bjus

    Verdade Glenda, acaba virando uma obrigação, por isso às vezes chateia..hahah. beijos

  4. 05/03/2015 7:30

    Carla, apesar desse seu post já ter anos e vc provavelmente estar agora dirigindo por toda Roma… me senti compelida a comentar. Sabia que eu ainda tenho bloqueios IMENSOS em dirigir pela Holanda ? Eu me revezo com meu marido no volante quando vamos para a França ou Alemanha. Mas há mil lugares na Holanda que eu travo. Isso porque há diques aterrorizantes (muito altos e estreitos), ruas sem saídas pra todo lado, centro da cidade bloqueado para autos com valas para o penu do carro, vilarejos dispersados por arquipélagos e rotatórias com imposição de velocidade e diversas pistas (cruzadas por cilcovias). Eu me perco até com a maquininha de indicar o caminho (não sei o nome em português). Auto estrada é fácil mas essas cidades de origem medieval cheias de “fatias de queijo” e circulação proibida são uma dor de cabeça.

  5. 05/03/2015 7:35

    Carla, apesar desse seu post já ter anos e vc provavelmente estar agora dirigindo por toda Roma… me senti compelida a comentar.
    Sabia que eu ainda tenho bloqueios IMENSOS em dirigir pela Holanda ? Eu me revezo com meu marido no volante quando vamos para a França ou Alemanha. Mas há mil lugares na Holanda que eu travo. Isso porque há diques aterrorizantes de mão dupla (muito altos e estreitos, sensação de estar dirigindo em cima de um muro), ruas sem saídas, centro da cidade bloqueado para autos com valas para o pneu do carro, vilarejos dispersados por arquipélagos e rotatórias com imposição de velocidade e diversas pistas (cruzadas por ciclovias). Eu me perco até com a maquininha de indicar o caminho (não sei o nome em português). Auto estrada é fácil mas essas cidades de origem medieval cheias de “fatias de queijo” e circulação proibida são uma dor de cabeça.

    Aliás, conheço europeus que não gostam de dirigir na Holanda. Se eu puder ir de transporte público ou bicicleta eu irei. Carro é por falta de opção, para ir algum lugar que tenha que fazer muita conexão (ruim) de trem ou ônibus, ou que o transporte público não chegue até la.

    Pois é.

    • Carla Guanais permalink
      05/03/2015 8:53

      Sério Ana? Que pena! Eu adoro essa independência e a facilidade do carro, também o conforto. Eu já dirijo em todos os lugares, até em Roma que é muito caótica, gente mal educada, bem diferente da descrição que dei do trânsito e do comportamento dos motoristas de Milão. Aqui também tem essas ruazinhas proibidas, estreitas, cheias de regras… mas já me acostumei e uso muito o Waze, aplicativo GPS pra celular que dá sempre o melhor caminho e fugindo das partes proibidas, rs.. Você deveria experimentar. Só a questão estacionar pra mim ainda é complicada, não gosto de me sentir pressionada, tipo fila de carros atras de mim esperando, e prefiro girar e procurar um lugar mais calmo, com vaga maior para enfim fazer minha baliza tranquila, rs.. E, atualmente, prefiro eu dirigir do que ser passageira, rs… Exceto à noite.

Trackbacks

  1. Pessoal do Brasil com Z conta quais as suas novas rotinas! « Brasil com Z

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: