Skip to content

Limpando o sótão

09/06/2015

bz_franca

Fabio Takeshi – Normandia, França

Um hábito que eu não conhecia antes de vir para cá é a popularidade dos “vide-grenier” (literalmente limpa-sótão), brocante e afins.

Para quem não conhece, durante uma parte do ano, associações, prefeituras das cidades organizam os vide-grenier onde os habitantes da cidade e outros podem vender os seus artigos que não querem mais. Cada vendedor monta na rua, algumas vezes em frente às suas próprias casas, sua “banquinha” onde expõem os seus objetos em mesas ou sobre um pano na rua. A lista de eventos é publicada nos jornais locais ou na internet. Para poder vender é preciso pagar uma taxa que varia em função do comprimento do espaço de venda. Este tipo de evento é muito comum no interior da França, e ruas inteiras de pequenas cidades são fechadas para o evento, muitas vezes no centro da cidadezinha perto da prefeitura. É um evento familiar e, mesmo as crianças participam.

frança1

[vide grenier em Tancarville, Normandia]

O maior deste tipo de evento na França é sem dúvida a “Braderie de Lille” que acontece uma vez por ano no primeiro fim de semana de setembro, no centro da cidade de Lille no norte da França. São mais de 15 mil expositores (entre profissionais e particulares) espalhados por dezenas de quilômetros e 2,5 milhões de visitantes vindos da França e dos países vizinhos. Para mais informações (em francês): http://www.braderie-de-lille.fr/

Fonte: Braderie-de-lille.fr

Fonte: Braderie-de-lille.fr

Algumas vantagens deste hábito:

Fazer uns trocadinhos

Vender os objetos que não querem ou precisam mais e ainda ganhar um dinheirinho, ainda mais importante em tempos de crise. É muito comum venderem roupa e brinquedos de crianças ou objetos para bebês. Sabem como é, as crianças crescem  e enjoam rápido dos brinquedos. Pode até servir para ensinar aos filhos sobre comércio, dinheiro, fazer contas…

[venda de roupas em um Vide-grenier]

[venda de roupas em um Vide-grenier]

Convivialidade

Para alguns se trata de um momento junto com a família, amigos e vizinhos para conversar e passar um tempo junto. Há também pequenas barraquinhas (buvettes) onde serve-se bebidas, sanduíches, batata frita, salsicha, crepes, … Na região de Champagne, há até mesmo barraquinhas que vendem taças com este famoso vinho efervescente.

Fazer um bom negócio

É possível encontrar bons negócios nestes eventos, à condição de chegar cedo e ter um senso de negócio. Muitas vezes o vendedor quer apenas se livrar dos objetos então ele faz um preço único para um lote. Além disso, na maioria das vezes, não há etiqueta com o preço dos objetos e pode-se tentar pechinchar. Encontram-se muitos pequenos objetos à venda por menos de 1 euro ou objetos antigos esperando para serem descobertos e renovados. Aconselha-se ter sempre pequenas notas de dinheiro e moedas em mãos.

É bom para o meio ambiente :

Dá-se uma nova vida aos objetos e gera-se menos lixo jogado fora.

Bom passeio

Mesmo que não se encontram nada que ache interessante, continua sendo um bom passeio para se fazer nos fins de semana e feriados, e conhecer outras cidadezinhas. O melhor é ir quando não chove pois se não, os vendedores se desencorajam de ir.

[passeio em família em um Vide-grenier]

[passeio em família em um Vide-grenier]

* Fabio Takeshi Utida mora na França há 6 anos e, após morar nas regiões de Borgonha e Champagne , resolveu estabelecer-se na região da Normandia.  Para saber mais sobre ele clique aqui.

2 Comentários leave one →
  1. Arlete Dotta permalink
    09/06/2015 12:11

    Oi Fábio, acho uma coisa legal isso de tentar achar um dono pra uma coisa que a gente não usa mais. Quem encontra o que estava procurando, não precisou comprar novo e com isso gerou menos lixo. Aqui na Suíça, existem as “feiras de pulgas”. As pessoas se reúnem em uma sala de uma escola ou em um lugar cedido pela prefeitura pra vender as próprias coisas usadas. Tem umas com todo tipo de objetos como essas aí da França, mas tem também outros como somente roupas para crianças, ou somente brinquedos (nesse caso, as próprias crianças são os vendedores), etc.
    Quase tudo que a minha filha tem, desde de roupas até brinquedos, foi comprado nessas feiras ou recebido de amigos porque os filhos já cresceram. São artigos praticamente novos que depois ainda podem ser passados adiante mais vezes, principalmente no caso das crianças que crescem tão rápido.
    É muito comum por aqui essa prática de dar e receber coisas (principalmente roupas) usadas. Eu, por exemplo, estou grávida e junto com outras duas colegas do trabalho, passamos roupas de gestantes durante a gravidez de cada uma, umas para as outras. Assim, ninguém precisou gastar um dinheirão com roupas que seriam usadades por tão pouco tempo.

  2. 09/06/2015 12:58

    A braderie de Lille é famosa mesmo. Muitos holandeses vão com prazer visitar. Na Holanda acontecem braderies ao longo do ano (dia das mães, datas comemorativas) por todo país.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: