Carla  – Milão, Itália
.
 

O que muita gente pergunta quando moramos fora é se o custo de vida é alto ou baixo, se é caro ou barato viver aqui. Bem, isso depende. Algumas coisas são bem mais baratas relacionadas ao Brasil, outras já bem mais caras, e outras ficam ali, a mesma coisa.

Vou dar alguns exemplos:

Aluguel/moradia/comprar apartamento ou casa: caro! É caro acho que como em toda a Europa. Principalmente perto das e nas grandes cidades como Milão. Em Milão vai pagar de 10 a 20 euros o metro quadrado para alugar. Aqui, a 15 km de Milão, em Senago, onde moro, pago cerca de 4,4 euros o metro quadrado do apartamento. Bem, difícil falando assim né? Bem, eu moro num ap. de 90 m2, e pago400 euros o aluguel. Em Milão um desse porte não achará por menos de 1000. Pois é!  Isso fora as despesas de condomínio etc.

Comprar carro: barato! Carros são de fácil acesso aqui, ótimos preços e todo mundo pode ter. Como é barato, as pessoas também trocam  muito, o que desvaloriza muito o usado.  Comprar um usado vale muito a pena pois são sempre bem conservados e por um ótimo preço. Pagamos 1000 euros por nosso 600 de 1999. E tá ótimo, faz 20 km/L. Hahaha! Pra dar exemplo de carro zero, os mais baratos saem na faixa de 7000/8000 euros, um Sandero (da Dacia, que no Brasil é da Renaut) custa 6950 euros (no Brasil R$20,500). Cliquem aqui e vejam a lista de preços dos carros zeros no mercado hoje.

Compras de supermercado: barato! Claro, depende também do seu gosto e o quanto consome, rs. Mas é o que sempre digo, você pode pagar pouco por coisas de qualidade. Pode comer de tudo, pois tudo tem produtos com uma ampla faixa de preços, pra quem tem mais e pra quem tem menos. Tem vinhos de 2 euros, como tem de 100. Leite de 0,59 e de 1,50. Refrigerante de 0,29 e de 2,00. E assim sucessivamente. Não existe uma coisa que não consiga comprar pra comer porque é muito caro! E não só comer. Produtos de beleza e higiene também! Me alimento muito melhor aqui que no Brasil, comida variada, muito mais fruta e verdura do que eu comia no Brasil. Algumas coisas são caras, claro, não dá pra querer chupar manga aqui que vai pagar 2,60 em UMA, mas comer as frutas da estação é super barato, bem como as verduras.

Roupas: barato! Dá pra se vestir bem sem gastar muito. Lojas populares que vendem produtos de boa qualidade com ótimos preços. Fora as feiras de rua, fora os Saldi de verão e inverno, que se compra TUDO por metade do preço, ainda na estação! Roupas de marca pra mim são mais baratas que no Brasil, mas ainda sim caras. Nunca gastei com marca e nunca vou desperdiçar meu dinheiro com isso. Claro que tênis e algumas outras coisas a qualidade vem primeiro, mas comprar marca por comprar, jamais!

– Médicos/dentistas: caro! Apesar de ter a saúde pública, tudo você paga alguma coisa. Cada consulta por exemplo, cerca de 25 euros, os exames de sangue por exemplo vai pagar de 30 a 100 euros, dependendo do tanto de análises inclusas. Médico particular é mais caro ainda, impensável aqui. Fora as listas de espera. Marquei um endocrinologista uma vez, demorou mais de 3 meses para a consulta. Agora, quando você tem doenças crônicas, fica isento de pagamento de taxas e exames, eu tenho hipotireoidismo, então exames especificos e consultas ao endocrino não pagarei mais, agora esperar a consulta, isso só muda se é urgência. Dentista então, nem se fale! Caríssimo! Tanto que brasileiros esperam a ida ao Brasil para passar no dentista. Fui aqui essa semana paguei 22 euros a consulta, 27 uma panorâmica (até aí tudo bem), e fiz um orçamento. 1 ano de Itália sem dentista: 1 cárie, preço 91 euros, só a cárie, fora limpeza e flúor… Isso porque esse é uma clínica odontológica do governo, do hospital. Só quem não paga são crianças e alguns casos de baixa renda, mas isso pra quem tá aqui há bastante tempo e tem isenção do imposto de renda do ano anterior, não é o meu caso. Clínicas particulares são mais caras ainda, uma facada no peito ou como dizem por aqui: una botta.

– Viajar: barato! Devido à diversas promoções pela Ryanair e Easyjet fica fácil viajar por aí. Hoteis já são mais caros, mas há opções de abergues mais em conta e o lance de levar sempre comida nos passeios, comprar no mercado para não pagar caro em restaurantes.

E os salários? Humm, com a crise dizem que baixaram muito, mas mesmo assim quase ninguém ganha menos de 1000 euros ao mês. Dinheiro que rende muito mais aqui que no Brasil. A diferença também é que não tem muita diferença pra quem trabalha fazendo faxina e quem trabalha em escritório por exemplo. Todo mundo ganha mais ou menos a mesma coisa estando no mesmo nível de estudos e dependendo do caso até mesmo em níveis diferentes, e tem basicamente o mesmo poder aquisitivo, então quase não dá pra perceber pelas ruas quem tem dinheiro e quem quase não tem, não tem aquela diferença contrastante, pelo menos eu vejo assim.

E aí? No balanço geral é caro ou barato? Hummmmm….. Pra mim compensa, tenho uma vida melhor que no Brasil e olha que nem na minha área eu trabalho ainda, e isso logo logo vai acontecer, já que minha profissão foi reconhecida por aqui, como contei lá no meu blog.  E olhem que tô numa área considerada cara, norte da Itália, vizinha de Milão. Dizem que no sul é tudo ainda com preços melhores, um dia vou ver pra conferir!

Escrevi uma vez posts sobre preços nos supermercados, se quiserem dar uma olhada lá cliquem nos itens:

O milagre das compras   e  Supermercados e a corrida dos preços

Baci a tutti!

Carla Guanais é cientista, blogueira e mora na Itália desde 2010. Saiba mais sobre ela clicando aqui.