Thiago Fernandes
Liverpool, UK

O Thiago mora em Liverpool e através da nossa seção COLABORE mandou um texto sobre “estudar na grã-bretanha”. Participe você também, expatriado e expatriada de qualquer canto do mundo! O Brasil com Z está sempre de portas abertas para publicar informações interessantes sobre o cotidiano de brasileiros e brasileiras que moram no exterior e estão dispostos a compartilhar suas experiências.

Eu tenho alguns amigos que querem vir estudar aqui. Uns querem fazer curso de Inglês, outros querem fazer um curso universitário ou de pós-graduação. Nessa hora sempre surgem dúvidas quanto a equivalência dos estudos do Brasil com a educação Inglesa. As diferenças são muitas, porém vou tentar explicar as principais:

• Lembre-se que as estações do ano são invertidas aqui por estarmos no hemisfério norte. Isso quer dizer que as férias de verão aqui são as férias de inverno do Brasil. Ou seja: o ano acadêmico no Reino Unido começa em Setembro enquanto que no Brasil começa em Fev/Março.

• No Reino Unido não há vestibular. A sua aceitação nas universidades é processada através de um sistema único eletrônico chamado UCAS. Lá você pode escolher cinco opções de cursos/universidades e a sua aceitação é considerada pelas instituições levando em conta os seguintes pontos: 1) seus resultados nos exames de A levels*; 2) suas habilidades pessoais, que são avaliadas através do seu “Personal Statement” (carta de apresentação obrigatória que você envia explicando porque quer fazer o curso escolhido), por vezes o candidato é chamado para uma entrevista; 3) sua carta de recomendação, que deve ser submetida por um professor (ou chefe do seu trabalho se você já deixou a escola há muito tempo), você preenche o nome e os dados do seu “referee” e ele recebe um nome de usuário e senha para entrar no sistema e submeter a carta de recomendação.

• Exame de IELTS (caso você não seja Britânico e sua língua materna não seja o inglês), a pontuação exigida no IELTS varia de acordo com o curso e universidade que você deseja cursar.

*No Brasil o ENEM pode ser considerado um equivalente próximo dos A Levels Britânicos. Porém como no Brasil não há um exame “exatamente” igual aos A Levels, você teria três opções para ser aceito em um curso superior aqui: A) Cursar um ano de “Foundation” (também chamado de Year 0) oferecido pela universidade. B) Fazer um “Access to Higher Education Diploma” oferecido por algum college. C) Cursar o primeiro ano no Brasil do curso que você deseja fazer aqui, muitas universidades aceitam isso como substituto das outras duas opções acima.

PÓS-GRADUAÇÃO
Para aceitação nos cursos de pós-graduação aqui geralmente são necessários os mesmos itens anteriores, só que ao invés dos “A Levels” você necessita ter um Diploma de Bacharel de uma universidade reconhecida devidamente validada pelo NARIC (Órgão usado pelo governo Britânico para validar e reconhecer Diplomas internacionais).

Note nesta tabela que os cursos de Bacharel na Inglaterra têm duração de 3 anos (comparado com 4 anos no Brasil). Algumas universidades no Reino Unido oferecem graduações de 4 anos, chamadas de Master’s Degree, aonde o quarto ano é estudado em nível de Pós-Graduação. Enquanto no Brasil você se forma ou é reprovado, na Grã-Bretanha o título do seu diploma faz referência às suas notas durante o curso. Exemplo: As pessoas que cursam a mesma graduação receberão diplomas com títulos diferentes dependendo das notas obtidas.

Os tipos de diploma são:
First class honours (1st) – Apenas cerca de 10% dos alunos conseguem esse título por ser necessário notas maiores a 7.0 durante todo o curso para obtê-lo. Second class honours, upper division (2:1) – Média de 6.0-7.0 nas notas. A maioria dos alunos no Reino Unido se formam com esse título.
Second class honours, lower division (2:2) – Média de 5.0-6.0 nas notas. Não é ideal, mas ainda aceitável pela maioria das empresas e o mínimo para poder fazer pós-graduação.
Third class honours (3rd) – Média de 4.0-5.0 nas notas. Cerca de 20% dos alunos se formam com esse degree. Não é bem visto por empregadores.
Ordinary degree (Pass) – Média de 3.5-4.0 nas notas. Basicamente só serve pra dizer que você esteve na faculdade e passou raspando. Com esse diploma você não vai chegar muito longe em termos de emprego no Reino Unido e nem vai poder fazer pós-graduação.

Então cuidado: Não é suficiente somente ter um diploma de bacharel para ser aceito em um curso de pós-graduação. As notas que você tirou ao longo do curso contam muito!

JOINT HONOURS
Essa é a minha parte preferida: A flexibilidade dos cursos universitários Britânicos. Exemplo: Digamos que você gosta muito de História, porém também ama Espanhol. Você pode se formar em História/Letras Espanhol (O famoso “Joint Honours”). Ou seja, você estuda duas disciplinas e sai graduado em ambas. O título do seu diploma vai depender da quantidade de créditos que você estudou de cada matéria. Major-minor: Se você estudar História como mais de 50% dos créditos, você se formará em History Major e Spanish Minor. Joint: Cada matéria foi estudada 50/50. Você se formará em Joint Honours History/Spanish.

FEES
Lembre-se que os Fees (Anuidade) para alunos de fora da União Europeia é consideravelmente mais alto. Os cursos são pagos a cada “Term” e não por mês. Para estudantes estrangeiros às vezes o pagamento deve ser feito pelo ano acadêmico inteiro por questões de imigração.

ANO ACADÊMICO O ano acadêmico Britânico é dividido em três terms: Autumn Term/Michaelmas/First (Set – Dez) Spring Term/Lent/Second (Jan – Mar) Summer Term/Easter/Third* (Abr – Jun) *Exames de Avaliação