Skip to content

Dez hábitos que eu aprendi morando no Vale do Silício e que mudaram a minha vida!

10/10/2014

EUARenata Kotscho Velloso
San Francisco, EUA
 

Atenção: esse não é um artigo sobre como a vida nos Estados Unidos é maravilhosa e no Brasil é uma porcaria ou vice versa. É sobre coisas que eu aprendi morando aqui. Obviamente também poderia escrever um artigo com 10 coisas que os Estados Unidos poderiam aprender com o Brasil, alias certamente bem mais do que 10. É uma ideia para um próximo post meu para o Brasil com Z.

Eu, meu marido e nossas 3 filhas nos mudamos para Califórnia faz 3 anos. Meu marido trabalhava no Google no Brasil e foi transferido para sede do YouTube aqui na região de São Francisco onde moramos desde 2011. Estamos amando a experiência e aprendemos muitas coisas desde que chegamos aqui.

           1. Escola pública de qualidade é possível

Nossas 3 filhas frequentam a escola pública aqui no Vale do Silício, algo que nunca passou pela nossa cabeça em São Paulo. As escolas públicas onde moramos são de excelente qualidade. Mas isso não é mérito apenas no governo. A comunidade abraçou as escolas e os pais são responsáveis por 20% do orçamento de educação da cidade. Além disso, todos os pais (todos mesmo!) participam do ensino dos filhos, atuando como voluntários na sala de aula ou na associação de pais. Eu por exemplo sou responsável pelas aulas de artes no terceiro ano, classe da minha filha caçula.

Aula de artes

Aula de artes

          2. Uma alimentação saudável faz você se sentir melhor

Vocês imaginariam que alguém iria aprender isso logo nos EUA? Mas a Califórnia é o estado mais geração saúde do país. Difícil você ir num restaurante aqui e não encontrar suco de couve no cardápio! Exageros a parte a verdade é que a nossa alimentação mudou para muito melhor aqui. Hoje damos muito mais valor para alimentos reais, de preferência orgânicos e fugimos o máximo dos industrializados. Com isso a saúde da família toda melhorou e para nossa surpresa não nos sentidos restringidos e sim com muito mais energia. Ah outra coisa é que aqui quase ninguém fuma o que ajudou o marido a largar o cigarro.

          3. Todo mundo pode ser útil

Trabalho voluntário aqui é incentivado desde os primeiros anos na escola e vai até bem depois da aposentadoria. A partir do sexto anos os alunos tem que cumprir horas mínimas de trabalho voluntário na cidade. Cada um pode escolher a sua causa e oportunidades não faltam. Nós trabalhamos na horta comunitária e doamos os alimentos que produzimos para um abrigo. É muito importante as crianças aprenderem desde cedo o quanto são privilegiadas e que podem contribuir para uma sociedade melhor e mais igualitária.

alimentação saudável da própria horta

alimentação saudável da própria horta

          4.Experiência são mais legais do que coisas

Foi aqui no Vale do Silício que fomos apresentados a filosofia minimalista. Resumidamente a ideia é você não ter nada na sua casa que não seja útil ou muito bonito. Parece simples, mas quando você começa a “destralhar” a vida é que percebe quanta coisa inútil e feia consegue acumular. Nessa filosofia temos privilegiado muito mais as experiência e muito menos o consumo. Preferimos gastar o nosso dinheiro em viagens, bons restaurantes, passeios legais e shows do que consumindo porcaria.

          5. Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal é fundamental

A cultura das empresas aqui do vale do silício favorece que as pessoas tenham uma vida fora do trabalho. Todo mundo tem metas para cumprir, claro, mas ninguém é obrigado e ficar fazendo cera no serviço para parecer ocupado. Isso nem é valorizado. A pessoa aqui é considerada eficiente se ela consegue cumprir os seus objetivos dentro do horário normal que é das 9 as 5. Você também pode trabalhar de casa, resolver nadar na piscina do prédio no meio da tarde e ninguém vai olhar feio se precisar sair para levar sua filha ao médico. Como o serviço doméstico aqui é muito caro ninguém tem empregada todo dia e muito menos que dorme no emprego. Então quem tem filho nunca vai chegar do trabalho 9 da noite em casa, muito menos fazer disso uma rotina.

          6. Dá pra fazer quase tudo pelo celular

Estamos no centro das inovações da internet e isso facilita muito a vida. Quase tudo que eu compro é pelo celular. Reserva de restaurante, cinema, passeio, idem. Médico também dá pra agendar no celular, até serviço de emergência! Você espera em casa e consegue ver em tempo real quanto tempo levará para ser atendido e programar a sua chegada no hospital (claro se não for algo muito grave). Ver o Google self drive car (o carro que dirige sozinho, sem motorista) andando pelas ruas também é muito divertido! Viver nesse caldeirão de inovações é uma experiência única para as crianças e todo mundo é estimulado a colocar as suas ideias em prática. Minha filha de 10 anos por exemplo está aprendendo a programar e nesse verão fará um curso de criação de aplicativos para celular.

          7.É muito legal ser turista na sua própria cidade

Como a gente está morando longe muita gente vem visitar e com isso acabamos levando as pessoas para conhecer os pontos turísticos da cidade e fomos aprendendo que isso pode ser muito divertido. Hoje, mesmo quando não tem gente visitando nós olhamos os guias ou os sites e saímos para fazer passeios “de turista” na cidade. É engraçado como muita gente perde essa oportunidade. Meu marido por exemplo morou quase 5 anos no Rio de Janeiro e nunca tinha ido nem ao Cristo Redentor nem ao Pão de Açúcar. A gente tem a ideia que precisa viajar para conhecer lugares novos enquanto tem um monte de gente viajando para conhecer a cidade onde a gente mora e que nós não conhecemos por pura preguiça e falta de hábito.

          8.Uma comunidade que se apoia faz muita diferença na vida

Nós moramos em uma cidade pequena de 10 mil habitante. A comunidade tem um site (sempre a internet!) em que as pessoas se ajudam o tempo todo. Por exemplo quando quebrei o pé e precisava de uma muleta. Ao invés de comprar pedi emprestado na comunidade e consegui uma em menos de 5 minutos! Carrinho e cadeira de carro para os meus sobrinhos pequenos que estavam vindo visitar? Emprestado da comunidade. Ajuda para organizar a festa de 13 anos da minha filha? Na comunidade consegui 3 alunas colegial que vieram trabalhar de monitora. Dicas sobre o que visitar na Coréia e no Japão? Também perguntei na comunidade e recebi mais de 10 respostas de pessoas que já moraram nesses lugares. Todo mundo se ajudando a gente consome menos e vive bem melhor.

          9.Para se ter sucesso é preciso levar a sério.

Tudo aqui no Vale do Silício é levado a sério e é muito raro você encontrar alguma coisa feita de qualquer jeito. Isso vale para tudo mas no esporte fica mais evidente. Não é por acaso que os EUA papam tudo nas olimpíadas. Primeiro porque educação física é visto como uma matéria tão importante quanto as outras. Se você for fazer um esporte fora da escola então aí é que tudo fica ainda mais a sério. Minha filha de 12 anos jogou uma temporada em um clube de vôlei. Teve noite de assinatura do “contrato” com o time, teve palestra para os pais e atletas com psicólogo com doutorado em Stanford, 2 treinos semanais de quatro horas e dois campeonatos por mês onde, sem exagero, várias centenas de adolescentes jogavam volêi simultaneamente em centros de convenções gigantescos que algumas vezes somavam mais de 30 quadras. Ou seja, o talento é importante, mas o sucesso vem mesmo com muito, muito esforço.

          10. É muito bom quando a sua palavra tem valor

É lindo morar em um lugar em que as pessoas não sabem o que significa “reconhecer firma”. O nosso contrato de aluguel, por exemplo, foi fechado diretamente com os proprietários, por email. Se você precisa trocar alguma mercadoria, basta chegar na loja com o produto não precisa levar a nota, CPF e uma boa desculpa. E o seu dinheiro será reembolsado. Isso mesmo, você não precisa trocar por outra mercadoria. Não gostou, vai na loja e devolve. Se a sua encomenda da Amazon foi extraviada eles te mandam outra. Por exemplo, meu pai comprou um Kindle quando veio me visitar e o Fedex entregou o produto na casa do vizinho, que estava viajando. Eu contatei a Amazon e disse que apesar de estar escrito que o pedido tinha sido entregue eu não tinha recebido. Me mandaram um outro em 2 dias! Quando o vizinho chegou ele me entregou a encomenda e eu devolvi, obviamente. O sistema funcionou tão que eu jamais iria querer me sentir a laranja podre no meio de tanta confiança.

Bio:

Renata Velloso é autora do Bulle de Beauté onde presta consultoria individual e em grupo para quem quer ter uma pele bonita e saudável para a vida toda. Ela também é responsável pelo projeto Doctors on the Cloud onde ensina médicos a se tornarem nômades digitais ou desenvolverem projetos que possibilite mais liberdade na carreira.

17 Comentários leave one →
  1. toucheguy permalink
    11/10/2014 14:10

    oi Renata,

    muito bom você ter ‘ousado’ escrever sobre a qualidade de vida fora do Brasil. Eu também postei um comentário aqui, sobre minha maravilhosa experiência como imigrante na Bélgica, e concordo com você de que a gente não deve ter medo de dizer a verdade, ainda que possa causar ‘desconforto’ e críticas.

    a participação de todos é o fundamento para se construir uma sociedade onde se pode viver tranquilo e feliz. Infelizmente, o ‘levar vantagem em tudo’ permeia as relações no Brasil e, como você, eu também adoro ser tratada como a pessoa honesta que sou. Quando se tem a desconfiança como fato implícito, fica impossível se viver em paz.

    não sei, claro, quais os planos que você e tua família têm em relação a voltar, ou não, para o Brasil. Eu repito: não volto. Sem medo de ser feliz, fico aqui.

    parabéns pelo texto, gostei muito de ler!
    Touché

    • 11/10/2014 18:02

      Oi Touché,

      Muito obrigada por seus comentários. Eu acho que cada sociedade pode aprender com a outra. Tem muita coisa boa aqui sim, mas também tem coisa ruim. O espírito bélico, a hipocrisia, a a maneira puritana com que os americanos encaram a sexualidade são as primeiras 3 que me vem a cabeça, mas certamente existem outras. Eu acho que o legal é a gente incorporar na nossa vida o que a gente vê de bom onde a gente está. Mas sim, não temos perspectivas de voltar para o Brasil no curto prazo.

      Beijos!

      • toucheguy permalink
        12/10/2014 14:26

        sim, mais uma vez concordo com você: legal é incorporar o bom de onde se está e viver entre duas culturas nos permite uma riqueza única.
        sobre o espírito bélico, Renata: de nossa experiência e contato com o povo americano, concluimos que a maioria NÃO comparte o belicismo da Casa Branca. Aliás, parece que em vários países os governantes não representam o pensamento do povo-que-pensa. Me engano?…

        hipocrisia? gostaria muito de aprofundar este fato com você. Não sei se existe nacionalidade para isto. Teu comentário me permitiria aprender mais. E o puritanismo…sim, grave. Como tudo extremado. No Brasil, por conta da nossa famosa ‘liberdade’, chegamos à vulgaridade e à vulgarização do sexo. Parece que, em definitivo, uma atitude aberta E respeitosa é difícil de ser atingida, em qualquer lugar. Porém, se nos fixarmos nestes dois polos, ainda que eu seja totalmente avessa a puritanismos, acho ‘meno male’ uma comunidade assim que o eterno carnaval brasileiro.

        seguimos aprendendo, né?
        abraço,

        ps: eu gostaria muito de ter teu comentário sobre meu post. Possível?
        pps: feliz dia da criança, para você e tuas crianças todas.

      • 14/10/2014 19:51

        Olá Touché,

        Vou falar da minha experiência, como sempre, não é um estudo científico aprofundado, ok?

        Sobre a questão bélica…ainda que muitos americanos não concordem com a política externa do governo, ainda assim é um país armado. Vou dar um exemplo…no ano passado apareceu um cobra cascavel na entrada da minha garagem. Eu liguei para os bombeiros, que me mandaram ligar para o animal control que me recomendaram deixar a cobra em paz. Eu não ficaria em paz com uma cascavel em paz na frente da minha casa e perguntei na comunidade sugestões de como lidar com o problema. A resposta mais comum foi: dá um tiro na cobra. rs Eu não tenho arma, nem nunca pensei em ter…e só queria que a cobra fosse passear longe de mim. Teria outros exemplo, mas acho que esse ilustra bem a filosofia daqui.

        Sobre hipocrisia americana eu acho que se assemelha ao “levar vantagem” do brasileiro. Claro que não é todo mundo que pratica, nem o tempo todo. Mas eu acho que é sim um característica mais comum aqui. Acho que nós brasileiros somos de alguma maneira, mais assumidos e conscientes dos nossos defeitos. Uma parcela representativa dos americanos acha que deveria ser melhor do que é, e como não consegue ser, disfarça. Exemplo? Uma conhecida que pega no pé de todo mundo para ter uma alimentação saudável e natural e vai comer escondido no Taco Bell 😉

        Sobre sexualidade. Eu realmente acho que os americanos são mal resolvidos nesse assunto. Novamente acho os brasileiros mais assumidos. Vou dar um exemplo também. Recentemente a Jennifer Lawrence deu uma declaração sobre as fotos dela que vazaram na internet. Ela justificou que tirou as fotos “porque estava em ume relação saudável de longa distância de 4 anos e você tem que optar, ou seu namorado olha pornografia ou olha para você”. Quer dizer, ela não tinha que justificar nada…cometeram um crime contra ela e pronto. Mas ela não pode chegar aqui e dizer que fez porque teve vontade de fazer, porque aquilo dava tesão para ELA. Não…ela fez para evitar que o namorado consumisse pornografia…o que não deve funcionar muito bem, porque apesar de todo mundo aqui achar o horror do horror, o mercado de pornografia americano é enorme…e ai voltamos novamente a hipocrisia.

        Quanto ao Brasil ser um eterno carnaval eu acho que é mais imagem do que realidade. Pelo menos as pessoas que eu tinha contato pareciam mais bem resolvidas, sem serem promíscuas ou vulgares.

        Mas é claro, o assunto todo dá muito pano para manga. E é questão de opinião.Todo mundo tem o direito de discordar da minha.

      • toucheguy permalink
        15/10/2014 11:28

        oi Renata,

        super gentil você ter me escrito, merci. Então, tentando finalizar estes 3 temas:

        a) belicismo: também me assusto com a facilidade com que os americanos falam em usar armas! a indústria do cinema tem grande responsabilidade nisso, os noticiários tambem. Se fala de usar armas como algo banal, parte do cotidiano. Não queremos isto em nossas vidas. No caso da cobra em questão, tno Brasil somos mais calmos: provavelmente alguém te ofereceria um veneno tiro e queda…quietinho.

        b) hipocrisia: sim, internacional. Eu também não saberia medir estatisticamente, mas é claro que podemos citar exemplos em todos os lugares.

        c) falamos do mercado da pornografia? se produz porque há compradores. Creio que, na medida das inúmeras frustrações que o sistema causa – a falta de espaço’ para ser e criar – mais e mais as pessoas buscam saídas que exprimam seu desgosto e, por falta de conhecimento/apoio, acabam por se ‘refugiarem’ em fantasias, que tendem a ser cada vez mais perigosas e mal-sanas.

        creio que se as pessoas – e sobretudo os jovens – contassem com mais informação e tivessem mais oportunidades de viverem relações afetivas, esta busca do sexo pelo sexo se tornaria a busca do sexo amoroso. Mas sabemos que não é assim. E os donos das sexy-tudo nutrem suas contas numeradas com a infelicidade de suas vítimas, como sempre acontece quando o que prevalece são os interesses dos poderosos.

        não discordamos, não.
        complementamos pensamentos sobre nossas realidades.
        abraço,

  2. Ana Karina Kaltenbach permalink
    12/10/2014 10:57

    Renata, adorei seu texto! Realmente deve ser magnífico é muito mais “leve” morar num lugar (EUA ou não) onde as pessoas se ajudam, compartilham, acreditam… Adorei!

  3. 12/10/2014 15:46

    Oi Re, que post legal !!! Muito bom saber que os amigos têm sucesso em suas opções de vida. Temos muito a aprender! Bjo

  4. 13/10/2014 17:42

    Re, que post maravilhoso!
    Contente demais por conhecer seu trabalho e saber que é sobre pele.. eu estava procurando e olha só, casou! =)
    Estou indo para a Itália no final do ano passar uma temporada.
    Fiquei surpresa com seu post, achei que fosse como aqui no mundo todo, algumas coisas parecem até algo surreal, né?
    Eu vi que na Suiça, quando as catracas do metrô estão quebradas, as pessoas deixam dinheiro/passagem de metrô em cima da catraca! no way here..

    Bacana também sobre sua filha estar fazendo um curso de programação nessa idade! Relativamente nova.

    Muito boa sorte e sucesso a vcs!

    Abraços,

  5. Simone Brandão permalink
    21/10/2014 19:06

    Adorei o blog! =] Vou p/ a Califórnia em jan, mas p/ turismo! Alguém pode me indicar um bom seguro viagem? Bjs

  6. Jonas Ribeiro permalink
    22/10/2014 17:13

    Ótimos cada um dos hábitos que vc adquiriu Renata! Parabéns! Simone, em minha última trip p/ o exterior, fechei o seguro c/ a http://www.touristcard.com.br Eles estão c/ uma promo p/ quem apresentar o código. Usa o meu: tourist15. Abç.

  7. maruy02 permalink
    30/10/2014 22:07

    Excelente post Renata. Vc pode me dizer o link do site da comunidade que vc menciona no item 8? Obrigado.

  8. Débora permalink
    17/12/2014 23:33

    Oi Renata, em qual cidade do Vale você mora? Eu me mudei recentemente pra Sunnyvale, ainda estou conhecendo a área, essa comunidade que você fala no texto é brasileira? Como você entrou em contato com eles? Bj!

  9. Rafael permalink
    15/05/2016 6:26

    O que me deixa mais revoltado com o Brasil, é saber o quanto é fácil trocar as coisas nos EUA, aqui se você comprar um queijo e quando chegar em casa perceber que tem bolor, vale mais a pena jogar fora, porque se tentar trocar, parece que você está matando a mãe do cara!
    Como se vive MAL no Brasil, é chocante, e como tem muito “espertinho”, todos acabam sendo jogados no mesmo balaio, e pra quem é honesto que nem eu , isso DÓI, e pesa muito negativamente na vida, é muito deprimente.

  10. Robinson permalink
    23/11/2016 18:58

    Brasil = Filas, escassez, altos impostos, maior juros do planeta, carros caros e sem nada E FALTA DE ÁGUA ( uma mentira inventada para cobrar tarifa mais alta dos tr0uxas)

    EUA = o oposto. E consumo de água 10x maior que o Brasil (pesquisem water consuption per country na wiki)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: