Edu
A Coruña, Espanha
.

Moro na Espanha há 7 anos.  Sou filho de espanhóis, portanto tenho dupla nacionalidade e consequentemente não sou ilegal.  Não ser ilegal é um quesito básico para morar em qualquer país do mundo. Do contrário você vai viver literalmente “à margem” da sociedade, sem um emprego decente, sem acesso a saúde, etc.

Bom, como dizia, cheguei ha 7 anos na Espanha. Sou formado em Administração de Empresas e tenho MBA. Consegui um emprego em uma empresa de desenvolvimento de software assim que cheguei  em 2004, desde então trabalho na mesma empresa. Portanto, consegui um emprego estável (por enquanto, a crise tá pegando) e tenho levado uma vida tranquila, batalhando todos os dias, mas não posso me queixar. 

Muitas pessoas me perguntam: QUANDO você vai voltar para o Brasil? 

Bom, quando as pessoas usam a palavra “quando” na pergunta, soa um pouco imperativo, como se eu tivesse obrigação de voltar. E se eu não quiser voltar? Tem muito imigrante que saí do país com a intenção de nunca mais voltar, a não ser que seus planos não saiam como o previsto. Os meus planos foram cumpridos, entre altos e baixos, mas fui conseguindo as coisas que almejava.  Portanto, não parece lógico você deixar para trás tudo aquilo que lutou muito para conquistar. 

Esta introdução foi apenas um “aquecimento” para a pergunta: Voltar ou não voltar?

Parece clichê, mas pelos meus amigos e familiares, eu voltaria sim. As amizades que fiz aqui na Espanha por muito que eu as valorize, não se comparam aos meus amigos de infância e adolescência. Portanto, se tem algo que me faria “puxar” de volta para o Brasil são os amigos. Só que os amigos, por melhores que sejam, não podem resolver sua vida. Todos nós temos que correr atrás dos nossos objetivos, e muitas vezes para isso, você tem que se mudar para longe. Meus motivos para não voltar são outros:

Quem mora no exterior (principalmente na Europa e USA ou Austrália e Japão), valoriza muito o fato de viver tranquilo. Você abre o jornal, assiste o noticiário na TV e são raríssimos os casos de homicídio ou latrocínio (roubo seguido de morte). Desde que me mudei para a Espanha nunca mais me preocupei com violência. Há 7 anos que eu não sei o que é cruzar com alguém estranho na rua. E perder isso é perder qualidade de vida. 

Não ser julgado pela roupa que visto ou pelo bairro que eu moro. Pessoal, neste quesito, o Brasil é uma tristeza. As pessoas estão continuamente analisando as roupas que você usa, o carro que você tem e o bairro onde você mora. É uma competição insana.  Paga-se 4.000 Reais por uma bolsa só para desfilar com ela no escritório. Compra-se um carro de 100.000 Reais só para chegar no churrasco e todo mundo ficar comentando. Muitas vezes essa bolsa vai ser paga em 24x sem juros no carnê, mas isso ninguém precisa saber. O negócio é se exibir. Isso é triste. Você vai a uma festa e se vê rodeado de “marcas” desfilando por todos os lados. As pessoas fazem questão de dizer que pagaram caro, quando o natural seria se vangloriar por ter pago uma pechincha. Isso é algo que me irrita e que pelo menos aqui na Espanha, onde eu vivo e com quem eu convivo eu não vejo acontecer.  

Ter que dar satisfações sobre minha vida.  Moro em um prédio que tem 4 apartamentos por andar. Cruzo com meus vizinhos quase diariamente no elevador há anos, e juro que eu não sei o nome deles. Ninguém no meu prédio sabe da minha vida, e o que é melhor NÃO SE INTERESSAM pelo que eu faço. Cada um na sua. No trabalho ocorre o mesmo. Eu saio de férias, e quando eu volto as pessoas no máximo perguntam se eu disfrutei. Não ficam perguntando onde eu fui, onde eu comi, com quem eu fui, quanto custou o hotel, quanto custou a passagem de avião, se eu comprei isso, se eu visitei aquilo, se eu pretendo voltar…. Quando morava no Brasil lembro que ao voltar ao trabalho das férias, o povo do escritório dizia: “Edu, a gente combinou de almoçar todos juntos para você nos contar TUDO sobre suas ferias”…

Existem outros motivos que eu não vou ficar expressando aqui, porque senão vou passar por chato. Mas envolve educação, bons costumes, civilidade, organização, etc. Posso ser chato, mas acredito que muita gente concorda comigo. Só para resumir este post, eu só quero viver minha vida tranquilo, sem stress e sem ter que dar explicações aos outros. E acho que aqui na Espanha, de alguma forma, eu encontrei o que buscava.