Skip to content

De Londrina para a Calábria

28/01/2016

bz_italiaAna Patricia da Silva – Calábria, Itália 

Oi leitores o BZ! Eu sou a Ana Patricia, moro na Itália e vou estar colaborando a partir de hoje com o blog. Quando a Ana Fonseca me pediu para eu escrever sobre a minha história, eu tive dificuldades – porque não é tão simples falar sobre mim… E também porque tantas lembranças ainda me fazem mal. Mas enfim, vou tentar narrar como saí do Brasil para vir para a Itália.

Como costumo brincar, digo que “venho do mato”, lá de Rondônia. Sou caipira com muito orgulho! Amo tudo que têm a ver com a natureza, mas amo principalmente viajar, conhecer novas culturas e novas línguas.

Como vim parar na Itália? Em 1999 somente com 17 anos abandonei a minha terrinha para cursar universidade em Londrina no Paraná. No meu coração já sabia que não existia limites para as possibilidades que o mundo podia me oferecer. Me lembro bem do primeiro dia que cheguei na estação rodoviária de Londrina com uma grande bagagem, com “dor de barriga” de tanto medo, com pouco dinheiro no bolso.  Provavelmente naquele momento podeira ter abandonado todos os meus sonhos para retornar para a segurança da minha casa em Rondônia.

Mas eu era uma pessoa muito teimosa e já tinha entrado em conflito com o meu pai pela decisão de fazer a faculdade tão longe de casa, em vez de Porto Velho, por isso fui em frente. Durante o primeiro ano em Londrina, tive muitas dificuldades.  Tantas vezes tinha o dinheiro somente da passagem do ônibus para ir para a faculdade, ia estudar com a barriga roncando de fome e para voltar tinha que sair correndo atrás de uma colega que morava perto de onde eu morava para poder pegar uma carona. Isso me humilhava, e provavelmente foi um dos piores momentos da minha vida. Mas tinha um propósito e nada iria me derrotar.

No segundo ano de faculdade, minha mãe veio me visitar e lembrou que tínhamos um parente meio distante (por sangue) em Londrina e fez de tudo para acha-lo. Resultado: a partir daquele momento não estava mais tão sozinha. Conheci essa família de origem italiana, e a cada final de semana comecei a viver a alegria de ter almoço de família, brigas, risadas… E tudo aquilo me cativou. Devagarzinho começou a crescer o sonho de conhecer a Itália – era uma família tipicamente italiana que falava sempre bem da Itália.

Passaram os anos, continuei estudando, fazia a faculdade de noite e de dia sempre trabalhava. Apesar de todas dificuldades sempre consegui me manter (obviamente levava uma vida o mais simples possível), e fiz novas amizades.  Terminei a faculdade com o objetivo concreto de vir para a Itália para fazer uma especialização. Minha mãe fez um empréstimo e assim parti com  muitos sonhos e esperanças. No inicio não foi como eu pensava, não consegui estudar, encontrar algo que podia fazer, fiquei ilegal e por dois anos, trabalhei dando aula de português e trabalhando como baby-sitter, morando na casa de uma família para não pagar aluguel.. Outra vez : sacrifícios e mais sacrifícios. Tantas vezes me perguntei: “Por que não volto para o Brasil?”  Com a minha faculdade poderia trabalhar tranquilamente lá, mas eu era muito teimosa e persistente, sabia que não era esse o meu objetivo, por isso fiquei. Mais tarde, minha mãe tirou a cidadania italiana facilmente. Para isso ela veio para a Itália para fazer os documentos de modo que naturalmente eu também pudesse ser italiana e sair da situação “ilegal” em que me encontrava!

BLOG Ana patricia 2

Pouco tempo depois, fui aceita em uma universidade na Calábria, não para fazer uma especialização como era os meus planos iniciais, mas para fazer uma nova faculdade (Turismo). Tudo recomeçou.  Minha vida a partir daquele momento era estudar, para manter minhas notas altas e assim consegui uma bolsa de estudo onde não pagava as taxas universitárias, o aluguel no centro residencial e a comida no restaurante da universidade! E lá se foram outros 3 anos de tantos sacrifícios, onde trabalhava nos finais de semana como garçonete, ou como promoter nos supermecados e feiras e nas férias de verão em hotéis como recepcionista, com aquele dinheirinho conseguia ir em frente com as despesas do dia-a-dia.

Nos últimos meses da universidade meu namorado me falou da possibilidade de tentar participar de um concurso para trabalhar em um projeto social no Brasil tudo pago pelo governo italiano. Ele via como uma possibilidade para ele de ir ao Brasil e poder me ajudar por um pequeno período de tempo a voltar para casa… Aquela possibilidade era um sonho, mas obviamente era algo muito difícil, eram tantas pessoas e somente 3 vagas. Lendo o projeto, tinha uma parte que se ocupava de turismo responsável, por isso decidi participar com ele, resultado: fui selecionada mas ele não conseguiu.. por isso para ir no Brasil comigo ele se registrou para fazer um mestrado na universidade de Salvador onde iriamos viver por um ano!!

Aquele ano foi muito especial, foi maravilhoso estar novamente no meu país, era um momento que eu podia decidir ficar novamente no Brasil. Afinal sendo formada também na Itália, poderia encontrar possibilidades de trabalho fácil no Brasil. Mas meu namorado, como todo bom calabrês era muito “apegado” a sua família e amigos, por isso depois de 6 meses no Brasil voltou para a sua Calábria. Eu sabia que aquela pessoa era o amor da minha vida, por isso tomei novamente uma segunda decisão difícil: voltar para Itália! Continuar tentando a sorte e encarando novos desafios, terminando o ano no Brasil, com o que eu consegui economizar decidi antes de voltar para Itália de ficar um período em Londres estudando inglês, e assim se foram outros 5 meses longe dele fisicamente mas sempre em contato via telefone e internet.

Um mês antes do período de voltar para Calábria, comecei a enviar currículos para tentar encontrar algo. Para minha surpresa recebi três ofertas de trabalho, portanto chegando na minha nova casa na Calábria eu já estava empregada.

BLOG Ana Patricia Castelo Santa Severina

Alguns meses depois li sobre um “master” intensivo de turismo gratuito. Na cara e coragem mandei meu currículo para tentar entrar e fui participar da seleção em Roma, para minha surpresa em meio a mais de 400 candidatos consegui entrar junto com outras 20 pessoas! Por dois meses, fui viver em Siracusa para participar desse “master” que tinha como objetivo principal a valorização do território e abrir novas empresas turísticas, portanto quem participava era escolhido pela ideia de projeto que ia formular durante o master. Dos projetos, 3 seriam escolhidos como finalistas, o meu projeto ficou em segundo lugar, novamente uma maravilhosa surpresa e uma grande recompensa!

BLOG Ana pat Tropean houses

Casas em Tropea, na Calábria – Foto arquivo pessoal Ana Patricia da Silva

Touristico, o projeto que criei que tinha objetivo inicial a valorização do sul da Itália e das regiões italianas menos conhecidas pelos brasileiros se ampliou … hoje sou a responsável comercial de um operador de turismo e juntos promovemos toda Itália vendendo para as agências brasileiras e para os clientes diretos serviços turísticos em toda Europa, com o diferencial do atendimento que o cliente recebe durante toda a viagem por nossa assistente em língua portuguesa. Também fiz a habilitação para guia de turismo na Calábria e provavelmente sou a primeira guia em português dessa região e nos últimos meses criei um site sobre a Calábria, para valorizar as belezas dessa região tão desconhecida pelos brasileiros, mas maravilhosa! Estou lutando para promovê-la porque os meus filhos vão ser calabreses e quero que sintam orgulho da mãe deles!

BLOG Calabria

A Calábria fica no “dedão” da bota da Itália “chutando” a Sicília. 

E por fim, no inicio do ano comecei a me dedicar de forma mais direta ao meu blog pessoal Viajando para Itália. O que aprendi em todos esses anos, que quanto maior a dificuldade, maior vai ser o sentimento de satisfação, quanto maior o risco, provavelmente maior é o tombo, mas maior será a vitória.

Essa é a minha história, a história de uma pessoa que passou por tantas dificuldades por um objetivo maior. Não é o meu objetivo me auto valorizar (coisa triste e egoísta), mas é o meu objetivo te dizer que vale a pena arriscar e acreditar em algo que te move dia após dia. Quando lembro do que passei, de tantas humilhações por falta de dinheiro, por desejo de comer ou de comprar algo que não podia comprar porque tinha que investir nas coisas mais concretas de cada dia e me pergunto se seria capaz de refazer tudo… eu digo que “sim”!

Hoje estou construindo uma família com a pessoa que amo, tenho um trabalho que adoro e que me orgulha fazer e que vejo tanta possibilidade de crescimento (apesar de todos falarem somente da grande crise do setor); portanto vale a pena sim. Somente quem arrisca pode conseguir grandes coisas e no fundo do meu coração sei que mereço, assim como você merece somente o melhor dessa vida.

Faça a diferença agora! Seja o protagonista direto da tua vida!! Quero te deixar com esse pensamento  que tantas vezes me ajudou a ir em frente:

Nada no mundo se compara à persistência. Nem o talento; não há nada mais comum do que homens malsucedidos e com talento. Nem a genialidade; a existência de gênios não recompensados é quase um provérbio. Nem a educação; o mundo está cheio de negligenciados educados. A persistência e determinação são, por si sós, onipotentes.

O slogan “não desista” já salvou e sempre salvará os problemas da raça humana.

______________________

Ana Patrícia da Silva é uma Rondoniense formada em Turismo pela Universidade de Calábria e  vive na Itália há 12 anos. Para saber mais sobre ela clique aqui. Sigam-nos no Facebook, Twitter e Instagram

16 Comentários leave one →
  1. 28/01/2016 11:44

    Muito legal a sua história! Mais uma vencedora! parabéns! E bem vinda 🙂

  2. 28/01/2016 12:13

    Adorei o depoimento! Vim para a Itália reconhecer minha cidadania e sei bem o que passou! Parabéns, Ana! Sua garra é inspiradora 🙂

  3. 28/01/2016 12:31

    Bem vinda!

    Adorei seu post. Demonstra que a superação é a melhor de todas as recompensas. E você fez por atingir suas superações.
    Meu irmão, fez o caminho contrário do seu. Ele depois de tanto nadar e nadar, já estava morrendo na praia, como sei diz… e ele conseguiu encontrar o seu caminho em Rondônia. Hoje é um empresário de sucesso em seu segmento, referência, gerador de empregos. Terminou de criar os filhos em Porto Velho, viu eles na faculdade é tão logo, estava também se formando pouco depois dos meninos.
    Entao, parabéns!!!

  4. 28/01/2016 12:53

    “Quando a Ana Fonseca me pediu para eu escrever sobre a minha história, eu tive dificuldades – porque não é tão simples falar sobre mim… E também porque tantas lembranças ainda me fazem mal.” Sugiro que equilibre as más lembranças com a satisfação de ter superado tudo. Muitos estudantes passam muitos apertos, temos que ter essa perspectiva para não nos sentirmos sozinhos e injustiçados pela vida. Já te contei como meus pais tiveram que lutar contra dragões para fazer um curso superior puxado … e como ficaram felizes depois de tudo.
    Um beijo e espero que goste de participar do BZ ! Queremos saber tudo da Calábria!

    • 30/01/2016 15:14

      Obrigada querida! Pelo contrário, sinto de ter um grande privilégio, tudo o que passei hoje faz com que dê mais valor a cada coisa que conquisto e isso é uma coisa maravilhosa, verdade? 🙂 tenho certeza que vou adorar participar do blog, obrigada por ter me recebido com tanto carinho!

      Ana Patricia
      http://www.touristico.it/blog

  5. Leonardo Casagrande permalink
    28/01/2016 13:56

    Parabéns, pela sua persistência!!!!

  6. Felix permalink
    28/01/2016 16:09

    Parabéns Ana, e muito lindo mesmo!!!

  7. 30/01/2016 15:16

    🙂
    Obrigada Félix!!!
    Grande abraço da Itália,
    Ana Patricia
    Blog Viajando para Itália: http://www.touristico.it/blog

  8. 31/01/2016 12:27

    Muito inspirador, Ana Patricia! Parabéns pelo seu esforço e pela sua persistência! Suas conquistas são para lá de merecidas!

  9. 27/02/2016 20:22

    Poxa que bacana ler uma história saindo da minha linda Londrina… Em poucos dias me verei escrevendo esses passos… Cheio de dúvidas, incertezas, pouca grana, mas sobretudo com votade de vencer, tirar cidadania e ganhar um mundo de outras culturas…

    • 28/02/2016 10:14

      Olá querido, foi isso que aconteceu! E te garanto que com tanto força de vontade, persistência e coragem de enfrentar qualquer tipo de desafio vc pode conseguir grandes resultados.. Boa sorte nesse teu novo percurso de vida.. abraços da Itália, Ana Patricia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: