bz_euaSheila Ward – EUA

Segundo o site culinaryschools.com, a história dos food trucks americanos teve origem no final do século 17, na costa leste do país, com vendedores ambulantes que paravam suas carroças nas ruas e vendiam comida aos transeuntes. Depois da Guerra Civil (1861-1865), muita gente começou a cruzar o país em busca de novas oportunidades. Essa expansão criou uma necessidade grande de alimentos, e a carne era um deles. Para suprir essa demanda, pecuaristas precisavam percorrer enormes distâncias levando gado para o oeste e o norte do país e, como as ferrovias ainda não haviam chegado àqueles lados, acabavam ficando meses a fio nas estradas, com pouca coisa para comer.

Em 1866, enquanto se preparava para a longa viagem que teria pela frente para levar suas duas mil cabeças de gado do Texas para o estado do Novo México, o rancheiro Charles Goodnight teve uma sacada genial: adquiriu uma carroça que havia pertencido ao Exército e a adaptou com uma cozinha. Deu um jeito de enfiar uma superfície onde pudesse preparar e servir a comida, estocou o vagão com enlatados e outros não perecíveis e lá foi ele, feliz da vida, porque finalmente conseguiria comer bem na estrada. A ideia pegou. Para os cowboys, ‘chuck’ significa ‘boia’ ou ‘rango’  e, desde então, essas carroças  passaram a ser conhecidas como chuck wagons. Essas ‘cozinhas sobre rodas’ são as precursoras dos food trucks de hoje nas terras americanas.

Décadas mais para a frente, imigrantes mexicanos trouxeram a cultura dotaco truck para a Califórnia. A coisa foi se diversificando um pouco, mas, durante muito tempo, food trucks eram sinônimos de hambúrgueres, cachorros-quentes, sorvetes e, naturalmente, tacos. Nada muito interessante.

BLOG Food truck

A crise financeira iniciada na década passada foi a responsável pela reviravolta do street food (comida vendida na rua, seja em bancas, feiras, carrinhos ou food trucks). Por causa da crise, muitos chefes de restaurantes badalados perderam o emprego. Montar um food truck pareceu uma boa ideia para alguns deles, uma vez que o capital que precisariam empregar seria relativamente pequeno. Os americanos, já acostumados com a cultura dostreet food, estavam ávidos por uma comida rápida, econômica, mas de melhor qualidade. Bingo! Assim nasciam os food trucks gourmet.

BLOG FOOD

Ambas fotos desse post: autoria Sheila Ward

As cidades americanas com mais concentração de food trucks são Chicago, Los Angeles, Nova Iorque, Washington D.C., Houston, Miami e São Francisco. Presume-se que, a cada semana, dez food trucks novos sejam abertos. Hoje há cerca de três milhões deles nas ruas do país e sabe-se lá quantos outros espalhados pelo mundo. A história do street food em países asiáticos, africanos e europeus é muito mais antiga, e a origem de seus food trucks certamente é diversa. Porém, a onda dos food trucks repaginados e chiquezinhos de hoje se deve bastante à influência da cultura americana.

Na outra ponta dos food trucks gourmet estão aqueles com finalidades humanitárias que são usados para levar ajuda a refugiados e populações carentes ou de áreas em conflitos. Entre um extremo e outro, segundo a Food and Agriculture Organization of the United Nations, eles alimentam cerca de 2,5 bilhões de pessoas por dia. É gente para caramba!

Uma curiosidade: O termo food truck foi adicionado à Wikipédia em 2006.

E se por acaso ainda não viu, não deixe de ver o gostosíssimo filme Chef, com Jon Favreau, Sofía Vergara e Scarlett Johansson.

Sheila Ward se formou em tradução. Já morou na Inglaterra, Portugal, Itália e EUA e adora escrever sobre o que vê em suas andanças por aí. Curtam a fanpage do BZ no Facebook clicando aqui. Mais fotos da Sheila e outros autores no nosso Instagram. Twitter ? Clique aqui!