Skip to content

O pilantra sempre vai atrás do estrangeiro!

15/09/2015

bz_colaborador André Fernandes – Brasil

Lendo dicas de cuidados a tomar enquanto viajando em alguns lugares, lembrei de algumas tentativas de golpes que vi durante minhas viagens até agora. Eu, particularmente, sou muito desconfiado e não dou conversa, nunca fui roubado e evito chamar a atenção. Não existe nenhum lugar 100% negativo ou 100% positivo, logo, cuidados sempre devem ser tomados, por menores que sejam as chances de você ser roubado num determinado local.

Como ouvi de um motorista que conheci na Índia e que costuma guiar estrangeiros em Jaipur: “O pilantra sempre vai atrás do estrangeiro! Muitas vezes, o turista apenas quer ver um monumento aqui e ali e não se dá conta de que está sendo enganado.”

Vale repetir a frase: O pilantra sempre vai atrás do estrangeiro!

Por bem ou por mal, estrangeiros chamam atenção e muitas vezes locais não vão a lugares turísticos ou àqueles listados no Lonely Planet e Trip Advisor. Logo, não é difícil perceber quem é o turista perdido no pedaço. Abaixo, os golpes que vi com mais frequência.

Uma das tantas táticas usadas por ladrões de carteira. Foto: money.howstuffworks.com

Uma das tantas táticas usadas por ladrões de carteira. Foto: money.howstuffworks.com

Índia

Em nenhum outro país  eu vi tanto golpe diário com estrangeiros como na Índia, não dá pra ser inocente de jeito nenhum. Toda hora tinha que bater boca para não ser sobretaxado e enganado, checar os preços e os produtos que comprava. Não é o caso de pagar 1 ou 2 dólares a mais, Índia é muito barato, mas não pagar por 5 km de autorickshaw o preço de uma viagem de ônibus de 10 horas de estrada, sabe? Ou pagar por roupas e calçados que desbotam e rasgam 2 semanas depois, pagar umas 20 vezes mais por um calçado de plástico pensando que é couro, ou pagar por pedras que se acham no chão da rua pensando que é jóia. Não dá para vacilar, galera! Saiba sempre dos preços, pois é necessário barganhar e sempre inspecione com as mãos os materiais e o produto tem que ser embalado na frente dos seus olhos! Enquanto ia ao trabalho, lembro de uma vez ter sido abordado na rua por um indiano de pele mais clara dizendo ser alemão, que foi roubado e que “precisava” de umas 1.200 rúpias (uns 20 dólares)… claro que virei a cara. Depois de tudo isto, aprendi a identificar pilantras de longe.

Golpe do abaixo-assinado

Andando em Berlin, vi adolescentes ciganos (para deixar bem claro, nenhum preconceito contra esta etnia) da Romênia com falsos abaixo-assinados pedindo quantias como 10, 20 euros e o mais possível. Fingiam ser surdas-mudas e só dar de cara uns minutos depois, estavam tagarelando. São usados por máfias e esquemas de tráfico de pessoas com a mera finalidade de arrecadar a máxima quantia de dinheiro possível para algum chefão na Romênia ou na Bulgária.

Fingir doença e machucados

Lembro de um homem em Veliko Tarnovo, na Bulgária, ter me abordado fingindo estar com o braço enfaixado e dizendo precisar de dinheiro. Eles costumam estar próximos a pontos de ônibus, locais turísticos e estações de trem. E para variar, não abordam pessoas locais…

Pickpockets

Os famosos ladrões de carteira. Sempre em lugares movimentados e, de preferência, cheios de turistas. São muito rápidos e hábeis em furtar. Desconfie de estranhos tentando se aproximar e de pessoas em volta carregando objetos como jaquetas ou jornais, tentando puxar um papo enquanto uma outra pessoa furta. Jamais deixe pertences e dinheiro no bolso de trás e evite carregar bolsas, pois chamam muita atenção.

A loja/restaurante/hotel/ONG/etc. do amigo/irmão/primo/etc.:

Era uma das coisas que mais via na Índia e no Egito, alguém puxando um papo para convencer ir a algum lugar e lhe arrancar dinheiro, o que mais poderia ser? Para variar, jamais fazem tais ofertas a pessoas locais…

O golpe do playboy

Algo comum em países emergentes, onde costuma ser chique andar com estrangeiros e gringos sempre chamam a atenção. O playboyzinho fazendo show off querendo dar uma de sabichão e o mais popular do pedaço, entende? Bom lembrar que onde há desigualdade social, dificilmente uma pessoa afluente vai sair fora da área nobre e conhecer toda a cidade, menos ainda a cultura local, ficam confinados no seu mundinho elitista. Levam para locais turísticos que não pisam desde a infância (se um dia chegaram a visitar) ou nem sequer conhecem e sobretaxam o amigo gringo, mesmo que não precisem fazer uma palhaçada dessas. Fica a dica!

Bebidas batizadas

Onde mulheres estrangeiras são vistas como “fáceis”, é comum a dose/bebida ser “batizada”. Dica básica de mãe para filha adolescente: não aceite bebidas de outras pessoas e fique de olho no seu copo!

Polícia

Pelo leste europeu, andava sempre com a cópia do passaporte, que vale como documento legal e deixava o original bem escondido. Se o policial insistisse em ver o original, que tal ligarmos para a embaixada agora? Na Ucrânia e na Polônia, passei por esta situação para não pagar propinas. Procure se informar sobre a polícia local e possíveis cuidados para não cair em roubadas.

Táxi

Procure se informar se os táxis usam o taxímetro, se tem que negociar antes com taxistas o preço da corrida, quais as empresas regularizadas para não pegar nenhum táxi clandestino e todos estes detalhes em cada cidade que visitar. Em Belgrado, lembro de ter visto taxímetros turbinados quando ninguém dentro do carro falava sérvio.

Mulheres com sombrinha

Lembro de ter visto na Polônia, mulheres com sombrinhas rosas tentando convencer a rapaziada para entrar nos cabarés. Não vou nem imaginar o tamanho da extorsão para deixar o metido a malandro a sair de dentro do local…

Jogos de azar na rua

Além da trapaça do jogo, sempre tem outros integrantes da equipe rodeando pela rua para furtar os curiosos de plantão que páram para assistir.

Câmbio e trocas de moedas na rua

O dinheiro costuma ser falso e os caras somente abordam estrangeiros… Não é preciso dar detalhes, certo?

Espero que tais dicas tenham sido úteis.

____________

André Fernandes, nascido em Santa Catarina para ser um nômade pelo mundo. Voltou ao Brasil e já está pensando nas próximas aventuras!

5 Comentários leave one →
  1. 15/09/2015 11:25

    André, o golpe de se mostrar doente (as vezes mostrando uma receita médica) e pedindo dinheiro para comprar remédios é bem comum no Brasil também. Geralmente vão nas mulheres. Essas das bebidas é totalmente horripilante, já li casos e mais casos em revistas femininas de mulheres que saíram para um bar ou club e acordaram numa cama sendo violentadas por um ou mais desconhecido. São as rape drugs.

  2. 15/09/2015 12:02

    Excelente artigo! Quando viajamos, desligamos o radar que nos alerta que o perigo está em todo o lugar, principalmente onde somos reconhecidos como turistas.

  3. Mirian permalink
    15/09/2015 13:13

    Excelentes dicas.
    Obrigada André.

  4. 16/09/2015 2:51

    Que tal você ir para o Canadá? dizem que lá é tranquilo enquanto a isso

Trackbacks

  1. O que visitar no Cairo? | Brasil com Z

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: