Orlando, Estados Unidos

 

Um certo dia, assim como muitos brasileiros, pensei que queria mudar de profissão. Sempre gostei de ser professor e um dia na sala de aula, era para mim como um dia de diversão ao lado dos meus alunos. Porém, não sou uma pessoa que consegue fazer a mesmo coisa por 10 anos e ainda continuar feliz, estava na hora de fazer outra coisa. Não queria envelhecer lecionando e “reclamando” da vida, como via meus colegas fazer. Pensei então o que seria realmente um loucura? Mudar de profissão, de cidade, de estado e país. Mas não tinha idéia de por onde começar. Tudo o que eu precisava era coragem.

Uma viagem com amigos à Flórida foi o que bastou para tomar uma decisão. Fiquei apaixonado por Miami, pelo clima, pela mistura de culturas, pelas paisagens e organização do país. Com alguns contatos nos EUA comecei a me movimentar para alcançar meu objetivo. Foram dois anos de preparação, cursos, exames, infinitos documentos, e trabalho. Muito trabalho para poder economizar a quantia necessária para viajar. Um ano antes de viajar, desmontei meu apartamento e fui morar com meu pai para poder economizar ainda mais. Em uma das conversas que tive com ele, eu disse que queria fazer Design de Interiores ao que ele me perguntou: “Você vai ser decorador?” . Tive vontade de estrangulá-lo mas me dei conta que a maioria das pessoas não sabe a mesmo diferença. Então expliquei ao Seu Lair que não é preciso uma faculdade de 4 anos para ser decorador e que Design envolvia muito mais.

Até mesmo na embaixada americana em São Paulo, a oficial me perguntou porque eu queria desistir de ser professor para cursar Interior Design, pode? Fui chamado de louco, de corajoso e até mesmo de traidor do Brasil! Particularmente acredito que é preciso ser um pouco dos dois primeiros para conseguir largar tudo e reduzir um apartamento inteiro a duas malas.

Desde que aqui cheguei descobri um novo mundo de pessoas, sabores, línguas, contrastes, problemas e soluções geniais, sem esquecer também da necessária cota de desafios. E é disso que eu pretendo escrever aqui neste espaço com o humor que todo brasileiro tem no sangue.