Skip to content

Trabalhando numa empresa alemã

25/07/2011

Eve
Berlin, Alemanha

 

Seguinte: As duas primeiras semanas foram super esquisitas. Eu lembro de chegar em casa e contar pra marido: “Nossa, o povo lá é muito sério!”, “Nossa, o povo lá é muito concentrado!, “Nossa, isso!”, “Nossa, aquilo!”

Tirando o meu chefe que já foi logo “se abrindo” para mim desde o primeiro dia (eu até já disse que ele parece mais brasileiro que alemão, e ouvi de volta que sou mais alemã que brasileira…detalhes), todo o resto do povo era muito sério.

MENTIRA!

Sabe aquela coisa de: não te conheço, não vou te dar ousadia? Pois é. Foram duas semanas de reconhecimento de território. Da parte deles e da minha. Eles nem entravam na minha sala (que ainda é do meu chefe e do cara lá que eu rodei a baiana).

Aí o tempo foi passando, fui conhecendo um e outro e pá! Olha o povo fazendo piada e dando risada? Entrando na minha sala pra me dar bom dia e me desejar bom final de semana? Pois é.

Alemão é reservado. Ele se dá o direito de te conhecer primeiro, de saber se você é assim ou assado, do tipo que aceita brincadeira ou não e aí vai entrando na sua vida devagarinho. Mas, ninguém tenta “entrar na minha semana”. O que já acho bom.

Sobre a rotina de trabalho, acho mais leve, não só porque sou estagiária (oi? mentira!), mas porque o pessoal não é muito ligado a horário, ao fato de você estar montando um relatório ou lendo um artigo de interesse da empresa, que fique claro, na Internet. Dá 17h na sexta-feira, e o povo já se mandou.

Se chegam atrasados também (oi, eu já fiz isso), ninguém pergunta o porquê. No fundo, o pessoal sabe que você vai descontar no final d0 dia. Compensação de horário, né? Opa, saí 18h ontem (o normal é 17h30). Amanhã, pá, chego às 09h30 (o normal é 09h).

No caso da empresa aonde trabalho, por ser pequena, não há muito a questão da hierarquia. Mas, rola competitividade, sim. Entre eles, os chefões. Eu fico na minha, vendo aonde o barco vai parar e fazendo o melhor que posso fazer. De vez em quando, em momentos que acho apropriados, dou minhas “cutucadas”, como vocês já leram aqui. Porque inteligente é aquele que sabe a hora de atacar e não o que fica atirando pra todos os lados, né? E vou conquistando a confiança do povo, e do meu chefe, principalmente (além do poderoso-chefão, claro).

Trabalho de equipe é outra coisa que vejo que é totalmente diferente do que conheço. Existe trabalho de equipe, existe o reconhecimento (foi Fulano que deu essa idéia, Beltrana que montou esse gráfico…), mas falta entrosamento. Falta chegar pro colega e perguntar: “e aí, cara, está precisando de ajuda?” Se você não pedir, ninguém te oferece.

Tirando fatores culturais (tipo: não bater palmas na hora do parabéns de um colega. Rá!), o dia a dia é como toda empresa, usam as mesmas ferramentas, as mesmas teorias “administrativas”, mesmos processos. Só um detalhe ou outro diferente. Porque o conhecimento é universal, né? Ui, viajei nessa!

5 Comentários leave one →
  1. 26/07/2011 8:34

    Faltou contar o detalhe de quando e porque rodou à baiana…
    Pode contar?

  2. 27/07/2011 19:09

    Olá Ricardo, esqueci dessa parte. está lá no meu blog pessoal. 😉

  3. 23/09/2011 17:04

    Olá Eve, achei muito interessante os seu depoimento!!!

    Eu estou aqui na Alemanha e estou ainda aprendendo a língua. Ano que vem já farei o TESTDAF para ter o certificado de alemao. Já sou formada em administracao e estou a procurar alguma empresa na alemanha ou no brasil, na qual eu poderia me candidatar a trabalhar. Poderia me dar alguma dica de como e por onde eu comecaria a fazer isso? (desculpa os erros de acentuacao, mas estou usando um teclado aqui na alemanha)

    Obrigada pela atencao!
    Larissa Lopes

  4. 27/09/2011 21:10

    Olá Larissa,
    vc pode procurar vagas no monster.de, por exemplo.
    O importante é ter o currículo traduzido (com foto) e seus certificados e diplomas tb.

    Boa sorte!

  5. Paulo permalink
    29/11/2013 14:39

    Eu trabalho na Alemanha ha quase 10 meses. No terceiro mes de trabalho era meu aniversario e comentei “nao é todo dia que a gente faz 23 anos”. Apesar de eu ter 39 anos, ninguem parece ter entendido a piada.
    E nao foi problema de lingua, eu falei em ingles …. culturas diferentes sao culturas diferentes.
    Sem falar no dia que acharam estranho que eu escovava os dentes depois do almoco. Imagina se eu disse que tomo banho todo dia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: