Skip to content

Giant’s Causeway: um espetáculo da natureza na Irlanda do Norte

02/11/2016

 

bz_irlanda

 

Carlos FernandesDublin, Irlanda

Eu sou um sortudo em poder dizer que já conheci alguns lugares sensacionais por aí. Sendo que muitos deles me deixou intrigado. Pois tentar entender como esses lugares surgiram é uma interrogação enorme. Principalmente, quando isso se remete à natureza.

É o caso do Giant’s Causeway, na Irlanda do Norte. Quando eu estava lá, pisando em suas formações milenares, me perguntava como tudo aquilo foi criado em um grau de perfeição tão absurdo. Ao mesmo tempo que isso me intrigava, eu não parava de fotografar ou me encantar com tamanha beleza. E não é à toa que estamos falando de um Patrimônio da Humanidade declarada pela Unesco. E, com certeza, de uma das maravilhas naturais desse planeta.

Giant`s Causeway - Foto: Carlos Fernandes

Giant`s Causeway – Foto: Carlos Fernandes

O que é o Giant’s Causeway?

Giant’s Causeway (Calçada dos Gigantes) é um local extremamente turístico que fica no condado de Antrim, na costa da Irlanda Norte.

Trata-se de um conjunto de 40.000 colunas prismáticas maciças de basalto preto que se encaixam formando uma espécie de calçada. Por isso seu nome. E que invadem literalmente o mar. Por vezes, essa calçada tem um formato reto e, por outras, constroem um tipo de escada. Estudos geológicos apontam que essa formação foi resultado de uma erupção vulcânica ocorrida há cerca de 60 milhões de anos.

Incrível formação rochosa - Foto: Carlos Fernandes

Incrível formação rochosa – Foto: Carlos Fernandes

A atividade vulcânica nessa área fez a rocha derretida subir através de fendas no calcário, com temperatura média de mais de 1000ºC. Quando entrou em contato com o ar, ela se resfriou e se solidificou. Como ficou tão perfeito daquele jeito é um mistério.

Aliás, tudo o que envolve vulcão é algo fascinante. Quem acompanha meus textos sobre o Chile já deve ter lido alguns sobre o Atacama. E por lá há vulcões por todos os lados. E os resultados dessas erupções milenares são sempre espetaculares.

Mas, para contradizer tudo isso que acabei de escrever, existe uma lenda irlandesa que diz que um gigante chamado Finn MacCool queria enfrentar numa luta um gigante escocês chamado Benandonner. E a única maneira dele atravessar o mar para se enfrentarem seria construindo uma calçada que ligasse os dois países. Isso teria ocorrido e, após esse encontro, o próprio escocês, que havia fugido do embate, teria destruído a calçada para evitar uma presença futura do irlandês. Como supostamente a Calçada do Gigante foi construída para ligar a Irlanda com a Escócia, a sua outra extremidade pode ser vista a 130 km a nordeste, na pequenina ilha desabitada de Staffa, que fica perto da costa oeste de Escócia.

A extremidade da calçada no lado irlandês - Foto: Carlos Fernandes

A extremidade da calçada no lado irlandês – Foto: Carlos Fernandes

Lendas a parte, o Giant’s Causeway se tornou um símbolo para a Irlanda Norte. Aliás, esse pedaço da ilha esmeralda já é famosa pelo Titanic, construído na capital Belfast e onde há um museu bem legal para se visitar. Além dos encantadores cenários da premiada série Game of Thrones. Aos amantes do rock and roll, a capa do álbum Houses of the Holy, do Led Zeppelin, é uma homenagem ao Giant’s Causeway.

Giant`s Causeway: um símbolo para a Irlanda Norte - Foto: Carlos Fernandes

Giant`s Causeway: um símbolo para a Irlanda do Norte – Foto: Carlos Fernandes

Minha experiência no Giant’s Causeway

Estive por lá no inverno quando vivia em Dublin, na República da Irlanda. E dei sorte de não estar chovendo, afinal, estamos falando da ilha onde o sol é artigo de luxo. Se eu não estiver enganado a temperatura estava por volta de -5 graus e havia nevado na noite anterior naquela região. Mas pela estrada ainda rolou umas “snow showers” (neve e chuva juntas) que é normal por lá.

dsc09010

Na estrada – Foto: Carlos Fernandes

Minha primeira parada foi na Carrick-a-Rope Bridge, uma famosa ponte suspensa de cordas de 20 metros de comprimento situada a 30 metros sobre o mar e que une uma pequena ilha chamada Carrick-a-Rede. Um lugar tão maravilhoso quanto o Giant`s. Lá encontrei o tradicional vento que sopra na Irlanda. Quem já experimentou sabe que ele tem um real poder de nos derrubar. Precisei, junto com outras pessoas, sentar e aguardar pela possibilidade de caminhar sem cair.

A caminho da Carrick-a-Rope Bridge - Foto Carlos Fernandes

A caminho da Carrick-a-Rope Bridge – Foto Carlos Fernandes

Carrick-a-Rope Bridge - Foto Carlos Fernandes

Carrick-a-Rope Bridge – Foto Carlos Fernandes

Depois segui viagem para os Giant’s. Ao chegar próximo do local temos de descer por uma estradinha a pé ou de ônibus oferecido pelo parque. Sugiro descer a pé porque todo o caminho que nos leva ao Giant’s Causeway é bonito. A cada 100 metros a paisagem vai se tornando mais bela e as calçadas vão se formando. Até chegar no coração do local. Podemos caminhar e subir os degraus sem restrições. Mas há que se cuidar, pois é escorregadio. Por isso a dica é estar usando um calçado de acordo com o terreno.

Estrada que nos leva até o Giant`s Causeway - Foto: Carlos Fernandes

Estrada que nos leva até o Giant`s Causeway – Foto: Carlos Fernandes

A caminho do Giant`s Causeway - Foto: Carlos Fernandes

A caminho do Giant`s Causeway – Foto: Carlos Fernandes

Como eu disse, fui no inverno e a sensação térmica e a umidade característica do país ajudava a piorar o frio. Cheguei a ir até a ponta da calçada em direção ao mar e fiquei alguns minutos por lá. Quando voltei resolvi comer um lanche que eu havia levado. Mordi o lanche e juro que não senti nada. Todo meu rosto, inclusive a boca, estava amortecido. Como uma anestesia de dentista.

O lado bom da minha visita no inverno foi o fato do local não estar tão cheio. Na verdade sempre está com muitos turistas, mas no verão é mais difícil conseguir fotografar o local sem que haja muitas pessoas nas fotos. Na Irlanda não tem aquela história de que tal época chove menos. Lá chove sempre. Então é questão de sorte encontrar um dia de acordo para o tour. Depois desta visita, fui para Belfast. E na volta do passeio à Dublin começou a nevar na cidade.

Giant`s Causeway - Foto: Carlos Fernandes

Giant’s Causeway – Foto: Carlos Fernandes

Como chegar ao Giant’s Causeway

Normalmente os brasileiros partem de Dublin para a Irlanda do Norte. Afinal, é lá que os estudantes e intercambistas estão. E quem costuma visitar essas pessoas aproveitam o embalo para conhecer esse paraíso natural. Não há problema algum em sair da parte independente da Irlanda e entrar em território da rainha, já que a Irlanda do Norte pertence ao Reino Unido. Você só percebe que as coisas mudaram quando enxerga pela primeira vez na estrada a bandeira diferente.

Em Dublin há muitas excursões, inclusive de brasileiros levando turistas para lá. Esse passeio inclui também a Carrick-a-Rope Bridge e o museu do Titanic, em Belfast. Tudo é feito em um único dia, pois as distâncias são relativamente curtas. As Irlandas formam uma ilha bem pequena em extensão e em população.

O valor dessa trip, pelas minhas pesquisas, estão girando em torno de 35 euros.  As agências de turismo de Dublin, localizadas no centro da cidade e de fácil acesso aos turistas, dispõem deste tour.

dsc09005

Giant`s Causeway – Foto: Carlos Fernandes

Giant`s Causeway - Foto: Carlos Fernandes

Giant`s Causeway – Foto: Carlos Fernandes

Bom, espero ter mostrado um belo atrativo da “Ilha Esmeralda”. E saiba que é um sacrilégio estar na Irlanda e deixar de visitar esse cartão postal!

_____________________________

Carlos Eduardo Fernandes é publicitário,  já morou na Irlanda e atualmente é professor de inglês online em Santiago, no Chile. Saiba mais sobre ele e o blog pessoal clicando aqui. Sigam-nos no Facebook acessando aqui. Instagram e Twitter, procure por: @blogbrasilcomz

4 Comentários leave one →
  1. 02/11/2016 12:06

    Já tenho um guia quando for à Irlanda no ano que vem… 😉

    • carlosfernandeschile permalink
      02/11/2016 13:35

      Opa! Pode contar comigo Anderson.

  2. Ana Cecília permalink
    02/11/2016 12:43

    Incrivelmente lindo e bem diferente!
    Vale muito a pena mesmo. Vou passar esse post p alguns amigos !!!

    • carlosfernandeschile permalink
      02/11/2016 13:36

      Legal Ana Cecília. O lugar é realmente maravilhoso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: