Karine Smith
Dublin, Irlanda

 

A ideia inicial dessa postagem era que eu falasse sobre 3 coisas que mudaram no meu comportamento desde que escolhi a Irlanda para morar, há alguns anos atrás, mas como sou pessoa altamente influenciável pelo ambiente em que vivo, 3 pra mim é muito pouco e a lista –resumida –  ficou assim:

1) Respirar antes de usar a buzina: Aqui além de não ser hábito e considerado rude, dependendo do local você pode ser multado.

2) Comer sem arroz e feijão: Foi difícil e agora passo meses sem, até lembrar que eles existem e comprar uns quilos na loja brasileira. Aliás, eu também não fazia feijão antes só comia, a fazer aprendi aqui.

3) Ser Dona-de-casa: Tá aí uma coisa que eu nunca pensei que eu pudesse ser, tive que vir para o outro lado do mundo pra descobrir meu talento nato para housewife (cof-cof).

4) Não lavar o cabelo e nem sair com ele molhado toda vez que tomo banho: Ainda não aderi ao banho semanal (quem sabe daqui a uns 15 anos eu não me converta?), mas o cabelo já não lavo todos os dias e quando lavo, nunca , jamais, em hipótese alguma saio com ele molhado.

5) Mandar cartões: Nem me lembro quando foi o último que mandei quando morava no Brasil, mas agora virou hábito.

6) Sair sozinha sem marido: Sem namorado no Brasil eu saía, mas sem marido…

7) Andar: Sempre fui dependente de carro e aqui apesar de usar bastante, faço muitas coisas a pé.

8) Sair mesmo com chuva: Morando em um país onde a chuva faz parte do visual da cidade, não dá pra esperar por tempo bom pra ser feliz e colocar a cara na rua.

9) Fazer a minha unha: Tudo bem, não é sempre, mas não passo sufoco, se eu estiver precisando muito eu mesma faço, coisa que pela facilidade que eu tinha no Brasil não era hábito.

10) Fazer amigos online: Nunca acreditei muito em relações virtuais de qualquer gênero, mas morando fora o Ká.Entre.Nós se tornou um canal enorme de comunicação com os leitores e já me rendeu várias tardes animadas de encontros com pessoas legais e muitas amigas, coisa que se eu estivesse no Brasil, tenho certeza, não faria.