México é um país de gente muito festeira.

Tudo é motivo de comemoração, desde que mudamos pra cá já fui convidada desde festa ed primeira comunhão, até festa de aposentadoria. Uma das grandes festas reconhecidas mundialmente do país é o Dia de los Muertos (comemorado em novembro.) . Mas antes dela temos uma festa incrível, bonita de se ver, que quando eu conheci, aumentei o amor por esse país.

É a Festa do Grito.

Sim, o grito da Independência do país. Ninguém sabe ao certo o que Miguel Hidalgo gritou ao certo no tal dia, há algumas frases ditas por aí, como essas versões:

Juan Aldama, general Insurgente (1811):

“¡Viva Fernando VII!, ¡viva América!, ¡viva la religión y muera el mal gobierno!”

Manuel Abad y Queipo, obispo (1810):

“¡Viva nuestra madre santísima de Guadalupe!, ¡viva Fernando VII y muera el mal gobierno!”

Lucas Alamán, político e historiador (1840):

“¡Viva la religión!, ¡viva nuestra madre santísima de Guadalupe!, ¡viva Fernando VII!, ¡viva la América y muera el mal gobierno!”

 Fiquei de queixo caído de como o país se veste com as cores da bandeira, de como é enfeitado. Mesmo em época de Copa do Mundo, não tinha nada disso. E os convites começam a chegar, pro “Dia do Grito”. É um evento! Tem festa! Eles se reunem como nas festas de fim de ano! As crianças, nas escolas, tendo intensivões sobre o amor a pátria e a bandeira. E isso é desde o kinder! Criancinhas pequeninicas, marchando, com bandeirinhas, coisinhas mais fofa.

O país de veste de verde, branco e vermelho. As praças principais estão todas enfeitadas, fantasias são vendidas dos heróis da independência. Me deu uma certa vergonhazinha, pois sempre me perguntavam de como comemorávamos a independência do Brasil e eu, dava meu melhor sorriso amarelo (e pensava…. indo pra praia com os amigos!).

Portanto, o mês de setembro, dia 15 do histórico grito ( que é reproduzido pelos governadores em suas cidade e o presidente da República, no Palácio do Governo da Cidade do México – Zócalo) e dia 16 de setembro, é festividade pátria MÁXIMA do México. Além da independência se comemora:

  • A defesa do Castillo de Chapultepec (13 de setembro de 1847).
  • A entrada triunfal no México do exército Trigarante liderado por Iturbide, marcando o fim da Guerra da Independencia (27 de setembro de 1821).
  • O nascimento de José María Moleros y Pavón (30 de setembro de 1765).

Ninguém trabalha, nem a bolsa de valores, em todas as cidade são feitas celebrações cívicas e honras a bandeira. Sempre com desfiles e representações sobre os feitos ocorridos nesse dia. Depois das honras, pratos típicos , danças folclóricas e mariachis.

E foi depois desses dias de festividades que minha admiração pelo amor do mexicano a Pátria e a Bandeira, surgiu!

Besitos a todos. E viva México!

DSC06451 DSC06464 DSC06102 DSC06109 DSC06005 DSC06334

Todas as fotos desse post: arquivo pessoal da própria autora.