Skip to content

Namorando na Índia

25/02/2016

bz_india Juliana Paula – Mumbai, Índia

Aproveitando que este mês comemora-se o Dia dos Namorados ou Valentine’s Day, aproveito o tema para contar aos nossos leitores como são os namoros na Índia e como esta data é comemorada.

_84812116_couple

Para aqueles que nasceram e foram criados no Brasil, acredito que o contato com o sexo oposto nunca tenha sido um obstáculo ou tabu. Muitos de nós temos amigos do sexo oposto com os quais jamais tivemos nenhuma relação além de uma sincera amizade. Porém, preciso lhes contar que na Índia, a coisa é um pouco diferente. O namoro ainda é um tabu para a maioria dos indianos. Muitos alegam que o namoro não é aceitável por não fazer parte da cultura do país,  onde a maioria dos casamentos ainda são arranjados pelas famílias dos noivos, mesmo que haja o consentimento de ambos.

vivah1

Em Mumbai, cidade onde moro, e a mais moderninha da Índia, conseguimos ver muitos casais de namorados, apesar de eles serem bastante discretos. Alguns andam de mãos dadas, alguns se abraçam, alguns outros mais audaciosos se beijam (em lugares desertos como praias e parques). Como o contato entre homem e mulher ainda é um tabu no país, o pessoal usa da criatividade para driblar a censura.

couple1

Algumas moças, mesmo não sendo muçulmanas, compram o niqab ( a vestimenta usada pelas muçulmanas daqui e que cobre tudo, só deixando os olhos de fora) e vão namorar, disfarçadas. Outras, já usam um lenço qualquer e o enrolem em toda cabeça, escondendo cabelo, rosto e, cobrindo os olhos com óculos escuros. E os rapazes? Não me matem, feministas, mas os rapazes aqui gozam de uma grande liberdade e não precisam se esconder, já que a culpa e a vergonha vão estar sempre, claro, do lado da moça.

Porém, nem sempre é possível namorar em paz. A polícia e alguns partidos políticos hindus não gostam dessa estória de namoro. Muito menos de Valentine’s Day. Geralmente, no dia dos namorados, eles costumam levar para a delegacia casais que estiverem em atividade romântica suspeita ou vendedores de flores e bichinhos de pelúcia. Este ano, pelo menos aqui em Mumbai, parece que a coisa foi mais tranquila.

A polícia daqui não tem tanto trabalho quanto a nossa polícia no Brasil. Portanto, eles precisam achar alguma atividade e, pelo o que tudo indica, eles gostaram da modalidade “caça aos casais”. Algumas vezes, eles ficam de butuca nas praias e nos locais mais frequentados pelos casais e, quando aparecem uns pombinhos mais “assanhado”, a polícia aparece, dá um sermão e, em alguns casos, bate em ambos e os leva para a delegacia. Da delegacia, telefona para os pais de ambos e conta que seus filhos estavam praticando atividades imorais na praia e aproveitam para dar um sermão na família, também.

No interior, a situação fica ainda mais complicada, pois as regras são mais rígidas e muitos jovens só conhecem seus parceiros mesmo no dia do casamento e, alguns, sortudos, alguns meses antes, quando a família do noivo vai à casa da provável noiva para fazer a proposta. Portanto, para esses, namoro é algo que só existe em filmes.

Na minha família indiana, por exemplo, nunca houve um “namoro”, sendo eu e meu esposo os precursores desta modalidade. Não é à toa que todos os indianos adoram ouvir a nossa estória e ficam abismados com o fato de que foi um “love marriage” (casamento por amor) e não um “arranged married” (casamento arranjado). Cada vez que conta minha estória de amor para as indianas, me sinto como a protagonista de alguma trama exibida em horário nobre, visto o interesse da audiência.

Na Índia, realmente, não tem como generalizar. Tudo depende do nível social, nível de educação e o quanto de influência ocidental cada família ou membro tem. Deixo aqui alguns links para quem estiver interessado em se aprofundar no assunto antes de ousar trocar as primeiras caricias em solo indiano!
http://www.bbc.com/news/world-asia-india-33860253

http://www.rediff.com/news/report/dont-observe-valentines-day-pakistan-president/20160213.htm

Um abraço e até a próxima!

Juliana

__________________

Juliana Paula já morou e trabalhou no Japão. Foi para a Índia em 2013 e, desde então, tem desbravado aquele belo e encantador país. Para saber mais sobre ela clique aqui. Sigam a nossa página no Facebook acessando: http://www.facebook.com/blogbrasilcomz e dêm uma curtida ! Temos também uma conta no Instagram e no Twitter. Divirtam-se ! 

 

6 Comentários leave one →
  1. edvanfleury permalink
    25/02/2016 9:12

    Tá aí um país em que eu não ia conseguir morar… Um ótimo texto, mas os hábitos dos indianos não batem com os meus 😦

    • 25/02/2016 13:08

      Oi, Edvan!! Obrigada pelo comentario!! Sim…realmente a India nao eh um dos lugares mais faceis para um estrangeiro morar!!Um abraco!

  2. 25/02/2016 12:23

    Isso mesmo ! Parabéns aos “puliça” indianos. Tem que prender os vendedores de flores e bichinhos de pelúcia mesmo. Prender namorados e dar sermão. Caso contrário, daqui a pouco vai estar todo mundo se casando por amor, onde já se viu ? E´muita influência dos valores ocidentais que corrompem a pureza da sociedade indiana.

Trackbacks

  1. Dias dos Namorados… com sotaque estrangeiro! | Brasil com Z
  2. Especial Taiwan e Índia – Tabibito Soul

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: