Edu
A Coruña, Espanha
.
 

Solomillo a la brasa

Aqui na Espanha, comer churrasco é uma triste aventura, principalmente para quem vem do Brasil e está acostumado a se esbaldar entre picanhas e outras delícias bovinas das tradicionais churrascarias brasileiras. Acredito que nossos “hermanos” argentinos sofram o mesmo drama.

Eu vivo na região da Galícia que é conhecida nacionalmente pelos mariscos (este sim são inigualáveis), mas também pela carne. Inclusive existe um selo de qualidade chamado “Ternera Gallega” que certifica que a carne que tem este selo é de excelente qualidade. Bom, excelente qualidade para quem nunca saiu da Galícia, porque sem querer fazer trocadilho, “a carne é fraca”.

Já tentei de tudo. Pedi dicas a “especialistas”, comprei carnes de diferentes tipos e preços, mas ainda não encontrei nenhuma peça que pudesse chegar aos pés da carne brasileira. Quando preparo um bife, a carne solta uma espuma esquisita na frigideira, os filés são muito finos, duros e às vezes elásticos.

Tem uma carne aqui na Espanha chamada “solomillo” (que de acordo com o Wikipedia corresponde ao nosso contra-filé), que dizem os “experts” ser o supra sumo das carnes espanholas. Tomara que seja mesmo, porque o quilo custa em torno de 40 euros!!! Eu nunca comprei, porque é um preço que não posso pagar, porém já tive a oportunidade de comer em restaurantes e realmente é uma carne muito saborosa, mas eu ainda não tive a oportunidade de comê-la em “formato de churrasco”.  A que eu comi veio servida assada no forno, ao molho madeira e acompanhada de pimentão e tomate. Portanto, preciso que alguém me convide para um churrasco com solomillo (acho difícil), para ter uma opinião formada.

Já fui convidado para alguns churrascos (feitos por espanhóis) e o sistema deles é parecido ao nosso. Cortam a carne em pedaços e colocam em uma espécie de grelha. Pelo menos aqui na Galicia, não se costuma utilizar carvão, o povo faz o churrasco à lenha, que pessoalmente acho que melhora muito o sabor da carne. Quanto à variedade das carnes, não há muita realmente, e o nível, como disse antes, é “aceitável”.

Em um destes churrascos que fui convidado, levei um tupperware com molho à campanha. A galera estranhou um pouco aquela mistura de pimentão, cebola e tomate picado com vinagre e azeite, porém quando se serviram com a carne, ficaram malucos!!! O molho acabou em 5 minutos.

A carne espanhola é inferior a brasileira basicamente por dois motivos: A raça do boi espanhol é diferente e os cortes são feitos de outra forma. Além disso, aqui na Espanha não existe molho à campanha, nem a nossa farofa, que são itens indispensáveis em um bom churrasco. Sem falar na caipirinha! A próxima vez que me convidarem para um churrasco vou levar molho à campanha, farofa e caipirinha. Tenho certeza que sairei dali sob aplausos!

De todas as formas, os espanhóis são cientes e reconhecem que as carnes sul-americanas (principalmente brasileiras e argentinas) são superiores.  Inclusive, aqui na Espanha existem churrascarias brasileiras e argentinas que costumam estar sempre cheias. Dizem eles (os brasileiros e argentinos), que a carne vem congelada de seus respectivos países. Tenho minhas dúvidas. Mas a qualidade é muito boa. Não é igual a carne servida nas churrascarias brasileiras, mas para quem mora no exterior, está ótima.

Para fechar o post, vou deixar uma curiosidade para vocês. Uma vez me perguntaram o que acontecia com a carne dos touros que eram mortos nas touradas em Madrid. Essa pessoa me perguntou se a carne era doada para a caridade. Quem dera se fosse assim. A carne dos touros mortos nas touradas vai para restaurantes de Madrid que cobram uma fortuna pelo prato. Normalmente eles colocam um cartaz na porta do restaurante avisando que hoje será servida a  carne do touro morto na tourada do dia “tal” pelo toureiro “tal”. E como disse, o prato sai caro. Afinal de contas, não é todo o dia que você come a carne de um touro morto por um toureiro famoso! Coisas de país de “primeiro mundo”.