Skip to content

Novos hábitos na Espanha

23/03/2011

Edu
A Coruña, Espanha

 

Às vezes, você muda alguns hábitos só pelo fato de ter mudado de bairro. Imagine que mudanças não provocam viver em outro país, principalmente em outro continente.

No meu caso, alguns aspectos da minha vida mudaram por causa do clima. E isso que a Espanha é considerada um país “tropical”, na Europa. Mas quando o inverno chega, é frio de verdade, as horas de sol são escassas, e eu acho que a temperatura, a humidade e a luz transformam as pessoas de alguma forma.

Meu modo de viver de modo geral não mudou muito, mas o pouco que mudou, foi de forma um quanto tanto radical.

A começar pelo consumo de álcool. Eu morava no Rio de Janeiro, uma cidade mega quente. O chopp e a cerveja são consumidos abundantemente nos botecos, na praia, nos quiosques e nos churrascos de fim-de-semana.  Eu adorava uma cerveja. Não todos os dias, em casa, por exemplo, nunca consumi cerveja, porque eu associava cerveja com churrasco, festa, barzinho ou praia. Mas na praia e no happy-hour do escritório, uma “loira gelada” caía tão bem!

Aqui na Espanha, meu consumo de cerveja praticamente zerou. De vez em quando gosto de comprar uma cerveja alemã ou belga, porque são fortes, muito incorporadas (e baratas). Troquei a cerveja pelo vinho, bebida que raramente consumia no Brasil. Tomo vinho praticamente todos os dias. E se no Brasil, cerveja em casa não combinava, aqui na Espanha, tem que ter vinho na mesa na hora do jantar.  Meu consumo médio é de 1 garrafa por semana, o que equivale a 1 taça e meia por dia. Um consumo moderado e saudável. Não me tornei expert, mas já provei centenas de marcas e hoje em dia tenho minhas preferências no que se refere ao tipo de uva, região, etc… Coisa que no Rio eu era um completo ignorante.

Falando em saudável, o clima me tornou sedentário. Ou melhor, tornava… Porque há uns meses voltei a correr. Mas no Rio de Janeiro, esporte era um hábito diário. Corria, andava de bicicleta… Não tinha um dia que eu não praticava alguma atividade física. Aqui na Espanha, fiquei sedentário. No inverno, as horas de luz são limitadas, e no fim do expediente, o dia está totalmente escuro e frio, fica difícil se motivar para fazer um esporte ao ar livre (apesar de que os “locais” correm independente do clima). No inverno, a motivação é realmente zero. Como nunca gostei de academia, o frio me desmotivou. Fico pensando como os brasileiros fazem na Alemanha, Bélgica e outros países mais frios. Tem que gostar muito de academia…

E outro hábito que eu adquiri foi dormir mais. No Rio de Janeiro, dormia pouco principalmente pelo calor. O travesseiro, os lençóis, tudo incomodava. Aqui no frio, com 2 cobertores e um edredom e as baixas temperaturas do inverno, são um convite para uma longa noite de sono. Sem contar que a Espanha é o país da “siesta”. O comércio fecha em algumas cidades pela tarde, as coisas parecem que são mais lentas, o mês de agosto o país praticamente fica parado… E isso dá uma preguiça… dá um sono…. depois do vinho então…. No Rio, minha média de sono era de 6 horas. Hoje é no mínimo 8, isso dá 33% mais de tempo na cama. Mas não me queixo, é muito bom.

Portanto, foram basicamente 3 coisas que mudaram radicalmente no meu estilo de vida. Estou tentando lutar para eliminar um dos novos hábitos que é o sedentarismo. Pouco a pouco vou conseguindo. 

Uma curiosidade: Aqui na Espanha passei a comer MUITO, mas MUITO mais feijão do que no Brasil. No Brasil, raramente comia feijão, e aqui na Espanha como praticamente todas as semanas. Isso tem duas explicações básicas: O frio é mais apropriado para comer feijão que o calor, e te proporciona uma siesta tão gostosa…. O outro motivo é que no Brasil eu almoçava na rua como praticamente todo mundo, então tinha uma variedade enorme de pratos a disposição. Aqui na Espanha, eu almoço em casa, e para não viver na cozinha, faço um panelão de feijão para muitos dias. É curioso não? Tive que sair do Brasil para passar a comer feijão! Que alias aqui na Espanha existe uma abundância de feijão nos mercados. Tem branco, preto, marrom, vermelho, pintado, redondo, ovalado, pequeno, grande… Dá para passar meses sem repetir o mesmo feijão.

5 Comentários leave one →
  1. 24/03/2011 8:53

    Edu! Eu tomo muito mais cerveja aqui que no Brasil! Deve ser pelo clima ai da Galícia. Aqui o povo começa a beber de manhã!!! O “aperitivo” do almoço é uma caña…
    Realmente fazer exercícios no inverno é um saco, mas lá no Rio GRande do Sul eu tb matava a academia em julho e agosto. Aqui eu durmo mais mas é por conta do calor do verão…hmmm, coisa boa uma siesta com ar condicionado! 🙂

    • Josivania permalink
      24/03/2011 12:14

      Oye Glenda que en Andaluzía tambien hace mucho frío ehhhh…y creo que la umedad es lo peor, en Cádiz ni la calefación calentaba las paredes de mi habitación. Aunque los fríos son diferentes, en logroño como no había mar era seco, por más baja la temperatura, se ponía una ropa el abrigo y ya estaba, aqui en Laredo, tan cerca del mar, se pone 3 o 4 camisas, más el abrigo y todavía hace frío, es como si el frío llegara a los huesos…jejejejjejejejej…

      Hombre, sentí frío en Cádiz y en Sevilla en plena semana santa, pero tú como eres de Sur de Brasil, ya está acostumbrada com tanto frío, yo como soy de Aracaju-SE siento más frío claro…jajajajajjajajajajjaj…

      • 24/03/2011 13:33

        Na Andalucía o frio começa em nvembro e termina em final de março! Hoje, 24 de março está fazendo nada mais, nada menos que 25 graus!

  2. Josivania permalink
    24/03/2011 12:03

    Adorei ler este comentario, é quase o que ocorre comigo.
    Só se tiver algo da universidad o algo muito serio pra me faz sair da cama antes da 1h da tarde, e nao consigo dormir antes das 3h da manha…jajajajajajaj…
    No Brasil jogava futsal 2 vezes por semena, e randybool 1 vez por semana, aqui nada de nada, para compensar comprei alguns aparelhos e estou fazendo meu exercico em casa, minha mine academia, e eu nunca gostei de academias de gisnástica….jejejejjejejej…
    Quanto aos vinhos, sou nordestina mas sempre adorei vinho, mesmo aqueles ruinzinhos e baratinhos que me deixavam com uma ressaca e dor de cabeça enorme no outro día; aquí estou aproveitando muito, inclusive fiz un curso de enología para saber apreciar a cata “degustaçao” , aqui posso tomar cuantas copas de vinho eu deseje que nunca, mas nunca me dá dor de cabeça…mas só tomo muitas copas qnd saiu de festa, em casa sao duas copas por día.
    A comida, como sou uma nordestina de alma, morro de saudades do meu cuscuzinho, da farinha de mandioca , do bolo de macaxeira, da jabá (charque) dentro do feijao, da manga, do mamao e muito mais. No Brasil nao podia faltar feijao no almoço, aqui no norte da españa, se come feijao, mas nao tanto, apesar de como vc disse a variedad é imensa, mas os españóis nao o tem como favorito, os prepara como uma sopa o um cozido, com batata e uns pedacinhos de chirozo e é muito gostoso. Apesar de sentir falta da comida nordestina nao posso deixar de elogiar a gastronomia española, “está riquísima y muyyyy exquisita” mas me controlo, já tive uma experiencia em 2008 e engordei 5kg em 3 meses jajajajajaj…Quanto a comer na rua, os españóis o fazem muito0OO, qualquer feriado ou comemoraçao é motivo de comer na rua, sempre vao a por um menú, e apesar de ser em euros comparando com Brasil a comida aqui está muito mais barata.

    Mas o que mais me deixa alucinada é o comercio, aqui as lojas abrem de 9H da manha até + ou – 1:30, 2:00 da tarde. E só voltam a abrir entre 5:30 a 6:00 da tarde, fecham no máximo as 9:00 da tarde aqui, anoite no Brasil. Claro que as lojas multinacionais nao fecham, e também só estao presentes nas grandes cidades.

    É uma experiencia incrível viver outra cultura.

  3. 27/03/2011 11:02

    Eu já não bebia mais ultimamente no Brasil, então aqui tem sido fácil me adaptar com os fatos: 1 – bebida alcóolica nas arábias só é vendida em hotéis, bares e poucos restaurantes (dependendo do local onde ele esteja) e são caríssimas! 2 – para consumir e comprar este tipo de bebida aqui é preciso ter uma licença (coisa que ainda não tenho).
    Se eu estivesse habituada a beber no Rio, estaria louca por aqui. Um copinho (inho mesmo) de tequila por aqui custa mais ou menos uns 16 reais, sendo que no dutyfree vc compra um litro de tequila por menos de 30 reais. E ai, compensa o que? rs

    Qto ao sedentarismo: estou cada vez mais. Apesar de andar mto dentro de malls e me deslocando para os locais que preciso ir, tudo aqui estimula ser sedentário: escadas rolantes, elevadores, esteiras etc.
    No Brasil, subia de escadas para chegar a determinados andares, mas aqui tudo é alto! Como subir até ao 50 andar só nos degraus? rs No way! Academia não curtia lá e nem aqui, além de ser cara por essas bandas.

    Tb passei a comer mto mais feijão aqui do que no Brasil. Em duas semanas de Dubai, fui a 4 feijoadas de brasileiros e comi em todas. rs Em casa tb sempre rola um pratinho de feijão preto trazido do Brasil. =D (mas aqui tb tem feijão nos mercados)

    Parabéns pelo post. Bjs,

    Manddy
    http://tourdubaiguide.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: