Skip to content

Pagando mico na China: “Não me prendam, por favor! Cadeia não!”

18/11/2016

BZ_ChinaEdvan Fleury – China

Ni Hao,
Quem disse que viver em um lugar onde ninguém te entende é fácil? Quando coloquei na cabeça que eu viria morar na China, logo me passou pela mente que o principal obstáculo seria o idioma. Mas nunca se quer pensei na possibilidade de, em tão pouco tempo, ter quase ido para na delegacia (leia-se: preso) por razões tão bobas  apenas por não saber falar o mandarim. Não há uma semana aqui até hoje na qual eu não passe por uma aventura. O bom disso é que, a cada história que vivo, uma grande lição de vida e experiência consigo extrair daqui. E, quem sabe, em breve consigo elaborar o manual de como sobreviver na China. 🙂
Lá vão os dois casos onde quase fui preso, durante meus primeiros meses na China:
blog-drugs
1 – Google, eu não estou procurando por drogas

 Eu sempre achei que uma das melhores ferramentas do Google era o tradutor instântaneo. Ele já me salvou inúmeras vezes desde que cheguei em solo asiático e foi ele também que quase me levou a ver “o sol amanhecer quadrado” aqui na China.

Há mais ou menos dois anos eu uso um remédio chamados Finasterida no qual encomendo sempre umas 90 cápsulas a cada 3 meses. Esta medicação é de uso diário e para o resto da minha vida. Acontece que as pílulas que eu trouxe de Manaus acabaram logo e tive que procurar na cidade onde eu moro uma farmácia de manipulação.Tudo ia muito bem, até que….

Perto da minha casa há um shopping com um mega Carrefour dentro e várias lojinhas de conveniências (dentre elas uma farmácia). Pois bem, tive a ideia de ir até lá procurar por Finasterida com 1mg e caso não encontrasse eu poderia muito bem perguntar onde ficava uma farmácia de manipulação mais próxima da minha casa. Chegando lá, fui recebido por um atendente que logo deu aquele sorriso: “Putz, o cara é gringo. E agora, José?!”. O chinês, muito simpático, me atendeu. E eu, como já esperava encontrar uma pessoa que não sabia nada de inglês, levei o nome do remédio escrito em mandarim para não ter erro.
Mostrei o papel e ele pegou uma caixa com 10 cápsulas de finasterida a 5mg cada ao preço de 48 RMB (leia-se 48 kuài – o nome RMB em mandarim). Este valor para a quantidade de comprimidos de uso diário é algo muito caro! Tentei explicar que eu queria apenas comprimidos de 1mg e muitas cápsulas – não apenas 10. É claro que não perdi a oportunidade sacar meu Android e usar o Google translator nessa difícil tarefa de me fazer ser entendido. Até esse momento tudo bem, ele me explicou que esse medicamento nessa dosagem era usado apenas por um curto período de tempo para o tratamento de câncer de próstata (mais um motivo para não tomar uma quantidade tão alta desse remédio). Pensei em comprar o de 5mg mesmo, mas fiquei assutado com as reações adversas, afinal eu tenho que tomar esse remédio todo são dia e eu não tenho nenhum câncer.
Quando o atendente disse que não tinha esse tipo de quantidade, me passou a ideia do plano B: Beleza, vou perguntar onde há uma farmácia de manipulação e encomendar a quantidade que quiser. Para minha surpresa, não há farmácia de manipulação na China e ele não fazia ideia o que era aquilo! Então usei o Google Translator para explicar que eu precisava de um lugar onde pudesse encomendar remédios na quantidade em que precisava. Eu achei que tava bombando no mandarim usando o Google, porém ao olhar a tradução ele ficou assustado e foi logo chamar o gerente da loja. O cara prontamente chamou a policia e o chinês (atendente) só sabia dizer: NO DRUGS!
Eu logo me perguntei o porquê que ele falou aquilo para mim. O policial começou a dizer várias coisas que eu não fazia ideia o que era e eles, nesse momento, começaram a me puxar pelo braço (dando a entender que eu seria levado para algum lugar). Aí, com muita mímica os policias entenderam que eu queria comprar um remédio e não drogas. Para minha sorte uma estudante que passava pela farmácia me ajudou a esclarecer de uma vez por todas que a culpa não era minha e sim do tradutor. Ela me disse que os caracteres que o Google mostrou representam drogas e a frase perguntava onde eu poderia encontrar um lugar em que se produzisse drogas! QUE CILADA, HEIN!
2 – Por favor eu não estou dando nenhum golpe! Não me prendam! Cadeia não!
blog-cadeia
 Não demorou muito tempo para logo eu tivesse a grata felicidade de ir parar em outra confusão com a policia.  Sou sem dúvida a pessoa mais sem sorte por essas bandas e, por causa de um dente, quase ia parar na delegacia. Pode uma coisa dessas?!
Bom, um dia eu caí da escada ao sair do meu trabalho. PAUSA PARA EXPLICAÇÃO – Em Shenzhen (a cidade em que eu morava quando cheguei à China) algumas empresas estão estabelecidas em prédios que não possuem elevador, no meu caso eu trabalho no departamento de comunicação que fica simplesmente no 5º andar! Então eu subo e desço aquelas benditas escadas todo santo dia, uma malhação diária rs. FECHA EXPLICAÇÃO. Estava eu descendo a escada quando tropeço e caio um lance inteiro e advinha o que eu quebrei? Sim, lá se foi meu dente. Sem poder abrir a boca e sentindo muitas dores, me lembrei que havia uma clinica bem pertinho da minha casa. Fui lá e depois de muitas mimicas eles entenderam que eu queria uma prótese. Prometi que voltaria após o ano novo chinês.. Enfim, paguei pelo serviço, peguei o recibo e fui embora sorrindo para o meu apartamento.
Meu pesadelo começou quando duas semanas depois a prótese soltou.Voltei à mesma clínica e para minha surpresa os dentistas que lá estavam eram totalmente diferentes. Saquei do bolso meu tradutor e comecei uma verdadeira luta para explicar que a prótese que me colocaram havia caído e eu tinha colocado lá, naquela clínica, com um dentista da equipe deles.
A dentista já muito “P” da vida por não entender o que eu queria, só sabia me cobrar mais dinheiro para refazer o serviço. Liguei para uma amiga e tive que explicar toda minha situação mais uma vez. Ela contou o meu drama para a mulher e por fim entenderam o que aconteceu comigo. Porém, havia um problema: eu não tinha como provar que realmente havia feito o tratamento naquele lugar. Então eu disse que iria até meu apartamento e mostraria o recibo. Saí da clinica muito “P” da vida, pois as pessoas de lá só sabiam rir da minha cara e falar que eu estava querendo enganar eles (isso foi a minha amiga chinesa que me ajudou a traduzir). Revirei todo o apartamento e fui futucar a caixinha onde guardo todos os recibos. Para minha surpresa, no clímax de ano novo ocidental, esqueci de deixar o recebo junto com os outros caso eu precisasse no futuro.
Eu já estava me preparando psicologicamente para passar por mentiroso e ainda ter que desembolsar mais dinheiro para pagar o dente (Isso é para você aprender a guardar melhor suas coisas, Edvan!). A minha sorte foi que encontrei o cartão do meu dentista e assim eles poderiam ligar para ele e confirmar a minha história. Voltei à clínica, liguei para minha amiga e pedi para explicar que havia perdido o recibo, porém eu tinha o cartão do meu dentista e ele poderia confirmar toda a minha história. A dentista e seus assistentes muito putos da vida e, ainda sim rindo da minha cara, ligaram para o meu suposto dentista.
Eles disseram que o dentista do cartão era o dono da clínica e que eu deveria esperar mais uns 10 minutos, pois ele estava voltando para o consultório para esclarecer a situação. fiquei conversando ao celular com minha amiga e ela me dizia que as pessoas da clínicas só sabiam tirar sarro da minha cara e falar que eu era mais um querendo dar uma de espertinho para cima deles. Nem precisa contar que toda essa situação além de me deixar constrangido me fez ficar ainda mais P da vida.
10 minutos se passaram e para minha grata surpresa o dono da clinica era uma mulher, que também era dentista. Ela chegou lá muito bala da vida apontando o dedo na minha cara me chamando em inglês de mentiroso. Ela era a única pessoas que falava a língua inglesa e disse que eu estava lá apenas contando história para boi dormir. Ela estava tão “encapetada” comigo que nem me deixou explicar que meu dentista era um homem e não uma mulher. Aí, liguei de novo para minha amiga para explicar que meu dentista havia me dado aquele cartão e, como não sabia ler os ideogramas chineses, eu não fazia ideia de que aquele cartão não era de um homem e sim de uma mulher.
A mulher começou a gritar ao telefone com minha amiga, me puxou pelo braço e começou a fazer o maior barraco na rua em frente a clínica. Não deu outra para se formar uma multidão em torno do circo que havia sido montado. Creio que uns 2 minutos depois o mesmo guarda da drogaria do Carrefour apareceu. A dentista “vaca” fez questão de gritar para o policial para que me levassem para a delegacia. Minha amiga começou a ficar mega nervosa do outro lado da linha dizendo que minha situação estava ruim e que provavelmente seria mesmo preso. Passei o telefone para o guarda e ele disse que eu seria preso por estar provocando a desordem e por tentar aplicar um golpe no estabelecimento. AI MEU PAI! Nem precisa mencionar o quão nervoso eu já estava mediante aquela situação bizarra. Imagina, eu sendo preso por um motivo tão besta como aquele e o pior é que eles iam me levar de bicicleta!
Gente! O Facebook salvou minha vida! Eu lembrei que havia postado a foto do dentista na minha página, pois fiquei indignado com o cara que me atendeu fumando. A foto salvadora da pátria é essa aí de baixo:
blog-dentista-chines
Já quase chegando perto da bike do policial tive a ideia de mostrar a foto. A dona-dentista-vaca da clínica reconheceu o cara e ligou para ele. O meu dentista (de verdade) confirmou toda a minha história e eu não fui preso. E, como não poderia deixar todo essa situação barata, exige que a dona fosse para a cadeia pois quem tava promovendo a desordem era ela e ainda por cima me expondo ao ridículo. O policial viu a foto, passei o telefone para a minha amiga e ela conversou com o guarda. Ele começou a questionar a mulher o porquê do dentista estava fumando dentro da clínica. O homem soltou o meu braço e começou a puxar a dona “vaca” para a bicicleta. Em questão de segundos era ela quem estava indo para a cadeia. Como eu ainda precisava da minha prótese de volta entrei em pânico e pedi para o “seu” policial soltar a mulher. Ela, muito constrangida, disse que aquilo não passava de uma situação boba e no final das contas consegui um mega desconto no meu tratamento em fevereiro. Saí de lá sorrindo (e por cima da carne seca, rs).
blog-vaca
Após a confusão, fiz questão de tirar uma foto da “Dona Vaca”. Nunca se sabe se vou passar por uma dessas novamente, nesta mesma clínica né gente? 
Foi depois dessas duas situações que resolvi tomar vergonha na cara e me dedicar mais ao mandarim.
#beijomeliga
_______________
 Edvan Fleury nasceu em Manaus e é jornalista. Atualmente encontra-se Perdido na Chinatrabalhando com e-commerce em Beijing e fazendo vídeos na horas vagas com amigos para o Youtube. Para saber mais sobre ele acesse a mini-bio clicando aqui. Sigam nossa página no Facebook clicando aqui e curtindo-a e no Instagram clicando aqui. Para seguir o nosso Twitter clique aqui 
11 Comentários leave one →
  1. 18/11/2016 8:43

    Edvan, você é jovem. E está numa cultura muito diferente da sua. Por isso compreendo que se meta em imbroglios. Admiro o fato de você pensar rápido, fazer muitos amigos e ser tão safo. Representando muito bem o BR aí na China!

  2. Priscilla Peixoto Barbosa permalink
    18/11/2016 11:10

    Rapaz! Essas histórias dão um bom livro mesmo!

  3. 18/11/2016 16:00

    Edvan,

    Você, que trabalha num quinto andar sem elevador, já deve ter reparado que a largura (falo da profundidade) dos degraus chineses é diferente do que conhecemos. Enquanto os degraus de nossas escadas costumam medir 28cm/30cm, os deles, que são feitos para pés chineses, são muito menos profundos. Para piorar, as escadas são muitas vezes de concreto. O risco de tropeçar é grande. Tem de tomar um cuidado danado.

    Outra coisa. A língua falada pelos nativos de Shenzhen não é o mandarim, mas o cantonês. Nenhum pequinês entenderá essa língua. E olhe que não é dialeto, não: é língua materna de mais de 50 milhões de chineses. Aliás, é língua oficial em Hong Kong e em Macau. As crianças de Shenzhen só começam a aprender mandarim na escola. Naturalmente, isso não facilita a compreensão.

    Desejo-lhe boa continuação e boa sorte. Você vai precisar.

    Forte abraço,

    José Horta Manzano
    BrasildeLonge.com

    • edvanfleury permalink
      20/11/2016 8:04

      Olá José, sinceramente nunca notei essa diferença nos degraus e olha que eu calço 42. Com relação ao idioma, o mandarim é amplamente falado em toda a China inclusive em Shenzhen. É claro que lá o cantonês também é falado por muito chineses, mas como o mandarim é a lingua oficial ensinada nas escolas a maioria dos chineses vai entender o mandarim e também falar em mandarim.

  4. 20/11/2016 12:08

    Edvan,

    O fato de você não ter botado reparo nos degraus pode bem indicar a razão do tombo.

    Quanto à língua, devo admitir que faz tempo que não visito essa região. Fiz uma dezena de viagens a essa parte do mundo, mas foi um quarto de século atrás. À época, Shenzhen era uma aldeia pequena e insignificante. A língua mandarim era praticamente desconhecida. Todos falavam cantonês e mais nada.

    Ao recuperar Hong Kong e Macau ‒ que tinham sido colônias europeias por séculos ‒, os orgulhosos chineses fizeram questão de inchar artificialmente a vila de Shenzhen. A intenção era mostrar que eles também sabiam criar um centro urbano moderno, industrializado e importante. Implantaram fábricas, construíram aeroporto e estradas.

    Para a empreitada, a população local não era suficiente, o que obrigou o governo central a «importar» gente de outras partes do país. Como você sabe, entre as centenas de idiomas do país, pelo menos dez são falados por mais de dois milhões de pessoas. Logo, para se entenderem e superar a Babel que se criava, o remédio foi utilizar o putonghua ‒ a língua de Pequim ‒ como lingua franca.

    Isso explica a mudança no padrão linguístico à qual eu não assisti. Você está mais atualizado. Assim mesmo, com todo o crescimento explosivo (e caótico) de Shenzhen, o que você conta mostra que o aprendizado de inglês não progrediu. Ninguém é perfeito.

    Forte abraço,

    José Horta Manzano
    BrasildeLonge.com

    • 20/11/2016 17:45

      Nossa, enriqueceu nossa informação no blog sobre a China! Agradecemos pelos seus comentários!

      • 20/11/2016 18:09

        O prazer é todo meu. Um prazer não dissimulado.

        Abração,

        José Horta Manzano
        BrasildeLonge.com

  5. 20/11/2016 13:10

    Muito cômico, se não fosse trágico.

    Minha confusão, quase parecida, foi num dia de folga. O pessoal do trabalho, tanto meu quanto da minha esposa, haviam dito que existia uma loja chamada “Doki-Doki”, escrito em alfabeto romano mesmo, que vendia usados semi novos, dos quais, poderia ser útil para nós, recém chegados do Brasil.
    Então, de bicicleta, tomamos caminho pela avenida que foi indicada e, chegando ao sinal de trânsito que supostamente seria a rua de acesso da tal loja, nossa surpresa era de não haver nenhuma loja além de uma farmácia e muitas plantações de arroz.
    Comentei com minha esposa, vamos naquela farmácia, perguntar da loja. E lá fomos.
    Em japonês, perguntamos sobre a loja e o atendente não entendia. Ocorre que “donkidonki” é usado no sentido de coração e, o homem na farmácia perguntou se queríamos comprar drogas. Estava feito a confusão. Ele quase estava chamando a polícia, quando em mímicas, consegui explicar com minha esposa falando, que se tratava de uma loja de produtos usados.
    Por pouco, não tivemos de esperar pela polícia. Voltamos para casa e, alguns meses depois, já com carro, descobrimos que a tal loja realmente existia naquela avenida, mas quase 30 km depois da nossa casa, na capital da província.

    • edvanfleury permalink
      02/12/2016 9:29

      ahahahah gente essa ásia é só para quem gosta de se aventurar mesmo e eu achando que só eu no mundo tinha passado por uma situação dessas na drogaria ahahaha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: