Skip to content

O Transporte Coletivo na Cidade Eterna

28/03/2017

bz_italiaDiogo Rimoli – Roma, Itália

Os meios de transporte coletivo em Roma são um aspecto muito importante para quem pretende conhecer ou viver na cidade eterna.

Logo que cheguei aqui tinha a intenção de comprar um carro usado em função do bom preço e pelo fato de estar acostumado a viver sempre de carro em Porto Alegre para conseguir literalmente dar conta de todas as minhas tarefas.

Ao me estabelecer em Roma e tomar conhecimento de como funciona o transporte coletivo por aqui mudei de ideia.

Primeiro passo que sugiro aos interessados nesse assunto: acessar o site da ATAC (www.atac.roma.it), que é a empresa que controla o transporte público em Roma. Aliás, o site é muito bom, muito rico e detalhado em informações, além de ter tudo na versão em inglês também.

diogo-rimoli-trasnporte-01                                                                     Home do site da ATAC

Inicialmente, temos que explicar que em Roma existem três meios de transportes coletivos dentro da cidade: o ônibus (l’autobus), o metrô (la metro) e o bonde (il tram). Enfatizo que nem todas as áreas da cidade são atendidas pelos três meios. Quanto mais central for a área da cidade mais atendida será pelos três meios de transporte público. Podemos fazer a divisão da cidade de Roma basicamente em três partes: Centro Histórico, Centro e Periferia.

diogo-rimoli-trasnporte-02           Periferia (linha preta), Centro (linha azul) e Centro Histórico (linha vermelha)

Os ônibus são de boas condições e quase sempre estão em bom estado de asseio. A frota do metrô é composta em sua maioria por veículos bem modernos, ainda que existam outros que são um pouco mais antigos. O estado de limpeza dos veículos das linhas de metrô por vezes deixa a desejar, mas nada que nos cause transtorno, mas nada também comparado ao que eu vi no transporte coletivo de Barcelona, Genebra, Lucerna e Paris, por exemplo. Já o bonde é sempre bem limpo e possui veículos novos e bem eficientes e outros bem mais antigos e que às vezes dão a impressão de que vão estragar.

Em termos de horário, sem sombra de dúvidas, o metrô é o mais eficiente, seguido pelo bonde e por último o ônibus. Até hoje, nunca esperei o metrô mais do que cinco minutos, enquanto já esperei o bonde por dez ou doze minutos, e até vinte minutos por um ônibus.

Os preços são bem acessíveis se fizermos uma comparação com o Brasil, principalmente na questão dos “abbonamenti”, que são os descontos para quem quer comprar bilhetes que sejam válidos por mais dias ou até mesmo meses. E o mais interessante é o que o bilhete é o mesmo para todos os transportes coletivos de Roma. Ou seja, se você compra um bilhete ele é válido para o ônibus, o bonde e para o metrô e até mesmo para um dos trens que vai até a praia de “Lido di Ostia”, a quarenta minutos do centro de Roma.

Os preços desses bilhetes são os seguintes:

€ 1,50 – bilhete válido por 100 minutos sem limite de viagens (a partir da primeira validação);

€ 7,00 – bilhete válido por 24 horas, sem limite de viagens (a partir da primeira validação);

€ 12,50 – bilhete válido por 48 horas, sem limite de viagens (a partir da primeira validação);

€ 18,00 – bilhete válido por 72 horas, sem limite de viagens (a partir da primeira validação);

€ 24,00 – bilhete válido por 07 dias, sem limite de viagens (a partir da primeira validação);

€ 35,00 – bilhete válido por 30 dias, sem limite de viagens (a partir da primeira validação);

€ 250,00 – bilhete válido por 365 dias, sem limite de viagens (a partir da primeira validação);

Para o “abbonamento” anual a ATAC fornece uma carteira com chip, código de barra e foto para maior comodidade do usuário. Essa carteira magnética é feita em diversos pontos de estabelecimentos comerciais da cidade, não tem custo e fica pronta na hora, basta fazer o pagamento no próprio local, levar uma foto 3 x 4 e o passaporte. Inclusive turistas estrangeiros podem fazê-la sem nenhuma dificuldade. O melhor lugar para confeccioná-la (rápido e eficiente) é na ATAC, localizada no subsolo da Estação de “Termini”, principal estação de trem, metrô e ônibus de Roma.

diogo-rimoli-trasnporte-03              Carteira de “Abbonamento” Anual dos Meios de Transporte Coletivo de Roma

Além da questão dos “abbonamenti”, através do site da ATAC (www.atac.roma.it) é possível encontrar outras promoções que fazem combinação entre turismo e vida cotidiana.

Outro registro que me parece oportuno fazer é o fato de que no bonde e no ônibus não há cobrador para verificar se você tem ou não o bilhete. Esses dois meios de transporte são dotados de maquinetas nas quais você deve validar o seu bilhete ou carteira magnética. Talvez apenas 40% ou 50% dos usuários façam a devida validação, o que não significa que o restante deste percentual não tenha o bilhete, apenas não faz a sua validação. Mas é evidente que existem usuários – italianos e estrangeiros – que não possuem bilhete e fazem uso desses meios de transporte.

Há controladores que giram a cidade e eventualmente fazem abordagem dos usuários solicitando a exibição do bilhete. Eles fazem esse trabalho sempre em três e assim evitam que algum usuário tente descer por uma das três portas de acesso do ônibus e do bonde. Caso você seja abordado e não esteja com o bilhete, você leva uma multa – que até hoje não consegui saber o valor –, tem um determinado período para pagá-la e se não fizer o pagamento dentro desse prazo estipulado esse valor sofre automaticamente um aumento. Caso seja pego outra vez cometendo a mesma contravenção, o valor da multa é dobrado e em caso de outras reincidências da mesma ordem os valores são sempre aumentados e você pode sofrer ainda sanções mais severas.

Como a cidade é muito grande, dificilmente se vê esses controladores com frequência, situação que acarreta menos receita para os cofres públicos e facilita a vida dos malandros.

Última dica: em Roma, baixe no seu celular o aplicativo “Moovit”, ele é excelente, confiável e fornece todas as informações para quem pretende utilizar os meios de transporte público. Ele informa qual o melhor transporte para utilizar do ponto de sua partida até o ponto de seu destino, as distâncias de um lugar ao outro, o tempo de deslocamento, em quanto tempo chegará o próximo veículo e exibe ainda o trajeto enquanto você está em deslocamento, entre outras funções muito úteis.

Eu gosto dos meios de transporte coletivo de Roma. Entendo que funcionam, ainda que existam – óbvio – coisas que devem ser corrigidas e melhoradas. Não gosto de ficar no meio do caminho, no muro, e por isso deixo bem claro que tenho o maior prazer de usá-los diariamente e de que talvez eu nunca compre um carro enquanto viver em Roma.

diogo-rimoli-trasnporte-04                  Acima, um Bonde (Tram) de Roma. Abaixo, eu e Adriane usufruindo dele.

________________

 Diogo Rimoli é gaúcho de Porto Alegre,  professor de português e literatura.  Radialista e empresário do ramo esportivo, está desde abril de 2016 em Roma. Para saber mais sobre ele clique aqui. Sigam o Blog Brasil com Z no Instagram, Facebook e Twitter para atualizações diárias. Quer participar como autor do Brasil com Z? Faça como o o Diogo fez: envie-nos por e-mail sua biografia e um texto de apresentação. Entraremos em contato com os melhores candidatos.

9 Comentários leave one →
  1. 28/03/2017 8:00

    Oi Diogo,

    Informações totalmente úteis e práticas!

    Na Holanda já não existe mais a compra de bilhetes, nem cobradores. Pagar em espécie ao motorista custa duas vezes mais que no cartão de transporte público, portanto inviável. Aqui em casa, além do meu cartão de transporte público (que só pode ser usado por mim) temos um “anônimo” para quando temos turistas visitantes. Ou quando preciso ir à Amsterdã com meu marido ou uma das crianças (de segunda à sábado não dá para pagar estacionamento na cidade, sem vagas e a 5 EUR por hora).
    Sim, para um casal vivendo numa cidade grande é possível viver só com o transporte público, sem carro. Mas com crianças não dá, já que visitamos amigos pela Holanda e fazemos muitas coisas no fim de semana pelo país. E nas férias precisamos de um carro também.
    Abraços.

    • diogorimoli permalink
      28/03/2017 12:19

      A diferença dos meios de transportes coletivos entre Brasil e Europa é uma das situações que mais impactam – na minha ótica positivamente – o cotidiano de quem muda do Brasil pra cá. Evidente que existem necessidades diferentes dependendo da vida de cada um e com filhos a questão do carro realmente é fundamental.

      Valeu, Ana. Obrigado pelas considerações. Abraços!!!

  2. Darci Filho permalink
    29/03/2017 13:31

    Muito bom. Texto claro. Abraço.

  3. Olceí permalink
    04/04/2017 11:00

    Olá Diogo, te escutei no Programa do Mendelski e gostei muito de tuas informações. Visitei teu Blog e igualmente interessante o relato de tua vida aí em Roma. Abraço.

    • diogorimoli permalink
      05/04/2017 21:28

      Olcei, obrigado pelas palavras, pela audiência e pelo carinho.

  4. Tânia permalink
    05/04/2017 21:17

    Adorei as suas dicas, o meu marido e eu pretendemos passear em setembro na Itália e Roma é a cidade que iremos ficar mais tempo.Beijão!

    • diogorimoli permalink
      05/04/2017 21:29

      Que bom que foi útil.
      Fico feliz.
      Roma é realmente ótima.

      Sucesso!!!

Trackbacks

  1. A mudança de percepções e hábitos de quem mora no exterior | Brasil com Z

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: