Skip to content

Se eu estivesse no Brasil…

15/06/2011

 Renato Silveiro Alves
 Orlando, Flórida – EUA

.

Algumas coisas nem precisam ser mencionadas, como saudades da família e dos amigos. Mas além disso, sinto falta de algo do Brasil? Fiquei a pensar…Foi difícil encontrar alguma coisa.

O motivo é porque encontra-se em Orlando a maioria das coisas que encontramos no Brasil. Produtos similares e vale dizer, alguns muito superiores, como por exemplo amaciante de roupas que “amacia” mesmo. No Brasil não existe uma marca que se compare.

Aqui também existem dois supermercados brasileiros para aqueles que sentem falta dos produtos do Brasil. Por exemplo, se você quiser comprar um joelho de porco, não vai encontrar senão no mercado brasileiro, na seção de produtos para feijoadas. Nem mesmo em lojas hispânicas eu encontrei isso por aqui. Mas, sinceramente, eu nunca comi joelho, orelha, etc de porco. Essas coisas exóticas que muitas pessoas comem no Brasil eu nunca gostei.

Quando eu estou com vontade de comer arroz com feijão, ou outro prato brasileiro, eu simplesmente vou ao supermercado, compro os ingredientes e preparo. E a família americana aplaude. Muito pelo fato de que a maioria da comida caseira da classe média só leva sal e pimenta. Eles ficam impressionados com a comida brasileira por causa dos temperos que dão sabor e perfumam a casa.

Supermercado brasileiro na International Drive - Orlando

Outro dia me vi com uma vontade tremenda de comer Nissin Lamen (o antigo e adorado miojo). Não encontrei nos supermercados daqui nenhum produto semelhante. Rodei 20km até o supermercado brasileiro para comprar e a família americana não gostou! Bom, para falar a verdade não é algo que alguém se orgulhe de comer, certo? Mas, que faço eu? Gosto do danado…

Imagino que para muitos dos colegas que aqui escrevem, deve sim fazer falta muitas das coisas que tínhamos no Brasil. No meu caso, qualquer coisa que eu queira acho no supermercado brasileiro, no supermercado normal e também na padaria brasileira na International Drive. Lá tem pastel, cochinha, pão francês, sonho, quindim, etc  à preço “quase” de ouro. Outro dia fui com um amigo, comemos 2 pães na chapa, dois sucos de laranja, um pastel e uma coxinha. A conta ficou em 18 dólares. Com esse valor, duas pessoas comem em um restaurante médio aqui nos EUA. O americano que estava comigo achou “muito” caro pela quantidade que comemos. A qualidade também não é das melhores e o atendimento é péssimo. Mas se dá muita vontade de comer essas coisas (dificilmente) eu até encaro.

Padaria brasileira ao lado do supermercado da foto acima

 Agora quer saber mesmo o que eu sinto falta e isso é muito difícil de conseguir copiar? Sinto falta da comida da minha mãe. Do pão caseiro de mandioquinha que ela faz (e que o meu nunca fica igual), do bife à milaneza sequinho e crocante, do strogonoff “dela”, da feijoada “dela” e do arroz com feijão “dela”. Minha mãe mora em uma cidade de 10 mil habitantes no interior de São Paulo. Na cidade inteira corre a fama que ela é uma cozinheira de mão cheia. Ser convidado para uma refeição em sua casa é um privilégio. Sim…isso não se acha por aqui, a comida da minha mãe…

8 Comentários leave one →
  1. 15/06/2011 7:48

    Até que essa loja brasileira aí da foto parece digna. A “Finalmente Brasil” de Amsterdam é bem chinfrim. Tem vários produtos, mas a data de validade nunca é longa. Tipo: comprar uma mistura pra pão de queijo, ou um pedaço de carne seca e ter usar dentro de 15 dias. Não dá para estocar nada. Prateleiras empoeiradas e atendimento meia-boca feito sempre por uma ou outra fulaninha que não sabe nem falar o próprio protuguês. Ah Renato, você logo logo chega ao patamar da sua mãe – pelo que vi, esforço e disposição é que não faltam !

  2. 15/06/2011 11:23

    Achei muito legal este seu relato que demonstra que a gente nunca esquece as nossas origens…Cá do Brasil,passei a pensar e coloquei em prática,postando no meu blog TRUDES PHOTONEWS, muitos retratos da cidade de São Miguel Arcanjo onde moro a mais de trinta anos para que os conterrâneos que estão longe aí por esse mundão, possam desfrutar das imagens que procuro divulgar e que matem as saudades daqui.Um abraço amigo…

  3. RenatoAlves permalink
    15/06/2011 11:49

    Anita
    Eu acho que já estou a meio caminho. Assim como minha mãe só chegou no patamar da minha avó depois dos 50 quem sabe que chego lá também? hehehe
    Bjs
    Franciso
    Mesmo que a gente odeie o lugar onde nasceu e cresceu sempre alguma coisa vai fazer parte da gente pelo resto da vida
    abs!

  4. Lorna permalink
    15/06/2011 19:29

    Primeiro que eu me acabei de rir com a sua vontade de comer MIOJO?! Óbvio que os americanos acostumados a comer seus pratos deliciosos não iriam gostar, imagine depois de bolo de maçã e pão franc6es caseiro, vê se alguém iria gostar de Kinojo (como dizia meu pai). Olha, eu detesto miojo, de verdade, prefiro hamburguer do MC Donalds (que também não gosto, mas desce melhor). Agora eu fico imaginando, você que vem de uma família de mão cheia (até irmão chef tem), pega mal viu :).

    O que sinto mais saudade é farinha mesmo, mas quando vamos para Atlanta compramos bastante.

    • RenatoAlves permalink
      15/06/2011 21:58

      Ai Meu Deus! Mea culpa! Eu gosto de Miojo! Acho que eles trocaram o nome pra Nissin justamente porque o povo falava isso mesmo, knojo…hehehe
      Aliás….”off the record” … ADORO McDonald’s!!!!!! kkkkkkkkkkk

  5. pillar pena permalink
    16/06/2011 1:16

    oi renato…li seu comentário…vc é bem engraçado..e pelo visto faz tempo que não come uma boa comida tipicamente brasileira!!!
    mas renato eu qero te falar a verdade…eu moro no Brasil, tenho 17 anos, e sou da região norte….pode parecer meio “idiota”, mas meu sonho é conhecer orlando…uma cidade fabulosa pelo q ouvi falar…
    eu qeria saber como foi para voce se acostumar com o dia-a-dia ?E como fez para conseguir um lugar para morar?

    • RenatoAlves permalink
      16/06/2011 1:26

      Pillar
      Minha aventura desde quando entrei no avião eu conto no meu blog “Um Brasileiro na Terra do Tio Sam”. Leia os textos, vai responder todas as suas dúvidas além de. é claro, se divertir porque eu adoro escrever coisas engraçadas que acontecem comigo.
      Bjs

  6. pillar pena permalink
    16/06/2011 23:10

    pode deixar que vou visitar seu blog…adoro histórias diferentes e engraçadas!!
    obrigada. ^^ bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: