Apesar de muitas pessoas acharem que não, existem padarias na China. Fiquei na dúvida de qual seria o tema que eu abordaria sobre a China e como eu tenho a alma obesa, vou falar de coisa boa. Vamos falar de comida!

Antes de vir aportar por essas bandas eu pesquisei muito sobre comida na Ásia porque sou uma pessoa muita chata com esse assunto. Não é tudo que como. No Brasil, eu via meu irmão comendo “temaki”, “sushi” e outros derivados dos quais nunca me encantei (desculpem-me se ofendo alguém. Gosto é gosto e não se discute). Enfim, voltando ao assunto… Eu tinha um certo receio de não me adaptar a comida chinesa porque pra mim café da manhã é: pão, manteiga, ovo e café com  leite – não me imaginava sem isso. Aí o tempo passou, vim morar no outra lado do mundo e o que eu temia… aconteceu! Não me adaptei a comida no sul da China, onde eu morava na época antes de Beijing. As opções que haviam no meu itinerário casa-trabalho eram basicamente uma tigela de macarrão tipo miojo com alguns legumes dentro com muita água e óleo. Ou umas panquecas fritas nas quais os chineses colocam uma alface e o recheio, além dos vegetais, inclui um pedaço de frango frito ou porco.

Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz

Minha cara quando eu só tinha opção de café da manhã chinês

Também não posso deixar de citar os famosos 包子, fala-se baozi, (esses pãezinhos de massa branca cozidos no vapor) e o 饺子 ( jiaozi / jiăozi ), só pra deixar claro eu amo 包子 e 饺子 porque são baratos e deliciosos. Há também uma infinidade de tantas outras coisas que nunca atraíram meu paladar, não vou mencionar aqui porque quero chegar logo no assunto da padaria. Já para beber, o mais tradicional nas ruas é o leite de soja (os chineses tomam leite de soja desde pequenos). Ah, é claro que tem suco, chá e café, mas este último é um luxo pois você não encontra nas barraquinhas de rua e é, geralmente, mais caro porque café não faz parte dos consumos alimentícios da grande parte dos chineses.

Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz

À esquerda Jiaozi e à direita Baozi. Fonte: flickr.com

Então, aí tive a ideia de começar meu dia tomando café da manhã na padaria. A coisa mais lógica para quem é brasileiro, né. Pois veio a decepção. Primeiro, as padarias chinesas não possuem o hábito de ter fornadas de pão quentinho, aquele saído do forno. Segundo, você precisa torcer para que tenha pão (em chinês se fala Miànbāo, 面包).Pois é. Ir à padaria não significa que terá Miànbāo. Terceiro, a variedade de pão em uma padaria chinesa em comparação com o Brasil é quase nada. Não espere vir à China e encontrar uma padaria com pão massa grossa, pão massa fina, pão francês e por aí vai. É claro que há padarias aqui em que é possível encontrar uma boa variedade de pães, mas esse tipo de estabelecimento é mais caro do que as padarias tradicionais (é o preço que se paga por morar em um outro país).

Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz

Pode não ter pão, mas tem salgado. Foto: Edvan Fleury

Tive que me adaptar com o que eu tinha. Comecei a fazer meu café com leite em casa, comprava um pacote de pão de forma no Carrefour (porque era mais gostoso do que o da padaria), uns ovos e queijo. GENTE, se você come queijo na China, ou melhor, se sua geladeira tem queijo, você pode se considerar uma pessoa rica! Aqui, queijo é artigo de luxo e muito caro.

Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz

Eu depois do sétimo pastel de nata.

Se por um lado uma padaria tradicional chinesa não tem uma variedade de pães, ela tem um leque de opções de salgadinhos e doces. Quase sempre é possível encontrar, entre outras delicias, pastel de natal (蛋挞, Dàntà), introduzido na China pelos portugueses. Isso mesmo. Pastel de nata é quase que uma paixão nacional. Quando eu morava em Shenzhen havia uma franquia perto da minha casa especializada em pastel de nata de tudo que era tipo. Em Beijing é possível encontrar o doce português em restaurantes, fast food, loja de conveniência, barraquinhas de comidas de rua, supermercado e, é claro, nas padarias. Eu nunca comi pastel de nata no Brasil, experimentei aqui na China e toda semana como pelo menos uns 5 ou 10!!! (eu sou a gordice em pessoa). Outra decepção que tive ao conhecer uma padaria chinesa foram com os bolos (se diz Dàngāo e se escreve como 蛋糕). Aqui, o Dàngāo tem sempre a mesma massa. É uma massa de trigo super simples, bem fofinha e decorada com muito glacê colorido e as vezes um tomatinho por cima. Bolo de prestigio, bolo de chocolate, bolo de fubá como a gente faz no Brasil é quase inexistente e quando tem é o olho da cara. Para você ter ideia, um bolo simples na China, do tamanho de uma pizza brotinho, chega a custar uns R$ 150 reais! Na hora de servir, você corta em fatias pequenas para servir como “tira-gosto”, porque chinês não curte doce ao extremo como nós brasileiros.

O tempo foi passando e desistir de frequentar padaria até mudar de bairro e ir morar na comunidade coreana em Beijing, Wudaokou (Fala-se “ú dá u cu”, um nome bem sugestivo, rs rs ). Foi aí que minha vida mudou. Redescobrir o prazer de ir a uma padaria e fiquei surpreso em saber que as minhas duas padarias preferidas são coreanas: a “Paris Baguette” e a “Tous Les Jours”. Na “Tous Les Jours” há uma variedade enorme de pão, tem até pão preto (mas não é quentinho, esqueça) já na “Paris Baguette” não, se for comparada com a “Tous Les Jours”. Falando de preço, é bem caro. Quem é rico e chique vai lá todo dia tomar café, eu vou uma vez por semana porque não cheguei nesse patamar da comunidade rica de brasileiros. Mas quando eu vou lá, eu vendo minha alma para pagar porque eu gasto muito, não porque como demais, mas porque é caro. Essa bandeja aí na foto de baixo eu paguei uns R$ 50 reais, o que é muito caro para os padrões chineses.

Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz

Meu lanche saudável. Foto: Edvan, eu mesmo.

Pontos Positivos de Uma Padaria Chinesa

Não importa se você decidir ir a uma padaria chinesa ou a uma padaria “internacional”, como nos casos da “Paris Baguette” e da “Tous Les Jours”. Todas elas seguem um padrão. Todas possuem expositores com os produtos, tipo self-service. O cliente chega na padaria e logo na entrada é necessário pegar uma bandeja e um pegador para escolher as guloseimas. Isso eu acho muito legal.

Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz

Essas bandejas sempre tem na entrada de qualquer padaria. Foto: Edvan F., vulgo Perdido na China

Outra coisa bacana é que algumas padarias tem um cartão VIP no qual ou você acumula pontos para ganhar desconto, ou já ganha o desconto ao apresentar a carteirinha. Algumas padarias dão essa carteirinha, já outras você precisa pagar.

Um último ponto no qual as padarias chinesas dão de 10 a 0 na cara da sociedade brasileira são as embalagens. Tem padaria aqui que você compra um pãozinho e eles embrulham em um pacote, sacola ou caixa super estilosa. Em alguns casos dá até pena de abrir, mas aí a fome fala mais alto. Perto da minha casa tem uma padaria chinesa que tem umas sacolas de papel super bonitas. Mas, fique atento pois muitas padarias podem cobrar pela sacola. Fique esperto, né. Se tiver que pagar pela sacola, opte pelas sacolinhas simples de plásticos, pois muitas das vezes é de graça.

Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz

Na “Tous Les Jours” tem uma boa variedade de pães. Foto: arquivo pessoal Edvan Fleury.

E Tem Cafeteria na China?

Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz

Esse ursinho é a comanda. Ele vai embora depois que o pedido chega na mesa. Foto: Edvan, eeeeeu!

Nas cidades mais famosas, como Beijing, tem em tudo que é esquina dos principais distritos. É claro, que se você for passear em um distrito mais rural as chances de encontrar são quase nulas. A que eu mais gosto é a “Maan Coffee” (漫咖啡, Màn kāfēi) porque os grão são do Brasil e o gosto me lembra muito o cafe da minha mãe. E advinha só: essa é uma franquia coreana (Coreia na minha vida). Eles abrem das 8 da manhã e fecham as 2 da madrugada. Com um ambiente focado para estudantes, você vai encontrar muita gente de faculdade, lendo livro, trabalhando, fazendo videoconferência, reunião de negócios e etc. É bem carinho e não tem pão especificamente, mas tem uma ótima gama de cafés e uns sanduíches MARAVILHOSOS!!!! Eles servem um waffle com cobertura de queijo no qual acompanha três molhos: de mirtilo, de pimenta e um outro de queijo cheddar derretido. Eu misturo tudo no waffle e, pode até parecer estranho, mas fica TUDO DE BOM. Se vier a Beijing, aconselho a passar no “Maan Coffee” (e eu acho super digno você também me convidar).

Starbucks Na China

Outra cafeteria que eu costumava a frequentar, mas parei depois que me apaixonei pela “Tous Les Jours” e pelo “Maan Coffee”, era o “Starbucks”, que em chinês é conhecido como 星巴克 (xīngbākè), inclusive eu fiz um vídeo para o meu canal no Youtube no qual explicamos como se fala esse e outros nomes em chinês (acho muito digno quanto meu caro leitor clicar e assiste meu canal #ficaadica). O ambiente da Starbucks, para mim, é mais voltado para encontros rápidos e não é tão aconchegante quanto o “Maan Coffee”. Eles possuem mais opções de comidas e, particularmente, acho mais caro que o “Maan Coffee”. Eles tem um latte de chá verde único e muito gostoso, vale a penas pagar R$ 20 por um copo médio.

Resumindo, na China quando eu não tomo café na padaria coreana, vou à cafeteria coreana. E quando não tenho dinheiro vou à padaria chinesa ou faço em casa mesmo, quando dá tempo.

Coffee Shop Maan Edvan Fleury de Beijing, China @beijing.boy @edvanfleurygame Blog Brasil com Z @blogbrasilcomz

Loja da Coreana “Maan Coffee” (crédito: imaginechina)

Espero que você tenha gostado do texto e que também tenha aprendido algumas palavrinhas em chinês que fazem parte da minha rotina.

Um abraço e até a próxima!