Skip to content

Como é trabalhar na Índia? Parte 2

23/02/2017

bz_italia Juliana Paula – Índia

Esse post e uma continuação da minha primeira postagem sobre Trabalhar na Índia.

O idioma

Com tantas línguas no país, você deve estar pensando: Afinal, que língua os indianos usam no ambiente de trabalho? Depende. Depende da empresa e de onde ela fique. Vou dar um exemplo. Na primeira empresa que trabalhei, uma empresa de tradução e edição de textos em inglês, a grande maioria dos funcionários tinha um inglês impecável, havia um grande número de estrangeiros em diversos departamentos e, a língua mais usada, era o inglês mesmo. Porém, quando tinham que falar com a faxineira ou com o tiozinho da portaria, eles usavam o hindi ou o marathi (língua daqui do estado de Maharashtra). Já em Delhi, a maioria faz questão de usar o hindi, mas com os estrangeiros, claro, eles vão falar em inglês. Na empresa onde trabalho atualmente, aqui em Mumbai, a maioria fala em inglês, misturado com hindi e um pouco de japonês (já que todos os funcionários sabem japonês). Já no nosso escritório em Chennai, no sul da Índia, eles têm muito orgulho de sua língua local e, só usam o Tamil entre eles. Quando vou lá, eles falam comigo em inglês ou japonês. Mas, na maioria dos escritórios, você, estrangeiro, terá que se comunicar em inglês.

Como se vestir

Mesmo estando em uma empresa grande ou multinacional, você ainda está na Índia, um país extremamente conservador e machista. Os homens, não terão muitos problemas com as vestimentas, creio eu. Já as mulheres, devem tomar cuidado para não usarem decotes ou roupas que mostrem demais os braços, por exemplo. Roupas apertadas também devem ser evitadas.

dressing-up-to-work-in-india

Nada de tentar ser sexy por aqui, pois isso pega muito mal, considerando a ideia que eles já têm da mulher estrangeira. A maioria das moças que trabalham em escritórios de grandes cidades como Delhi, Mumbai e Bangalore usam roupas ocidentais, sendo a maioria, calça e blusa social. O uso de saia é permitido, claro, mas não muito comum. Muitas mulheres indianas, como minha colega de trabalho, preferem usar e abusar dos trajes tradicionais indianos como punjabi suit ou uma kurta com legging. Já algumas indianas que ocupam postos mais altos, muitas vezes gostam de ir trabalhar de sari. Algumas vezes, em Mumbai e Delhi, vemos algumas indianas tentando ser muito modernas e usando vestidos apertados ou saias curtas para trabalhar, mas dá para perceber o quanto elas estão desconfortáveis com a roupa e, claro, com os olhares de todos ao redor. Então, a regra é: desde que seja decente, qualquer roupa tá valendo.

A competição

Há competição em todo lugar do mundo, mas eu vejo que a competição aqui na Índia é extremamente ferrenha. Não só competem com os colegas para ver quem é melhor, quem sabe mais, quem ganha uma promoção primeiro, como também competem para saber quem é o predileto do chefe e outros atos que considero extremamente infantis. Sabem aquela estória de os fins justificam os meios? Muitas vezes você verá isso por aqui. Gente querendo subir na vida de qualquer jeito, mesmo que isso signifique passar por cima de todos os seus valores morais. Isso é algo que cansa e pode causar um grande desânimo no funcionário estrangeiro. Portanto, fique de olho e cuidado com as panelinhas!

blog-abcOs indianos no dia-a-dia

Quando se trabalha na Índia, entende-se  porquê de o yoga ter nascido aqui. Você realmente vai precisar meditar muito para não ficar louco ou bater em alguém, porque os funcionários indianos vão te tirar do sério!

1) Os atrasildos

blog-atraso

Para começar, muitos chegam atrasados (mais de 15 minutos) e acham isso super normal. O manager do nosso escritório começou a fazer isso e tornou-se um hábito. Mas, como estamos em uma empresa japonesa, a banda toca de outra forma e, após três dias atrasado, ele começou a ter seu salário cortado. Resultado? Tá chegando na hora todo dia desde que este mês começou! Se quiser fazer um indiano sentir, toque no bolso dele. Caso contrário, não terá efeito.

2) Os argumentadores

Todo mundo aqui sempre tem um argumento e uma desculpa. Isso era algo inadmissível no Japão e, os japoneses odiavam desculpas, ainda mais esfarrapadas. Mas aqui, é algo tão corriqueiro, que eu acho que nem eles mesmos percebem. Se um projeto ou trabalho tem um certo prazo e este prazo não é cumprido, ninguém vai se sentir mal por isso. Talvez nem peçam desculpas. Mas, eles darão uma desculpa, certamente, e, consequentemente, o prazo terá que ser esticado.

3) Todo mundo tem uma opinião

Enquanto no Japão expressar sua opinião em público e abertamente não é considerado algo muito bom, aqui na Índia, o ruim é não expressar. Pode ser em relação a qualquer coisa, como o sabor do chai da esquina ou a queda da bolsa. Mas, todo mundo sempre tem uma opinião, um pitaco para dar. Se há uma reunião, eles certamente vão dar um jeito de dar sua opinião, mesmo que tenham que interromper o locutor para tal. Mas, como sou brasileira e cresci aprendendo que tinha que me expressar, também não faço feio perto dos indianos!

4) “A culpa nunca é minha!”

Este é o fator mais irritante de todos. Quando algo dá errado ou quando eles fazem alguma coisa errada e, jamais assumem a culpa. Vão culpar o cliente, o tempo, os deuses, mas jamais a culpa cairá sobre si. Geralmente, vão tentar jogar a culpa em alguém próximo. Mas, assumir a culpa, definitivamente, não é algo que um indiano faça com facilidade.

Tratamento aos estrangeiros

Tudo vai depender de qual país o estrangeiro é. No meu caso, como eles não sabem muito bem onde fica o Brasil e muitos acham que somos parte dos EUA, eles acham que sou americana. Mas, como tenho cara de indiana e ainda sou casada com um deles, eu vejo que eles me tratam praticamente como qualquer outra colega indiana. Outro dia uma amiga portuguesa que contou que na empresa onde ela trabalha, uma indiana virou na cara dura e disse assim: “Para nós, indianos, os estrangeiros estão aqui para serem explorados. Nós usamos eles e extraímos deles o que queremos, mas não necessariamente gostamos deles.“. Mas, não se assuste. Nem todos são assim.

Não tem como prever e tudo mais depender da mentalidade dos indianos que estarão ao seu redor. No geral, os indianos são muito simpáticos, adoram puxar papo, fazer diversas perguntas, saber mais sobre nossos países, sobre o que pensamos sobre a Índia, etc. Mas, claro que há indianos muito queridos, que são sinceros e realmente estão querendo fazer uma amizade. Tenho duas colegas muito queridas e, uma delas, mesmo já tendo saído da empresa há mais de 2 anos, continua mantendo o contato e sempre escrevendo e-mails.

Religião e trabalho

Como vocês sabem, a Índia abriga diversos grupos religiosos, como hindus, muçulmanos, sikhs, cristãos e outros. A religião estará sempre presente de alguma forma no dia a dia. E, é muito interessante para quem vem de fora. No meu escritório, eu sou a única cristã, mas como não sou abitolada, eu participo com eles de todos as comemorações hindus. Já em feriados como Páscoa e Natal, eu tenho a preferência para tirar folga, já que sou a única cristã. No escritório, temos um pequeno altar onde há várias estátuas pequenas de deuses como Ganesha, Laxmi, Krishna e outros e, nosso manager, toda manhã, acende um incenso e coloca lá para eles. O motorista da nossa empresa, é hindu e brahmin. Portanto, vegetariano. Não gosta que ninguém coma nada que tenha carne ou ovo no carro e, a cada templo que passamos, ele se benze e faz uma pequena oração. Quando estamos com bastante tempo entre uma reunião e outra, ele pergunta se pode parar para fazer uma oração no templo. Eu sempre concordo. Afinal, quem sou eu para impedir que as pessoas falem com seu deus? Já o outro motorista que trabalhava conosco, era muçulmano e sempre que passávamos pelos bairros muçulmanos ou por alguma mesquita, ele gostava de me contar as estórias dali e falar de sua religião. Ele gostava de me levar para as reuniões, porque além de dizer que servíamos o mesmo deus, eu deixava ele parar às sextas-feiras para fazer suas orações e assistir a pregação da mesquita. Então, se você é uma pessoa avessa à religião, melhor já ir preparando seu coração, pois ela estará acima de tudo aqui na Índia. É ela quem rege a vida da maioria deles, seja o vendedor de chai ou o dono da empresa.

Enfim… Apesar de ter alguns momentos de stress e agonia (rs), trabalhar na Índia é, sem dúvida, um grande desafio! Mas eu vejo de uma forma positiva, pois estar todo dia à mercê de algo inusitado nos faz ser mais pacientes e entender que mesmo no caos, há uma certa ordem. Trabalhar na Índia vai te dar a confiança de que depois daqui, você pode trabalhar e se adaptar em qualquer canto do mundo! Além disso, a melhor parte, é a chance de poder conhecer tão de perto os hábitos e as tão variadas culturas dos colegas indianos, dividir uma refeição com eles, celebrar os festivais com eles e, claro, levá-los no coração para o resto da vida!

Então, aceite o desafio e venha trabalhar na Incredible India!

_____________

Juliana Paula já morou e trabalhou no Japão. Está na Índia desde 2013 e desde então, tem desbravado aquele belo e encantador país. Para saber mais sobre ela e o blog Tabibito Soul  clique aqui. Sigam a nossa página no Facebook acessando: http://www.facebook.com/blogbrasilcomze dêm uma curtida! Temos também uma conta no Instagram e no Twitter. Divirtam-se! 

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: