Um país como a Itália, com milênios de história e que conheceu uma fase escura e de grandes divisões durante o período medieval, com cidades que se fechavam ao interno de muros e fortificações, só pode transbordar de vilas e castelos, que por sua importância arquitetônica, histórica e paisagística estão entre as mais importantes do mundo. Todo o território italiano é cheio de vilarejos históricos, aldeias e castelos. E com a função de valorizar o grande patrimônio de história, arte, cultura, ambiente e tradições presente nesses pequenos centros italianos, que nasceu o clube de “As Aldeias mais Bonitas da Itália”.

Neive, Piemonte, Itália @blogbrasilcomz

Neive, Piemonte, Itália por Langhe.net

O Clube pretende garantir através da tutela, a recuperação e a valorização, mantendo uma riqueza de monumentos e de memória que, de outra forma, seriam perdidos. Graças à difusão em todas as regiões, as aldeias da Itália cumprem as exigências tanto dos que não amam viagens longas, quanto dos curiosos que querem conhecer as mais escondidas e misteriosas zonas da Itália.

Neive, Piemonte, Itália @blogbrazilcomz

Neive, Piemonte, Itália Por Paul Arps

A nossa viagem começa com os centros mais característicos do Norte da nossa península, e hoje falaremos de um desses, se trata de Nieve, a característica aldeia piemontesa de Langue.

 Por aqui você pode se perder entre as linhas e experimentar Barbera e Moscato entre as cantinas e enotecas do centro. Como em Cidades Invisíveis de Ítalo Calvino, a graça perdida de tantos lugares da província italiano podemos reencontrar somente nos velhos mapas, onde tudo parece mais bonito do que existe agora. Neive também tem sua parte mais modernas, mas a parte histórica, é ainda muito conservada. A Torre do Relógio que domina, no coração do vilarejo medieval, e as ruas de paralelepípedos bastariam para justificar a presença de Nieve no clube das Aldeias Mais Bonitas da Itália.

Neive, Piemonte, Itália @blogbrazilcomz

Neive, Piemonte, Itália Por Paul Arps

As maravilhas dessa cidadezinha piemontesa de Langhe, na província de Cuneo, são numerosas antes entre todo o ar genuíno que se respira, mantida com orgulho dos 3200 habitantes. O panorama ondulado de colinas cheias de linhas faz o resto, Neive á um sonho em uma região mágica, para descobrir devagar. O nome foi dado provavelmente à nobre família Gens Maevia, que na idade romana possuía esses territórios. O castelo tem, porém, origens medievais, assim como o monastério que foi construído pelos monges beneditinos.

Neive me lembra um velho mapa, um pouco esbranquiçado e empoeirado, mas perfumado de usos pitorescos e com um ar familiar e docemente melancólico. Ou não se trata de uma foto em branco e preto, porque em Neiva as cores não faltam, as estradinhas são animadas e frequentemente por festas da cidade e feirinhas e os amantes de aventura encontram diversas coisas para se fazer na paisagem circundante. Apesar do antigo castelo tenha sido quase totalmente destruído, mas o ar medieval do centro restou inalterado, e as casas com as telhas vermelhas, próximas uma das outras, criam um cenário pitoresco, criando um cenário pitoresco, toda emoldurada por verde e vinhedos. Vinhedos generosos de bom vinho.

Neive, Piemonte, Itália @blogbrazilcomz

Neive, Piemonte, Itália por Paul Arps

Não pode faltar uma visita às cantinas da aldeia e as vinícolas, frequentemente com a presença de antigas residências senhoris, como a casa dos condes de Castelborgo de 1700, com uma cantina de época embelezada com um decoração refinada e móveis originais. A habitação mais antiga da aldeia é a casa Cotto, do início do século XVIII. Era uma casa-forte pertencente a uma rica familia de banqueiros. Apresenta tetos magníficos e lareiras de época, entre outras coisas, durante a restauração foram encontrados arquivos da porta de entrada de tijolos da era romana. Do mesmo período é a Torre do Relógio (1224), ainda mais antiga é a torre do monastério (século X) em estilo românico, com uma planta quadrada, isso é o que resta do antigo monastério beneditino.

Em todos os casos, Neive, além de ser uma aldeia admirável, é um lugar para viver e saborear. Com esse propósito não tem nada melhor que as especialidades culinárias locais, e as festas da cidade organizadas no centro em vários meses do ano. Entre os produtos enogastronômicos mais característicos temos o Barbaresco, vinho tinto com um tom de laranja intenso, e um salame muito saboroso perfumado com a adição desse vinho. Maravilhosas são também as avelãs de Lannghe e os prestigiados tartufos da vizinha Alba. Entre as receitas se aconselha a bagna caùda, talharim ao tartufo, que crescem entre Langhe e Monferrato, a carne crua ao albanês e enfim, para terminar em beleza, a torta de avelâs ou o zabaione ao moscato. Inúmeras são as recorrências e festividades para se estar em companhia, degustar iguarias e se aproximar das tradições do lugar.

Concluindo,  Neive é para mim uma aldeia medieval entre as mais belas da Itália. Uma cidadezinha que tem perfume de passado para se perder entre os muitos caminhos que o compõe. Um lugar onde a vida parece se mover muito lentamente e onde cantinas e restaurantes são obviamente o pino das atividades locais e da curiosidade de tantos turistas, que visitam o Langhe do Piemonte.

 Como Chegar em Neive no Piemonte?

Chegar em Neive não é difícil, graças às boas vias de comunicação seja estradais que ferroviárias.

De carro

Quem viaja de carro e vem de Torino pode pegar a estrada 29 até Vezza, a provincial para Castagnito e Neive. Quem chega de Cuneo usará a estrada 231, percorrendo em direção a Asti até o cruzamento de Baraccone di Castagnito, para depois virar à direita e seguir as indicações. De Milão ou Gênova deve pegar a autoestrada A7 até Tortona, depois a A21 com saída Asti Est e a estatal 231 em direção a Alba.

 De trem

Quem preferir o trem, encontra a estação de Neive nas linhas Torino-Bra-Alba-Neive e Asti-Alba.

De avião

Quem chega de avião, o aeroporto mais próximo é o de Torino, cerca de 70 km.