bz_indiaJuliana Paula – Mumbai, Índia

Embarcando na onda de posts sobre nossa relação de amor e ódio com os países os quais escolhemos para morar, e aproveitando que acabei de completar 3 anos de Índia, eis que decidi escrever um artigo sobre este país que surgiu de surpresa em minha vida, mas arrebatou-me os sentidos e o coração! Eis que lhes apresento a… Incredible India e sua mais caótica metrópole: Mumbai!

worldwide-locations-mumbai-en

Querida Mumbai 

O som das buzinas, o canto dos corvos, a poeira misturada a poluição que te obrigam a usar lenços em sua face para poupar seus pulmões por mais alguns anos. O cheiro dos incensos vindo de algum templo não muito distante dali se mistura com o perfume das especiarias e quitutes locais, todos, claro banhados em muito óleo. Um óleo que deve ter, no mínimo, uns 3 anos de idade. Meus pulmões te odeiam com intensidade!!

Em meu corpo hoje habita uma camada adiposa a qual não estava presente antes de vir morar em ti. Em suas ruas não há espaço ou infra-estrutura para que eu possa pedalar como fizera no Japão. Não há a mesma abundância de parques ou academias a cada esquina, como no Rio de Janeiro. Há praias, mas a maneira de lazer já não é a mesma. Consequentemente, minha qualidade de vida também já não é a mesma, querida Mumbai. Mas, sei que não é culpa sua. Um dia você fora um dos locais mais belos da Índia , mas os ambiciosos indianos a transformaram em um grande lixão!

garbagemumbai

Entro em um auto-ricksaw e a cada sinal sou abordada por dezenas de pedintes. Todos parecem dignos de pena e,  sou veemente acusada por minha própria consciência de ser a pior cristã da face da terra ao rejeitar o pedido de um deles. Infelizmente, na Índia eles são muitos e, em pouco tempo aprendemos a “enxotá-los” como se fossem cães, exatamente como os indianos fazem. Mas, espera aí! Não foi assim que eu aprendi em minha pátria! Não foi isso que meus pais me ensinaram! Você deve se compadecer dos outros. Deve ajudar e amar o próximo. Ah, nossa base judaico-cristã!! Parece não valer de nada em terras indianas! Mas, parece fazer sentido quando você começa a ouvir estórias de pessoas que fizeram da mendicância sua própria profissão e possuem apartamentos na zona sul de Mumbai ou, daqueles que, assim como mostrou o filme Slumdog Millionaire, aceitam ser mutilam os filhos só para que eles pareçam dignos de pena e, com isso, consigam arrancar mais dinheiro do povo. Sim, não é só coisa de filme.

Mas voltando ao dia-a-dia em Mumbai…Em uma fila (ou tentativa de uma), pessoas passam à minha frente impiedosamente, pisam no meu pé e não pedem desculpas. Aliás, logo a gente aprende que palavras como “obrigado”, “por favor”  e “desculpe” não têm o mínimo valor por aqui. E, quando são ditas, são ditas em inglês. Só para inglês ver mesmo.

Em outro momento, caminhando por uma rua,  ratos cruzam seu caminho. Quando não vivos, bem esmagadinhos, lembrando o formato do papad, o famoso quitute indiano. O pior é quando os roedores resolvem fazer uma visita ao seu apartamento!

A coisa é tão complicada que existe uma profissão especial aqui em Mumbai: matadores de ratos, como vocês podem ver na foto abaixo:

Shakeel Sheikh, 24, holding an improvised stick searches for rats with the help of a torch outside a residential building in Mumbai

Shakeel Sheikh, 24 anos, é matador de ratos em Mumbai. A cidade emprega 44 matadores que ganham cerca de 0.10 dólares por rato morto. A cota de ratos a ser morta por noite, por matador, é  de 30 ratos – cujas carcaças devem ser entregues na manhã seguinte aos funcionários da prefeitura. Se não baterem a cota de 30 ratos mortos por noite isso deverá  ser compensado na noite seguinte – ou os matadores não ganham o pagamento do dia. Mumbai é a unica cidade do mundo que emprega funcionários noturnos trabalhando full time para matar ratos. Foto: REUTERS/Danish Siddiqui  (INDIA – Tags: SOCIETY BUSINESS EMPLOYMENT)

A esta altura, já estou a ponto de explodir e amaldiçoar os milhões de deuses existentes nesta terra. Porém, de repente ouço o badalar do templo, a chamada de oração da mesquita ao lado, mulheres passando com seus trajes ultra coloridos, os homens com roupas típicas, um cheiro de incenso no ar. Em outro momento, me deparo com o belo Mar da Arábia, que tem o poder de me fazer esquecer todas as mazelas da cidade. Sim, Mumbai. Você sempre me surpreende!

BLOG Mumbai Skyline

Os arranha-céus de Mumbai , foto via gonomad.com

A mesma cidade que amaldiçoo várias vezes ao ano, é também a mesma dos habitantes sempre prontos a me ajudar quando me perco nas andanças pela cidade ou, os que me ajudam a sair ilesa de um trem lotado quando percebem que não sou daqui. São os mesmos habitantes que adoram jogar uma conversa fora, são os mesmos indianos que me fizeram sentir em casa quando me mudei para cá, os mesmos que se preocupavam comigo e vinham trazer comida todo dia, devido a minha falta de intimidade com a culinária indiana.

Foram todos os dias batiam à minha porta para me chamar para tomar um chai, mesmo quando o meu vocabulário em hindi só tinha 3 ou 4 expressões. E, foram os mesmos que choraram quando parti do norte da Índia para me mudar para Mumbai. E me conheciam apenas há 3 meses. A Índia me recebeu com tanto amor!

BLOG MUMBAI Bandra-Orli bridge

Mumbai, Bandra-Worli bridge, foto via Wikipedia.org

Mas, você, Mumbai, muitas vezes insiste em ser hostil com os seus. Mas, bem sei que és como um coração de mãe, onde sempre cabe mais um e onde pessoas de todo o país colocam suas esperanças de uma vida melhor. E Bollywood? Como me esquecer que você abriga a maior indústria  cinematográfica do país?

BLOG BOLLYwood

Como esquecer que podemos esbarrar com suas estrelas a qualquer momento?  E a segurança? Aqui, a desigualdade é tão mais extrema que em meu país, mas ninguém rouba ou assalta. Posso andar com meu cordão e anéis de ouro, mesmo nos trens locais e nada se sucederá. Posso falar no celular na rua ou abrir meu laptop em um café aberto e tudo continuará na mais santa paz. Posso usufruir os bens adquiridos. Mesmo após três anos, ainda me surpreendo com suas joalherias abertas, sem nenhum segurança e só o dono da loja, fazendo a sesta no balcão. Isso é segurança! Posso andar nas ruas tranquilamente, sozinha, e ninguém vai me chatear.

969898_430805547016319_2008698624_n

E, nada como terminar um dia vendo o pôr -do-sol no Mar da Arábia para que eu me sinta agradecida por ter te conhecido, Mumbai. No final das contas, posso dizer que você tem muitos defeitos, é caótica e suja sim. Mas acima de tudo, é um local de eterno treinamento e aprendizado. Um local que me ensinou a ser mais forte, menos mole, a lutar pelos meus direitos, a fazer-me ser ouvida, a tirar oportunidades de onde não parecia brotar nada, a ser muito mais paciente e tolerante. No final de tudo, eu preciso confessar: Mumbai, eu te amo! E, obrigada por ter me feito uma pessoa melhor nestes três anos! E, que venham muitos mais anos na Índia!

______________

Juliana Paula já morou e trabalhou no Japão. Foi para a Índia em 2013 e, desde então, tem desbravado aquele belo e encantador país. Para saber mais sobre ela clique aqui. Sigam a nossa página no Facebook acessando: http://www.facebook.com/blogbrasilcomz e dêm uma curtida ! Temos também uma conta no Instagram e no Twitter. Divirtam-se !