Carla  –  Milão, Itália.

Pra quem acha que italiano só come massas tá redondamente enganado! Italianos têm uma alimentação bem variada, comem massa todo dia sim, mas isso é só um dos pratos saboreados nas refeições. Tem de tudo um pouco, e inclusive, adoram um churrasco.

Aqui o churrasco é  grigliata ou barbecue/barbeque (BBQ). Tem de tudo, carnes, linguiças, salsicha e até verduras como abobrinha e berinjela. Mas o mais tradicional é a costeleta, que nada mais é que uma costelinha, pode ser de boi ou de cordeiro. Porém não tem arroz, vinagrete muito menos farofa. É carne e basta!

A diferença fundamental: a carne não é salgada antes de colocar na churrasqueira, dizem que seca a carne. Então eles salgam a carne no prato ou comem sem sal mesmo.

Outras diferenças: preferem alimentar o fogo com lenha do que com carvão; comem em etapas, então primeiro servem as costelinhas, depois as linguiças e depois os bifes por exemplo; falando em bifes: são sempre bifes finos, nada de colocar a peça e ficar o “dia inteiro” assando e fatiando aos poucos, como pelo menos lá na minha terra fazemos.

Carne por aqui é caro no geral, mas a picanha que por aqui tem o nome de codone não é muito apreciada, por isso barata no açougue. Cerca de 6,90 o quilo. Mais barata até que o Brasil. Mas não é igual a nossa picanha, tem menos gordura, e como os cortes do boi são totalmente diferentes por aqui, o codone pega a parte que seria a nossa picanha, mais um outro corte. Mas dá pra enganar.

Quando fizemos o nosso churrasco à brasileira para amigos italianos, eles curtiram as “novidades”, como colocar uma peça maior na churrasqueira, salgar a carne primeiro com sal grosso, colocar cebola pra assar, assar também provolone, pão de alho, comer arroz branco, vinagrete e farofa! E entre a gente não falam mais grigliata,  falam churrasco! Aí sim! Hahahaha!

Com a entrada da primavera e verão, os parques e beiras de lagos, campings nos fins de semana ficam cheios de gente fazendo churrasco. Existe um dia oficial do churrasco em família que é na Pasquetta ou o Lunedì dell’angelo (segunda-feira do anjo, depois da páscoa, que marca a data que um anjo encontrou com as mulheres Maria Madalena, Maria e Salomé na sepultura de Jesus). O que a data tem a ver com churrasco eu não sei, mas acho que tem a ver sim em estar em família e aproveitar o momento especial.

E eles levam tudo para o parque, mesas, churrasqueiras, cadeiras, ou então toalhas e cangas e aproveitam pra tomar sol. Tudo isso regado de carne e vinho, às vezes cerveja!

Achei que as diferenças não são tão gritantes e não nos deixa com tanta saudades do churrasco brasileiro. Uma coisa que acho bom é que churrasco não é sinônimo de “bebeção”, como estava acostumada lá no Brasil. A intenção é comer mesmo, e não ficar bebendo tanto até “chapar”, eles bebem pouco por aqui.  O legal é que dá pra adaptar facilmente o nosso ao deles e vice-versa, assim todo mundo fica contente!

Baci!

Carla Guanais é cientista, blogueira e mora na Itália desde 2010. Saiba mais sobre ela clicando aqui.