Skip to content

Nos EUA que eu moro

31/08/2011

Lorna
Birmingham, Alabama -EUA

 

* As ruas não foram feitas para pedestres, não tem transporte público, calçadas são coisas raras (limitadas ao centro da cidade), as ruas são largas e as sinaleiras ficam distantes exigindo que você use o carro mesmo tendo que andar poucos metros;

Campus da UAB

*A UAB é a maior empregadora do Estado e onde você vê prédios grandes e muita tecnologia;

* Você pode comprar na universidade frutas e verduras frescas dos fazendeiros locais;

* Não tem praia, mas os americanos deram um jeitinho: já que aqui tem muito parque, trouxeram areia, colocaram a beira do maior parque da região e fizeram uma “praia” num lago. A “praia dos Rednecks” (Oak Mountain Park), como é conhecida (redneck é uma forma pejorativa de chamar os fazendeiros);

* Tem uma taxa alta de gravidez na adolescência e mulheres na minha idade (27 anos) têm 2 ou 3 filhos. Muitas delas são donas de casa mesmo sendo graduadas;

* As pessoas vão para igreja todo domingo com a melhor roupa do closet (sendo que existe uma moda para as brancas e outra para as negras), enquanto passam a semana andando pela rua de pijama e pantufas ou shortinho de correr e T-shirt;

As mulheres que eu vejo aqui usam tudo com muito mais brilho

* As roupas sao iguais, as estampas são iguais, os sapatos são iguais, a maquiagem (sempre carregada) é igual… para todo lado que se olhe, tá todo mundo usando o mesmo padrão (claro que há uma separação baseada na cor de pele “isso é coisa de negro e aquilo é coisa de hispânico”);

* As pessoas são tão formatadinhas  quenem sempre pensam outside the box;

* A simpatia das pessoas é uma marca registrada, elas puxam assunto em qualquer lugar, fazem piadas, elogiam suas roupas (eu sempre recebo elogios de desconhecidos, afinal, minhas roupas brasileiros fazem sucesso por aqui, talvez por serem diferentes);

* Se quero comprar produtos brasileiros, preciso viajar para o estado vizinho;

* O estado é super conservador e a família está sempre em destaque;

* Os móveis têm um estilo europeu mais antigo, tudo muito grande e pesado e por aqui não tem Ikea;

* Aqui tem gente pobre, sem nenhum dente, passando fome, mas há uma cidade nas redondezas que comprar uma casa é um luxo.

* As pessoas são super educadas e dão passagem no trânsito, deixam você passar na fila das lojas;

* O ex-governador foi preso por corrupção, deixou um rombo gigantesco nas contas e a cidade está tendo que fechar órgãos públicos porque está sem dinheiro;

* Passou um tornado gigante no último 27 de abril e deixou muita coisa destruídas. Os americanos daqui ainda estão lutando para reerguer tudo;

Paula Dean com sua alegria sulista estampada

* o sotaque é cantado e gostoso, mas por vezes difícil de entender;

* O preconceito contra negros, homessexuais é  bem forte  (apesar de ninguém falar sobre o assunto);

* Paula Dean e suas comidas gordas (e gostosas) é uma sumidade e ela representa bem uma típica mulher sulista.

Bom, eu moro em Birmingham no Alabama e aqui os EUA é bem diferente do que passa na TV e nos lugares turísticos.

Vixe, quase esqueci de me apresentar. Lorna, prazer!

17 Comentários leave one →
  1. 31/08/2011 20:31

    Seu post é bem oportuno pois mostra um lugar completamente diferente do Renato, que tambem mora nos EUA e de onde eu morei (California).

    Ou seja,nem todo lugar é igual (ainda mais em paises de grandes dimensoes como EUA,Brasil,etc).Como vc mesmo colocou no seu post,nem tudo é 100% como muitos imaginam nos EUA.Criamos isso como brasileiros como um sentimento de colonizaçao como se tudo que fosse de fora fosse qualidade.Tem muita coisa de cultura,do tempo, dos habitos de um povo e colonizaçao que é impossivel julgar dos outros(como em geral italianos fazem)..Acho que tudo deve ser respeitado pois nao somos os unicos do planeta.Viva a diversidade e o respeito da propria cultura, sem se deslumbrar como os outros(isso em geral,atitudes de brasileiros).

  2. 31/08/2011 20:55

    Druida, você não imagina o impacto que essa diferença teve no começo, mas agora eu já estou mais adaptada. Minha irmã mora na Califórnia e as histórias de lá são completamente diferentes das histórias que vivo aqui.

  3. RenatoAlves permalink
    31/08/2011 21:36

    Lorna
    Esse post está uma maravilha. Vc sabe que sou seu fã e leio todos os posts do seu blog desde o início. Aqui em Orlando também tem bairro pobre e bairro “negro” o que eu acho um verdadeiro absurdo. Esses bairros são, geralmente sujos e perigosos. As casas têm grades nas janelas e à noite, em alguns bairros, tem toque de recolher pois adolescentes negros saem às ruas quebrando e depredando a propriedade dos outros. Por isso, se for pego depois das 11 na rua é cadeia para alguns, a menos que você prove que estava trabalhando e voltando do trabalho, outra coisa do tipo. As senhoras negras que vão à igreja são assim como você falou. Mas sabe né? Na terra da Disney todo mundo pensa que a vida é feita de fantasia.
    Bem vinda ao Brasil com Z.
    Bjs!

    • 31/08/2011 22:49

      Eu também adoro seu blog e suas pitadinhas de ironia e muita sinceridade. Não sabia que aí tinha toque de recolher não, que triste!

  4. Alice permalink
    01/09/2011 16:03

    Vale lembrar que o proconceito aqui em Bham nao e so contra negro e homossexual. O precoceito e contro todos que sao diferentes. Negro, Hispano, Indiano, Red Neck e por ai vai e o proprio negro que reclama tanto do preconceito, na minha opiniao e um dos mais preconceituosos aqui. E uma raca atacando a outra! E triste ver como as pessoas podem ser preconceituosas!

  5. 01/09/2011 16:08

    Ai Alice, você está certíssima! Eu nunca sofri preconceito aqui, mas as mulheres negras sempre me olham de cima abaixo de uma forma meio que ofensiva. Eu converso com as indianas, com as hispanas, com as brancas, mas as negras nunca me dão bola por aqui…

  6. 01/09/2011 16:37

    Gostei do report. Parabéns! 😀

  7. Renata permalink
    01/09/2011 16:50

    Gostaria apenas de adicionar ao texto principal de Lorna que as pessoas aqui sao educadas sim mas o fato eh que “eles nao ligam a minima pra vc”, They don`t care about you. E a hipocrisia tambem rola solta, no pais onde td parece ser perfeito para o resto do mundo. O pais intitulado um pais livre.. hahahahaaha, nao me faca rir. Aqui e o pais do nao pode, nao pode isso, nao pode aquilo, e as pessoas se borram de medo porque eh a lei.. e eh assim que eles seguem vivendo uma vida muitas vezes comfortavel sim (pq aqui e muito facil comprar, gatar, consumir) mas no entanto em sua maioria infeliz pq a meu ver ele sao reprimidos.

    • 01/09/2011 17:06

      Renata,
      Como assim eles não ligam pra você? Não entendi o que você quis dizer…
      Eles são reprimidos, partindo do nosso ponto de vista (ou quando estão nas baladas, depois de umas doses e começam a “dançar”, rá!). Aqui em B’ham o fator religioso é muito presente, e acaba tendo muita proibição, o que eu mais ouço na igreja é que não pode fazer sexo antes do casamento, mas o número de adolescentes grávidas é um dos maiores do país. Mas acho que a cultura é diferente e fica difícil da gente julgar partindo do nosso ponto de vista.

  8. sonhosnaitalia permalink
    01/09/2011 17:59

    Bem vinda Lorna. Adorei seu post e conhecer um pouco sobre onde vive! Realmente muitas coisas são bem diferentes dos “estereótipos” que estamos acostumados! bjus

  9. 01/09/2011 19:04

    Eu moro no mesmo país, mas tudo isso me soa tão estrangeiro…
    Seu texto me despertou uma vontade ainda maior de conhecer a região.
    Que bom te ver por aqui.
    Um abraço, Lorna!

    • 01/09/2011 19:27

      Lilian, imagine o meu “susto” quando eu mudei e percebi que esses EUA não tinha nada a ver com os EUA dos filmes e os EUA de otros blogueiros. Mas estou me adaptando 🙂

  10. Mariana permalink
    02/09/2011 19:09

    Lorna, adorei seu post!
    Sempre tive vontade de conhecer os vários EUAs que existem além de NY, Los Angeles, Florida etc.
    Me encanta demais a parte sul do país (sempre fui avessa a viajar aos EUA para férias, mas a vontade de ir um dia conhecer Lousiana, Mississipi e por aí vai sempre existiu ..mas afundou um pouco depois do Katrina)

    Não entendo, pq essa cultura sulista não é tão divulgada pelo mundo, sempre achei mto mais rica e interessante.

    Parabéns pelo post 🙂

    • 02/09/2011 19:17

      Obrigada Mariana!
      Olha, Nova Orleans não está 100%, mas está bem. Eu estive lá ano passado e foi super divertido. Nova Orleans é beeem diferente do resto dos EUA, mas é muito legal para “turistar” (meu marido morou lá e acha um absurdo a falta de cuidado que o governo tem com os moradores, a falta de investimento na cidade saindo do “quadradinho” turístico). Passamos pelo Mississipi também. A cultura sulista é vista como de jeca em boa parte do país, pelo sotaque meio cantado, pela forma de se vestir, mas tem seu lado bom também. Venha quando puder :).

  11. Elaine (Nani) permalink
    06/09/2011 23:48

    Adorei Lorna!!! Muita gente pensa que tudo os EUA sao de um jeito apenas. Mas há diferenças entre uma região e outra, de um Estado e outro, e também de uma cidade pra outra, assim como no Brasil, é a tal diversidade. E muitas pessoas, por não terem noção dessa diversidade, generalizam quando falam dos EUA e do Americano.
    Adorei!

  12. 23/09/2011 0:15

    Adorei!!!
    Como aprendi na aula de inglês: to dress your sunday best = sua melhor roupa de domingo, porque será ne? rs.
    Cultura é mto bom!

    Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: