japão W. Anderson – Japão

Pretende vir ao Japão? Venha! E saiba de antemão que seu passeio será muito bom, com enorme bagagem cultural que jamais será taxada em alfândega alguma. Mas antes, compre seu ticket da JR, o JR Pass. É um bilhete que vale para todos os trens e balsas do Japão, operados pela JR – Japan Rails. Com ele, você pode usar trens urbanos, expressos e até o trem-bala, sem a necessidade de comprar bilhetes para cada trecho. Há opções para 7, 14 e 21 dias e, só podem ser adquiridos fora do Japão. Para os mais abonados, existe a opção de adquirir seu JR Pass com direito a assento reservado e acomodação diferenciada… Mas adianto: não vale a pena ostentar esse detalhe.

O Japão possui o melhor sistema de transporte sobre trilhos, seguro, eficiente e utilizado, mas… (sempre tem um “mas”) tem o preço um tanto oneroso, se comparar com outros itens que possam fazer necessário em seu passeio.

jrrail

o Japão possui uma das melhores redes ferroviárias do mundo (by Japan Rails)

Aqui não existem rodoviárias com o mesmo contexto que conhecemos no Brasil e em outros países. Há serviços de ônibus rodoviário em terminais “improvisados”, mas nada digno que uma verdadeira rodoviária. Lembra mais a antiga rodoviária do Glicério que existia em São Paulo, mas nenhuma

que pudesse lembrar a também Rodoviária Júlio Prestes. No entanto, é muito comum haver trânsito intenso e congestionamentos nas estradas, em épocas de feriados ou festivais mais badalados, assim, a opção por trens é sempre a melhor.

bus-terminal-1

Terminal de ônibus rodoviário em Shinjuku – Tóquio (by wowjepun.com)

JR-Shinjuku-station-busterminal(Yoyogi)

Terminal de ônibus rodoviário no distrito do Yoyogi Park – Tóquio (by google.com)

Eu dediquei o post a essa dica, para alertar que há inúmeras e muito mais inúmeras opções de passeio e, você poderá se locomover de Hokkaido para Okinawa, com um único ticket e com um único pagamento. Então, depois do seu visto (caso necessário), seu JR Pass é a segunda compra a ser feita, imediatamente após suas passagens. Ele pode ser adquirido nas agências de viagens e no consulado de sua jurisdição.

Para ilustrar, um ticket de trem entre Tóquio e Nagoya (trem bala) custa em média ¥14,000 dependendo do horário. Ida e volta, será ¥28,000. De Tóquio para Sapporo, ¥30500 somente a ida. Um ticket da JR de 7 dias, sai em torno de US$ 230, ou seja, em um único passeio você recupera seu investimento e pode passear mais 6 dias de norte a sul. Esse valor pode variar de acordo com o câmbio de seu país.

Comentei da possível necessidade de visto, pois há brasileiros que possuem uma outra cidadania que pode estar dentro daquelas que não necessitam de visto para turistas.

O Japão aceita carteira internacional de motorista emitida por alguns países. Mas a brasileira não vale, mesmo que alguém diga isso para você no Brasil. Não vale e nem tente usar aqui, não vai conseguir nem alugar um carro com ela ou mesmo, usar um ciclomotor (50cc).

Esqueça a opção de alugar um carro no Japão. Com o JR Pass, você economiza horrores, não corre o risco de se perder ou de passar por um acidente de trânsito, o que poderia reter seu regresso, já que a polícia requisitaria seu passaporte enquanto perdurar as investigações. Os deslocamentos além do trem, podem ser completados por táxi, que aqui, além de serem seguros, honestos, são bem acessíveis.  Há sempre uma estação de trem perto de onde você quer ir.

Praticamente em todo país, os táxis aceitam cartões de crédito. Pode usar sem medo. Em cidades como Tóquio, Nagoya, Osaka, usuários do “Uber” tem essa facilidade também. Outras cidades também possui, mas ainda não tão presente no país todo.

taxi-card

Adesivo no vidro do taxi, indica aceitar cartão de crédito, também pode ser encontrado adesivo com a escrita “カードOK”, indicando a mesma coisa (by Sippy Cup Sojourner)

Uber Technologies Inc. Application Demonstration

usuário uber no Japão (by bloomberg.com)

Toda estação de trem no Japão, tem seu nome em letras do alfabeto, além do idioma local. A leitura é simples. Então, seguir a escrita do alfabeto é muito simples para se guiar. Os mapas de trens, possui cores diferenciadas, o que ajuda em muito a localização.

SN3O0003

Plataforma da estação de Fujine, indica o nome escrito em hiragana, kanji e alfabeto, inclusive com o nome da estação anterior e seguinte. ao fundo, o Monte Fuji (by JR East)

Considere que japoneses não falam inglês. A exceção de pessoas ligadas diretamente ao turismo, encontrar algum nativo que saiba inglês será uma loteria. Eu mesmo, já entrei em restaurantes onde tinha uma placa “here just japanese”. Já estava ficando “puto” da vida com a chance de sofrer preconceito, que estava desistindo, quando fui surpreendido que na verdade, aquele cartaz, se referia ao cardápio, do qual, só existia mesmo em japonês. Desfeito o engano, ajudei aquele restaurante a melhor dispor de forma correta a mensagem a ser dada.

not-english

modelo de aviso comum em muitos restaurantes em cidades maiores (by collegehumor.com)

No entanto, há sim, principalmente em alguns banhos públicos, chamados de “onsen”, avisos na entrada, informando que não aceitam estrangeiros. A lei não permite tal situação e, se desejar, pode chamar a polícia. Geralmente, “onsen”, clubes e piscinas, não aceitam pessoas com tatuagens. E isso, não há lei que proíba.

not-tatoo2

aviso típico sobre não permitir tatuagens em “onsen” (by kotaku.com)

JR Pass – in English:  http://www.japanrailpass.net/en/about_jrp.html

________________

Nota Bene:Queremos deixar bem claro este post não é patrocinado pela JR ou pelo Uber. O autor do post apenas considerou importante, por experiência de um familiar que veio passear no Japão, alertar para a comodidade do uso de trens. O autor também indicou o transporte de trens a um amigo, que considerou “a melhor dica que alguém poderia ter sobre passeio no Japão”!

W. Anderson é engenheiro elétrico e mora com a família há 11 anos no Japão. Para saber mais sobre ele clique aqui

Vejam fotos dele e de outros autores no perfil do BZ no Instagram. E sigam nossa página no Facebook acessando aqui.