Pular para o conteúdo

Dirigindo em Florença, na Itália? Veja essa armadilha!

03/03/2017

bz_italiaJuliano Emílio – Florença, Itália

Meu caros leitores do “Brasil com Z”, tem coisas que acontecem com a gente que merecem ser publicadas, mesmo sendo experiências não tão legais assim. Hoje, o que eu trago para vocês é, o que chamaria de “um importante serviço de utilidade pública aos que pretendem viajar pela Itália de carro”.

blog-flo

Ano passado, eu fiz uma viagem de uma semana pela região da Toscana. O passeio foi sensacional, com lindas paisagens, passeios por vilarejos medievais, além de uma gastronomia que me fez dizer “Mamma mia!” várias vezes. Quatro meses depois, quando já estava planejando a minha próxima aventura, recebi pelo correio uma carta vinda de Florença: uma multa de trânsito. No valor de 109 euros, apresentava a “cômoda” possibilidade de ser paga pelo cartão de crédito através da internet, em um site para lá de suspeito – na minha opinião, tinha um visual de que havia sido programado por um adolescente. Depois de uma rápida busca na internet, percebi que não era o único que havia caído nesta “armadilha florentina”.

Segundo o site “Bella-Toscana“, o que existe é uma “indústria de multas” em Florença, funcionando há pelo menos uns cinco anos. O site afirma que a média é de 1253 multas geradas por dia, ou seja, 457345 por ano! O resultado? Um saldo de  52 milhões de euros arrecadados anualmente para os cofres da prefeitura. A cidade, com 377207 moradores segundo o Wikipedia, tem mais de uma multa por habitante ao ano, me levando a pensar… quem é que anda pagando esta conta? Nós, pobres turistas desavisados!

Procurando por mais informações em sites de viagem, como o Tripadvisor, encontrei vários fóruns de discussão, em diferentes línguas, contando como os turistas do mundo todo receberam a mesma infame cartinha, até um ano depois de sua passagem pela cidade. Nestes fóruns, irlandeses, alemães, americanos e até brasileiros ficam perguntando uns aos outros se vale a pena não pagar a multa ou tentar recorrer (a proposta é de escrever uma carta às autoridades florentinas, em italiano é claro, com uma justificativa razoável – não vale dizer que não sabia das regras). As cartas chegam sempre na língua do país para onde foi enviada e em italiano; em um tom ameaçador, informam que se não for paga em 60 dias, o valor será dobrado.

A armadilha é muito bem elaborada: no centro antigo da cidade existem várias ruelas onde a circulação de veículos é proibida (chamada de “zona a traffico limitato” ou ZTL), mas sem barreira física alguma. Nos postes próximos existem placas bem pequenas avisando da proibição (olhe a foto e veja que não é exagero meu); acopladas a elas estão as (muitas) câmeras, fotografando mais que “paparazzis”, os carros dos turistas desinformados.

Para piorar, muitos hotéis que ficam no centro de Florença disponibilizam vagas de estacionamento para hóspedes que só podem ser alcançadas passando pelas tais ruas de trânsito proibido. Neste caso, o hóspede tem que passar a placa do carro ao hotel antes, que avisará a polícia, que autorizará a passagem. Olha a trabalheira… Como se não bastasse toda essa malandragem, existem agências de locação de veículos famosas, localizadas exatamente nestas ruas interditadas. O que acontece? Os turistas recebem, pelo menos, uma multa na retirada e outra na entrega do carro. Neste caso, ele não precisa nem se estressar com a multa, porque a “prestativa” agencia de locação já passa o número do cartão de crédito do coitado diretamente para a polícia, que desconta o valor automaticamente. Que eficiência, não? Na internet encontrei casos de gente com oito, dez multas deste tipo; um americano desavisado possui uma dívida somada de dez mil euros só em multas no centro de Florença. Imagino como ele deve estar animado para retornar ao país da pizza…

Em uma reportagem do jornal alemão “Süddeutsche Zeitung”, de 2011, a recomendação de advogados é que a multa não seja paga . O repórter informa que nada de grave acontece e a chance de ser checado durante uma “blitz” na Itália ou na entrada através de aeroportos é mínima. Além disso, em cinco anos a multa legalmente expira. Já o setor jurídico da ADAC (Clube do Automóvel da Alemanha) recomenda que a fim de “não se estressar futuramente”, a multa deve ser paga .

Depois de tentar abrir o site oficial várias vezes sem sucesso, finalmente consegui acessar uma foto que comprovava a minha falha. Na dúvida, paguei, e entrei para a milionária estatística de usurpação dos turistas daquela metrópole.

Há relatos de abusos similares em outras cidades italianas, como Pisa, Siena e Roma, onde parece haver também essa fascinação por mandar essas “lembrancinhas” aos turistas, meses depois de suas visitas; em janeiro de 2017 uma amiga recebeu uma multa de Verona, por andar na faixa exclusiva de ônibus. No calor do momento ela até sugeriu que fizéssemos uma campanha para ninguém mais viajar de carro pela Itália! O que eu recomendo é: antes de viagens de carro, procurar na internet o máximo de informações possíveis sobre o tráfego nas cidades em que for dirigir, porque a legislação muda muito de um país para outro.

A armadilha montada em Florença foi tão bem arquitetada fisicamente, legalmente e juridicamente que, apesar da astronômica arrecadação, só contribui em desprestigiar e desonrar a memória e o símbolo que Florença foi e é para o resto do mundo. Contra esta ardilosa artimanha, nós visitantes contamos com uma única, porém potente arma: disseminar a informação. Este é um texto que eu peço empenhadamente que seja compartilhado, para que outros como nós não caiam nesta arapuca.

Fica a dica!

_____________

Juliano Emilio nasceu no Paraná e é medico. Mora atualmente em Munique, na Alemanha, com a família. Para saber mais sobre ele clique aqui. Para atualizações diárias nossas, sobre a vida fora do Brasil, acompanhem-nos no Facebook e Twitter. Veja lindas fotos do Juliano Emílio e dos outros autores no nosso Instagram. Blog Brasil com Z, um site feito por brasileiros expatriados, vivendo nos quatro cantos do mundo! Quer concorrer a participar como autor? Envie-nos sua mini biografia e motivação para: blogbrasilcomz@gmail.com Contactaremos os melhores candidatos. 

29 Comentários leave one →
  1. 03/03/2017 9:45

    Em meus passeios pela Europa, a Itália nunca foi uma parada planejada, haja visto que passei ou de trem ou de avião, não desembarcando e portanto, sem sequer correr riscos maiores.
    É profundamente decepcionante receber tal lembrança de sua viagem. Eu mesmo, por certo iria xingar muito e, provavelmente, entraria no roll dos inadimplentes, pois nano aceitaria tamanha injustiça, por mais que a lei estivesse ao lado deles, se bem que neste caso, me parece quase idêntico ao que a conhece no Brasil: os bandidos legislam em causa própria.
    No entanto, refletindo com calma e muita paciência, esse alerta vale de aviso aos que se acham pilotos do mundo. Digo isso porque aqui no Japão por exemplo, definitivamente, não aconselho que turista nenhum se aventure a dirigir e, em meus artigos, já comentei isso algumas vezes, haja visto que o transporte público por aqui, além de eficiente, pode ser bem vantajoso economicamente ao turista estrangeiro. Por outro lado, caso ainda insista em dirigir por terras nipônicas (consulte o consulado do seu país de habilitação, para saber se a carta internacional de motorista vale por aqui), o risco não é apenas das multas, mas de ser impedido de retornar ao seu país de residência por ficar, literalmente preso enquanto se investiga as causas, condições e responsabilidades do acidente de trânsito. E não imagine que pela fama de segurança e (pseudo) cordialidade nipônica, as cadeias por aqui sejam dignas de férias.
    Por fim, caso fosse inevitável ter de voltar a Itália, o remédio (muito amargo) é mesmo pagar pela multa institucionalizada.

    • Juliano Emilio permalink
      03/03/2017 11:39

      Eu acredito muito em bom senso. Respeitar as regras do país que se está visitando faz parte do pacote de imersão na cultura, e isso inclui as regras de transito! O problema aqui é que, ao contrário dos centros históricos de outros países onde o transito é realmente bloqueado, em Florença só faltam estender um tapete vermelho para os desavisados entrarem nas áreas proibidas! Do Japão tenho uma ótima lembrança do transito: um taxista muito educado, usando as tradicionais luvas brancas, cobrou só metade da corrida porque demorou um pouco para achar meu hotel, um Ryokan escondidinho em uma viela de Kyoto…

      • Rodolfo Luis Barcelos Cintra permalink
        28/05/2019 14:51

        Olá Juliano, excelente explicação, até o momento a melhor que vi na internet. Acabo de receber uma multa de Pisa de quase 1 ano, estive em agosto do ano passado e agora chegou a “maledeta”, isso porque a locadora uns 3 meses após a viagem cobrou sem avisar nem nada uma taxa só pela informação que passam para as autoridades locais. A multa é no valor de 116 euros, e vem com a pressão que tem 5 dias pra pagar ou o valor aumenta. Vi que muitas pessoas, até um amigo meu que vai muito a Italia, e até morou em Florença, é de não pagar, como vc falou, em 5 anos expira e não causa nada. Lógico que sempre ficamos com uma certa preocupação. Estou tentando reunir algumas informações a mais, mas estou muito decidido a não pagar. É claramente uma industria da multa, e tomei todos os cuidados para não comete-las, ledo engano meu, acho que ninguém escapa dessa máfia. Gostaria de saber se você tem mais algum conhecimento de quem não pagou, sobre ocorridos, a questão de caducar em 5 anos. agradeço desde já. _ Rodolfo

  2. 03/03/2017 10:37

    Eu não pagaria, em hipótese nenhuma. Ficaria anos sem visitar a Itália, na boa. Eu acho essa multa de uma vileza… Eu fico aqui pensando: nas minhas férias vou com minha família geralmente para a França ou Espanha, de carro. Fins de semana vapt-vupt na Alemanha ou Bélgica… Dirigimos para todo lado, pela comodidade. Em cidades grandes e pequenas. Imagina se por cada lugar que passássemos recebêssemos multas controversas, devido à má sinalização/comunicação visual. Ah, não. Procedimento muito vil da prefeitura de Florença, eu não financiaria isso. Há que ser denunciado constantemente em sites e blogs de viagens, programas de TV, guias, etc..

    • Juliano Emilio permalink
      03/03/2017 11:42

      Já dirigi (e bastante!) pela Alemanha, Franca e Espanha e nunca havia acontecido algo parecido… E fora a quantidade de gente reclamando pela internet, o que prova que outros turistas do mundo todo também tem passado por isso.

      • 03/03/2017 18:53

        Nunca, nunca recebi multas fora da Holanda. Mas deve ser porque só estive uma vez na Itália (e não incluí Florença no meu roteiro).

    • 03/03/2017 11:42

      Você tem razo, por isso meu primeiro pensamento de não pagar.

  3. Adriana Leite permalink
    03/03/2017 14:17

    Essa matéria não procede. Vergonhoso é não respeitar as leis de trânsito de um país com base na preservação do seu patrimônio histórico e cultural, de valor incalculável. Claro com o “jeitinho brasileiro” já praticado nesse texto, com recomendações do não pagar uma multa devida, vai ser difícil com essa cultura compreender um país que respeita a sua história. É muito simples, ou se estuda as leis e trânsito local, ou não se aluga carro aqui na Itália. Não existe indústria alguma, procurem informações em bons blogs locais, primeiro que quem está em hotel que precisa passar como veículo autorizado tem essa possibilidade, só se informar com o hotel como proceder, a mesma coisa sobre locadora que se pode pegar e entregar o carro fora das zonas proibidas para trânsito. Fico até preocupada com quem quer visitar o país e vem ler um artigo assim.

    • 03/03/2017 17:58

      Olá, Adriana Leite. Todas as informações e links que o Juliano forneceu procedem. Eu conferi, na responsabilidade de editora do blog Brasil com Z, cada informação. Você provavelmente não conseguiu entender muito bem, por exemplo, esse link em inglês: http://www.bella-toscana.com/traffic_violations_italy.htm#.WLmdmvk1-M9 As prefeituras, especialmente na Itália, devido aos baixos salários dos cidadãos, não obtém o suficiente em taxas e compensam isso com multas ardilosas para obter rendimentos. O autor desse post não manipulou nenhuma informação, tudo pode ser comprovado por quem não tem cabeça quente nem nacionalismo exacerbado. E me parece que você tomou um pouco as dores dos florentinos. Nós aqui do blog Brasil com Z, o Juliano, eu e todos os autores, temos uma reputação pela qual zelar. Não fazemos calúnias, nem denúncias em vão. Entretanto, se você tiver um link, uma informação que prove o que falamos estar errado, ou que lance luz nova nesse assunto, eu gostaria de por favor obtê-la para publicação.
      As multas de Florença são discutíveis. Como comparação: Onde moro, na Holanda, há muito tempo a polícia não tem interesse em resolver crimes leves. O maior interesse da polícia por aqui parece ser obter renda através de multas a motoristas e ciclistas (farolzinho apagado de bike=60EUR, 10 segundos passados do limite do estacionamento= 80EUR, etc.). Mas, diferente de Florença, as multas aplicadas no trânsito da Holanda geralmente procedem e nunca são ardilosas ou dúbias (mas há plaquinhas com textos de proibições bem pequenos, não dá para ler se estriver dirigindo).
      Para encerrar, agradeço pelo seu comentário Adriana Leite, volte sempre! Não fique preocupada com brasileiros visitando a Itália, estamos de olho em multas ardilosas e deixando todos bem informados para que não entrem de gaiato nem se metam em imbroglios no país da pizza.

      • Marco permalink
        07/07/2017 17:15

        Mas tenha dó Ana!
        Vir falar em falta de sinalização? Veja a foto que vcs mesmos publicaram! Tem o sinal vermelho e a placa escrita em várias línguas! É isso é lei europea, não somos nós que inventamos não. Em Portugal, França, Espanha e vários outros países a sinalização é igual! Vai a passear de carro em Sevilha por exemplo. Em Portugal eles multam até carro com deficiente físico com o contrassegno europeu se estiver na ZTL sem ter avisado a polícia local. A conservação do patrimônio histórico e arquitetônico aqui na Itália, onde por sinal está reunido mais que 50% de todo o patrimônio artístico da Europa, é coisa séria. Não conheço a Alemanha mas acho que boa parte desse patrimônio foi destruída pelos bombardeios da segunda guerra e então è mais difícil encontrar uma ZTL mas aqui praticamente todas as grandes cidades ou cidades turísticas tem, e quem quiser visita-las é obrigado a seguir as regras.

      • AnaFonseca permalink*
        07/07/2017 21:36

        “Placa escrita em várias línguas?” Está só em italiano em inglês, e é bem pequena. Na Holanda, há a retificação de proibições. Se a entrada a algum lugar é proibida, há um fradinho no meio da rua. Se uma ponte ou caminho embaixo de um viaduto é proibida para carros e exclusiva para ônibus (com placa sinalizando isso – placa com símbolo, nada em frases em holandês inglês ou outras línguas), há valas não visíveis onde o carro afunda e só pode ser tirado com guindaste. Se você em Florença até para sair de uma locadora de carros em rua proibida (e depois ter que entrar de novo para entregar o carro) é multado duplamente e você acha que isso é correto, então parabéns. Para mim, isso é um episódio do Monty Python. Para mim, surrealismo só em pinturas, filmes e literatura.

    • Juliano Emilio permalink
      03/03/2017 19:53

      Oi Adriana! Obrigado pelo comentário! Eu acabei pagando a tal multa, apesar da orientação expressa, por exemplo, de uma reportagem do Süddeutsche Zeitung, já em 2011, para que os turistas alemães não pagassem quaisquer multas italianas ( http://www.sueddeutsche.de/auto/strafzettel-im-urlaub-inkasso-alla-fiorentina-1.1129362). Além disso, existem inúmeros fóruns de turistas do mundo todo reclamando da mesma situação, que não é exclusiva dos turistas brasileiros… O intuito é informar os fatos!

  4. Eduardo Carneiro permalink
    23/03/2018 17:16

    Amigo, eu tambem caí nessa….achei um absurdo e nao paguei..é realmente uma industria de multas pior que a do Brasil…
    Só fico com pena porque isto pega muito mal pro país…tem fdp em toda parte…
    Gostaria muito de voltar mas agora ficou dificil…já nao sei mais…

  5. SILVIOIRA permalink
    19/07/2018 12:41

    Amigos cheguei a um mês (06/2018) da Itália viagem de 15 dia de carro para minha grande surpresa RECEBI 10 multas ZTL o que mais fiquei triste que também cai no golpe. Mas tem um golpe novo feito pelas locadoras de CARRO (locauto Rent SPA ) uma clausula no contrato que não foi explicado na hora da locação que ele cobram 48,80 euros SÓ PARA INFORMAR QUE FUI MULTADO, taxa administrativa um absurdo o golpe é que vão informando por multa separado diariamente. DESCONTADO DIRETAMENTE NO CARTÃO DE CREDITO. Gostaria de orientações como proceder

  6. Eduardo C Sarlo permalink
    19/07/2018 15:20

    Juliano, a mesma coisa aconteceu comigo em Firenze e é realmente revoltante…mais revoltante ainda por que não avisam no hotel, nem na própria locadora…é triste..e ainda tentam te empurrar “pacotes” pra tomar uma grana..uma mera plaquinha da ZTL escondida num canto e acham que é suficiente…é de lascar.. recebi várias dessas multas – achei injustas.
    Já vi em sites americanos relatos de pessoas revoltadas que não pretendem retornar mais a Itália por causa disso, e dizem que é porque o governo italiano paga muito mal a seus funcionários, e pretende com isso levantar uma verba.
    Pior é que me dá uma dor no coração porque pretendia voltar a Firenze e agora não pretendo mais retornar por causa disso..

  7. Edilson permalink
    24/01/2019 2:21

    Boa noite pessoal, infelizmente acho que faço parte das estatísticas. Estive na Italia por 18 dias (dos quais 13 em florença) no ano passado e usei um carro alugado.
    Três meses depois tive a surpresa de ver debitados 450 euros no meu cartão, pela locadora de veículos. Liguei na administradora e informei que não reconhecia a despesa e estornaram. Após mais 3 meses, foi novamente debitado. Liguei na mediadora no Brasil (Rent Cars) e disseram que iam entrar em contato com a locadora na Itália e me dariam uma resposta em 21 dias úteis. Recebi o email agora. Fui multado 10 vezes. A taxa de 450 euros é relativa a locadora. 45 por multa para informar a multa. Vagamente consultei as multas, porque sinceramente estou sem ação. São várias no mesmo dia e mesmo lugar, no horário em que eu estava na escola fazendo um curso. O carro estava estacionado próximo a escola. Por tudo que li agora a noite imagino que estacionei em um local permitido somente a moradores, pois era a uns 2Km do centro. O detalhe é que já fazem mais de seis meses do ocorrido e nunca recebi nada. Nem comunicado da locadora, nem multa. Só fiquei sabendo porque fui atrás. Para mim se tratava de um erro o débito, por isso nem liguei na Itália. O pior é que mais cedo, estava comprando passagens para voltar lá, agora em abril. Já não sei o que fazer. Não sei sequer o valor das multas ainda.Sinceramente estou me sentindo roubado. Não sei se vou pagar as multas, não sei se vou voltar a Itália. Lamentável!

    • AnaFonseca permalink*
      24/01/2019 11:40

      Oi, sou administradora do blog e tomo a liberdade de comentar sobre esse assunto. Acho isso tudo muito desagradável e lamentável. Há regrinhas de trânsito pouco claras e capciosas que levam a erro (e pagamento financeiro) dos estrangeiros. Na Holanda também há placas questionáveis, em holandês (claro) e que passam desapercebidas aos mais incautos. Por exemplo: não bloquear entrada de uma rua com fradinho mas colocar uma plaquinha com letras bem pequenininhas dizendo: “Entrada proibida a carros de 04/05 a 04/07 de 08am a 10am. Exceção: taxis e bicicletas. Os que descumprirem a regra estarão sujeitos a multa” Isso você saindo de uma rotatória cheia e seu satélie dizendo para entrar naquela rua. Aí na “boca” da rua aquele textinho microscópico. Você faz o que? Evapora? Vai frear para ler plaquinha? Claro que não. Isso é para tirar grana dos incautos. Há também plaquinhas em certas ruas residencias dizendo que só pode estacionar ali quem tem “residence permit”. Por isso meu marido sempre ficava paranóico ao estacionar em lugar desconhecido. Ele ficava procurando pra cima e pra baixo em ruas se tinha plaquinha em algum lugar escondido.
      Eu não pagaria essa sua multa. É muita armadilha ir dirigir num lugar novo sem saber a língua local ou as regras “fluidas” de estacionamento. Até as pessoas dos locais caem. Já vi famosos na TV reclamando em talk shows e programas de defesa do consumidor sobre essas “leis” absurdas e temporárias de trânsito. Especialmente em datas festivas há proibições temporárias na Holanda com textos muitos dúbios. Aqui nesse país muitas vezes não há uma interpretação clara do que é rua e o que é calçada, o que é privado ou público. Na minha casa não tenho muro de tijolo cercando o jardim (tenho cerca viva) e o piso ao redor da minha casa (privado) se “funde” com o piso da calçada e da rua. Há, às vezes, discussões por aqui até se uma árvore no seu jardim é sua ou da prefeitura. Enfim, as prefeituras querem sempre multar e sempre colocar placas de pouca visibilidade falando sobre proibições.

    • Eduardo Sarlo permalink
      24/01/2019 12:40

      Olá Edilson,

      Estou na mesma situação sua, caí na mesma ARAPUCA, com multas exorbitantes por passar pela chamada zona de trafego limitado …( eles colocam umas plaquinhas escondidas…é pra pegar turista mesmo, é industria de multas..é pra você não voltar mesmo…)….quem diria, pior ainda que no Brasil…e alem do mais ninguém avisa nada, seja no hotel seja nas locadoras…
      Estacionar na cidade é muito difícil, tirando os estacionamentos pagos a 3 euros a hora, e que ficam distantes de você, tem muito poucas opções onde parar…eles protegem os moradores com vagas reservadas e lascam quem vir de fora…
      Dizem que com essas multas todas é uma forma deles pagarem seus funcionários públicos, que ganham muito mal na Itália…
      Tambem não volto mais lá…infelizmente…como temos visto pelos jornais, parece que eles não gostam mesmo de turistas por lá…na Itália inteira.
      Abraço e boa sorte..

  8. Edilson permalink
    24/01/2019 12:51

    Hoje um pouco mais calmo, embora quase não tenha dormido, li todas as cartas anexadas ao email. Todas tem data retroativa como se tivessem sido enviadas, mas eu nunca as recebi. Foram enviadas ontem, por email a mediadora brasileira (vc reserva no brasil, através de uma mediadora e retira o carro na Itália na locadora). Levei 8 multas em 5 dias no mesmo lugar, por ter estacionado em um local em que só poderia morador. Falo italiano, porque estudei um ano e meio me preparando para este curso (afinal sempre tive o sonho de conhecer a Italia e aprendi o idioma para isso). Não havia placas visíveis informando. Na ultima, pelo horário, me lembro claramente, eu estava dentro do carro, esperando um tempinho enquanto preparavam a escola para fazerem a foto do encerramento do curso As outras 2 foram em Parma, estas sim, me lembro vagamente de estar perdido e talvez ter entrado em uma rua do centro. Foram 2 em 7 minutos. De onde aluguei um apartamento até a escola eram 15 minutos de carro e neste percurso, levo 8 multas em 5 dias.Rodei 3.000 Km na itália, porque após o curso, em 5 dias fomos passear e de florença subi até veneza voltando pela estrada costeira ficando cada dia em uma cidade, até a Costa de Amalfi, devolvendo o carro em roma. Em nenhuma dessas cidades fui multado. Dirijo há mais de 30 anos, sou um motorista experiente e cuidadoso. Infelizmente estou decepcionado. Ainda não desisti totalmente de voltar lá, porque estávamos com tudo planejado para ir novamente em abril, e embora os planos eram ficar em florença, com certeza não ficaremos lá. Depois deste ocorrido, desaconselho totalmente a quem quer usar um carro, ir a florença. As multas também ainda não sei se vou pagar, afinal nem as recebi ainda

  9. ricardo permalink
    27/01/2019 16:31

    Vou para Florença e alugar carro para fazer a Toscana, estou quase indo a pé rssss..fazendo este roteiro após ler vossos comentários. Quais as dicas para não tomar multas..estou horrorizado com os comentários de vcs…estou perdido..

    • Edilson permalink
      31/01/2019 18:16

      Olha amigo, o que posso dizer é que as pequenas comunidades na toscana, são absolutamente lindas. A grande diferença em estar de carro é que vc pode ir a lugares que a quase totalidade dos turistas, não conhece. Visitei castelos medievais, cittadelli, e até uma cantina que depois do jantar, todos da cozinha foram se despedir de nós pois era uma grande novidade para eles ter turistas brasileiros ali. Creio que o que deve tomar muito cuidado é com os centros históricos, que quase todas as cidades tem. Mantenha o carro distante deles. Achei que a proibição de transito em Florença seria proximo a Duomo mas fui multado a uns 4km de distancia de lá. Também descobri um site que tem o mapa das ZTLs de lá. Pode ser útil. O resto das regras de trânsito são praticamente as mesmas daqui, mas deve respeitá-las a risca! No geral, a sinalização é boa, diferente do centro de Florença que tem placas pequenas e empilhadas que são difíceis de perceber quando se está dirigindo. Uma dica legal, é dirigir na toscana, programando o GPS para evitar pedágio. Com isso ele vai te levar a caminhos muito mais longos evitando a rodovia, mas vai te levar a montanhas e pequenas comunidades muito legais. Caso contrario ele sempre te leva a uma rodovia entre uma cidade e outra e nelas não há muito o que ver. Descobri por acaso porque o meu estava programado assim. Boa viagem!

      • AnaFonseca permalink*
        01/02/2019 11:55

        Excelente comentário, agradecemos!!!!

  10. Eduardo Sarlo permalink
    29/01/2019 19:17

    Não deixe de ir, amigo, vale a pena.
    O por do sol na Toscana , especialmente em S. Gimigniano, é imperdível.
    Agora você já sabe das armadilhas, é só tomar todo o cuidado possível.
    Boa sorte.

  11. Eduardo Steffens de Castro permalink
    04/02/2019 19:31

    Andei 5.000 Km por oito países europeu e só fui multado na Itália. Na verdade foram oito multas em Vicenza e em Bolonha. Três delas com poucos minutos de diferença entre uma e outra. Os valores quase foram debitados no meu cartão de crédito antes mesmo da chegada das multas, mas como havia bloqueado para uso no exterior consegui evitar a cobrança. Além das “multas” roubaram minhas malas em Florença e o tratamento que recebi da policia local foi vergonhoso. A Itália é belíssima mas fatos como esses desestimulam uma nova visita.

  12. Diego Garcia permalink
    11/03/2019 15:37

    Olá pessoal,

    Sou a mais nova vitima do golpe. Ganhei duas multas, uma em Florença e outra em Siena e adivinhem, não passei nem perto das ruas em que me multaram. Arrisco a dizer que só pelo fato de locar o carro e a locadora obviamente tendo um localizador para ver seu trajeto, já é o suficiente para inventarem uma multa qualquer naquela região te multarem. Isso é lucrativo para a locadora e para o comune. Cada vez que a locadora envia teus dados para a polícia ela te cobra automáticamente em seu cartão de crédito EU30.50. No meu caso só comigo foram 61 euros. Fora o valor de cada multa EU 123,90. Pedi a foto do meu carro as autoridades mas nem me responderam! Não sei se adianta mas toquei a boca no trombone. Mandei e-mail para a união européia. Muita gente ficará sabendo!

    Itália nunca mais!

  13. Fernando permalink
    05/07/2019 23:51

    Excelente a atitude de vocês, parabéns !

  14. Leonardo S Bonagura permalink
    02/08/2019 21:05

    Fui multado tbm em 2016. Achei entranho, sem foto, apenas falando que tinha entrado numa zona restrita. O valor original da multa era de 50 euros e agora estão em cobrando 300 euros numa carta ameaçando sanções judiciais. Não paguei por esquecimento. Parece juro brasileiro isso. Alguém sabe o que podem fazer judicialmente? Realmente chegam nesse ponto?

    • Eduardo C Sarlo permalink
      05/08/2019 13:18

      Leonardo, eu também estou na mesma situação, porem não recebi ainda este comunicado.Eu no seu lugar procuraria um advogado antes de qq coisa…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: