Antes de vir para morar em Medellín pela segunda vez, meu plano era dar a volta ao mundo. Porém, houve uma reviravolta maravilhosa na minha vida – chamada Camila – e então retracei minha rota. Como trabalho remotamente para uma empresa em Portugal, tenho a liberdade de estar onde eu bem entender. Então, conversei com a Camila e decidimos mudar de país. Mas para onde?

A primeira opção era voltar para Portugal, já que minha condição de trabalhador independente me permitiria obter o título de residência, porém o processo de visto seria bem mais demorado e caro. Então voltamos nossos olhos para a América do Sul. E, antes de pensarmos na Colômbia, nosso destino seria o Uruguai. Durante as pesquisas, descobrimos a existência do Visto Mercosul. Essa categoria de visto permite que qualquer cidadão de Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai residam nesses países sem a necessidade de comprovação de vínculo estudantil, empregatício ou qualquer outro.

Apesar de Montevidéu apresentar melhor qualidade de vida, é uma cidade cara para os nossos padrões, então decidimos vir para Medellín, onde o custo de vida é, pelo menos, 50% mais baixo que na capital uruguaia. Assim, em junho deste ano, embarcamos para a Cidade da Eterna Primavera.

VIsto Colombia Felipe Teixeira @podcastondem @blogbrasilcomz

Assim que chegamos e nos instalamos, demos início ao processo de visto, que consiste nas seguintes etapas:

1. Legalizar o Certificado de Antecedentes Penais

No site da Polícia Federal, é possível imprimir esse Certificado. Estando com ele em mãos, o próximo passo é pagar a taxa (COP 14.500 ~ R$19), cujo procedimento é orientado pelo Consulado Brasileiro. Depois de pagar a taxa, o próximo passo é levar as cópias dos documentos (RG, CPF, Título de Eleitor, comprovante de quitação com o serviço militar (para os homens)) mais o Certificado de Antecedentes Penais para o Consulado. No nosso caso, como o Consulado Brasileiro em Medellín é honorário, tivemos que pagar ao Cônsul a taxa (COP 24.000 ~ R$31) para o envio dos documentos a Bogotá. Em três dias úteis, recebemos o documento legalizado.

2. Traduzir, enviar o Certificado para a Cancillería Colombiana e Legalizá-lo

Enviamos o Certificado por e-mail para uma tradutora juramentada em Bogotá, fizemos o depósito bancário relativo à tradução (COP 36.000 ~ R$47) e, em 24 horas, ela nos enviou o documento traduzido. Por via das dúvidas, pagamos uma taxa adicional (COP 8.000 ~ R$11) para que ela nos enviasse a tradução também por correio. Tendo os arquivos traduzidos, enviamos para a Cancillería através do site do Ministério das Relações Exteriores da Colômbia. Em seguida, pagamos a taxa (COP 20.000 ~ R$26) da legalização do documento.

3. Pedir o Visto

Nesse site, preenchemos um formulário com todos os nossos dados, anexamos a cópia do nossos passaportes em PDF e pagamos outra taxa (USD 50 ~ R$190) para análise do pedido. Um dia depois, recebemos a confirmação de que nosso pedido havia sido aprovado. O próximo passo foi pedir a confecção do visto, o que custou USD 205 ~ R$777. No dia seguinte, recebemos um e-mail avisando que nosso visto havia sido publicado, com a imagem em PDF.

4. Colar o visto no Passaporte

Porém, como estamos em Medellín, tivemos que ir a Bogotá para colar o visto no passaporte. Apesar do trânsito caótico da capital colombiana, conseguimos chegar ao Ministério das Relações Exteriores e, em menos de meia hora, estávamos com o visto colado em nosso passaporte, válido por dois anos.

5. Confeccionar a Cédula de Estranjería

Tudo pronto? Não, amigos, quando se trata de burocracia, sempre há mais um documento a ser apresentado. Tínhamos um prazo de 10 dias corridos para ir à Migración Colombia para solicitarmos nossa Cédula de Estranjería, que equivale a uma carteira de identidade. Para isso, preenchemos outro formulário e ainda tivemos que apresentar a cópia do passaporte, do visto e de um exame de sangue com o tipo sanguíneo. A cédula custou COP 162.000 ~ R$208. Depois de alguns dias, buscamos nossa Cédula e agora só precisamos fazer esse processo novamente em 2017.

Observações:

  • O total gasto foi de aproximadamente R$1.300 por pessoa, sem contar o exame de sangue, as xerox e as passagens Medellín-Bogotá-Medellín
  • Os valores podem variar de acordo com a cotação das moedas citadas
  • Fizemos tudo isso tendo apenas o visto de turista
  • Há quem diga que é mais barato fazer isso no Brasil

Comparando com o que passei para tirar o visto em Portugal, aqui na Colômbia foi moleza. Se tiverem qualquer dúvida a respeito do processo, deixem seu comentário. Será um prazer ajudá-los.