Skip to content

O que levar de suvenir da Holanda?

30/03/2017

 Ana Fonseca – Holanda

Se você é do tipo que sempre gosta de levar para casa suvenires dos locais que visita, é sempre bom se preparar antecipadamente – principalmente se seu tempo for curto e você quer visitar muitas atrações. Pense no que seria importante e dentro do seus orçamento, para amadurecer suas decisões de compra. No meu caso, é o contrário: eu tenho com muito carinho pela minha casa na Holanda objetos brasileiros, de pouco valor financeiro mas de grande valor afetivo e que considero muito especiais – justamente por não existirem similares na Europa. Passadeiras de mesa em bilro do nordeste, ou feitas de fibra de coco, redes do Ceará na pérgola do quintal, panela preta de moqueca, farinheira que uso como queijeira, talheres de cabo de madeira para churrascos, álbuns de arte sobre o Rio ou arquitetura contemporânea brasileira, pote de biscoito e caneca com o logo da “Maizena” da Tok & Stok, etc..

Aqui eu vou falar um pouco de suvenires holandeses além do óbvio de tamanquinhos, pratinhos azuis, saleiro em forma de moinho e ímãs de geladeira (nada contra).

Acima, o óbvio e ululante. Em toda parte da Holanda tem. Se você gosta, se jogue como se não houvesse amanhã! Foto arquivo pessoal da autora.

Recomendo:

Queijos e seus acessórios como tábuas de madeira, cortadores de queijo com cabo de porcelana pintada em azul Delft. Nunca as cidades holandesas tiveram tanta oferta de queijos embalados para consumo individual como agora. Há várias lojas com diversos tipos de queijos, é de enlouquecer. E eu considero os fatiadores de queijo charmosinhos.

Acima: queijos holandeses “Oud Amsterdam” já embalados para presente, numa loja da Damrak.  É salgado e maduro, muito bom! Abaixo, vitrine de uma loja na Rokin. Queijos com tomate, cerveja, cominho, alho, alfavaca, e até sépia. Diferentões. Fotos: arquivo pessoal Ana Fonseca.

BLOG KAAS

Tulipas de madeira. Elas estão por toda a parte. Já saindo da Estação Central e pegando a Damrak você vê algumas lojas com essas tulipas. Outros lugares são a Rokin, a Kalverstraat e a Leisdestraat. Mas tem muitas tulipas de madeira em outros endereços também. Eu sei, eu sei, ficam no limite do gracioso e brega. Tem que saber usar. Nesse caso, eu fico no 8 ou 80. Leve uma só para pôr na prateleira da sua sala, bem discretinha. Ou enlouqueça, chute o pau da barraca e leve um montão. Tem minis, médias, grandes, gigantes. Minha mãe tem no Brasil um consultório todo vazio e de paredes e portas branquinhas (sem quadros ou cortinas). Bem sem graça. Ela comprou uns vasos de zinco e pôs várias tulipas coloridas de madeira num canto. O povo adorou. Ela comprou mais vasos, mais tulipas. Mas nunca usou qualquer outro objeto além de tulipas coloridas como acessório. Ou seja: ou você é minimalista e compra uma tulipinha fraquinha ou é maximalista, se joga nas tulipas, e compra um montão #naminhahumildeopinião  para imitar um campo de flores alucinante, tais quais os campos elétricos e esfuziantes da Holanda. Tulipas nunca, nunca, nunca-never-nooit-jamais são excessivas. (As 4 fotos de tulipas abaixo são do meu arquivo pessoal. Para mais fotos de tulipas de madeira, veja o perfil do BZ no Instagram @blogbrasilcomz)

Em lojas de museus: gravuras de reproduções de obras famosas (principalmente a fase orientalista do Van Gogh) são bem bacanas para emoldurar e pôr num escritório ou cantinho de estudo. A loja entrega sua gravura numa embalagem triangular, com cordinha para levar nas costas. Há também marcadores de livros (custam bem barato e são uma besteirinha simpática quando você tem que comprar algo para muitas pessoas), canecas, etc.. A lojinha do Rijksmuseum tem acesso grátis a todos – você não precisa comprar um bilhete de entrada para visitar a loja magnífica. Pense em pesos de papel de classe, pratos de porcelana Delft, vasos de todos os tamanhos para flores, álbuns de arte… Já a lojinha do Van Gogh só é acessível para quem visita o museu – MAS você pode visitar a lojinha que fica na praça dos museus e que tem um pouco de cada um dos museus (Rijks e Van Gogh). Outro museu com uma loja cheia de loucurinhas e de objetos de design muito especiais é a do Stedelijk Museum, também na praça dos museus. Esse é um museu relativamente pouco visitado, o que é uma pena pois tem a melhor loja de design da área.

Iris em St. Rèmy. Reprodução do Van Gogh, fica lindo acima de uma escrivaninha ou no escritório. 

Outro museu com uma loja cheia de loucurinhas e de objetos de design muito especiais é a do Stedelijk Museum, também na praça dos museus. Esse é um museu relativamente pouco visitado, o que é uma pena pois tem a melhor loja de design da área.

BLOG STEDELIJK

Acima, a loja do Museu Stedelijk, em Amsterdã. Foto: Eva Kroon (retirada do site do Stedelijk)

Saindo um pouco do óbvio de queijos, lojas de museus, e lojas de suvenires, que tal visitar lojas com artigos para a casa, que os próprios holandeses adquirem para usar no dia a dia? Falo de panos de cozinha, acessórios para bike (buzina, chocalhos/miçangas para as varetas das rodas, etc.), kits de jardinagem (pazinha + arado), bolsinhas de maquiagem, pratos de melamina para crianças, luvas para forno, potes de biscoito, artigos para festas.

Panos de prato (esquerda) e joguinho de copo & prato em melamina para dar de comer às crianças. Fotos: hema.nl

Isso tudo você encontra na HEMA que tem umas própria equipe de designers e produtos coloridos. A HEMA é queridíssima pelos holandeses,  e está crescendo mais e mais na França também. Outra alternativa, pode ser a Blokker, com muitos artigos para cozinha. Na Blokker, por exemplo, há agora uma linha de canecas da Douwe Egberts com pinturas famosas que agradam aos turistas e os próprios holandeses compram muito (todos os acessórios para café da Douwe Egberts são maravilhosos #naminhahumildeopinião).

Furadas:

Eu não vou aqui listar o que acho de mau gosto. Isso é muito relativo e cada um sabe das suas preferências. Mas veja o que eu desaconselho, por serem produtos que não cumprem o que prometem:

Bulbos de flores, saquinhos com sementes: pense que as flores podem nem sequer abrirem, o clima e solo de outros países nem sempre é favorável às florações;

Muffins e chás com maconha: o índice de THC é baixíssimo, praticamente nulo, e esses chás e muffins são caros. Tremendo ‘engana-trouxa’.

Bom, pessoal… Por enquanto, é isso o que tenho a dizer sobre suvenires holandeses. Sugestões, críticas? Coloquem aí abaixo nos comentários!

_______________

Ana Fonseca mora na Holanda e administra o blog Brasil com Z. Sigam-nos na nossa página do Facebook para atualizações e dicas diárias sobre estudar e viajar para o exterior. Mais fotos dos nossos blogueiros pelo mundo? Sigam-nos no Instagram. O nosso Twitter está crescendo, sigam-nos lá também. Você é expatriado, gosta muito de escrever e quer participar mensalmente do blog Brasil com Z? Envie-nos então uma mini biografia e um texto de apresentação para blogbrasilcomz@gmail.com Eu entrarei em contato com os melhores candidatos para saber mais detalhes e explicar sobre a possível participação no blog.  

3 Comentários leave one →
  1. Mauro César permalink
    31/03/2017 23:24

    Boa noite Ana Fonseca! Tudo bem?! Espero que sim, meu nome é Mauro César, sou de Curitiba/PR e sempre leio suas publicações neste blog. Tenho uma pergunta a lhe fazer: atualmente, como está o mercado de trabalho na Holanda (de acordo com a sua análise) para os estrangeiros? Quais são os segmentos ou ramos no mercado de trabalho, que geralmente estão contratando mais?

    • 01/04/2017 9:45

      Oi Mauro,

      Olha, eu vou ser sincera (sou sempre): eu não sou especialista nessa área de mercado de trabalho, não acompanho. Realmente não sei. O que posso te assegurar é que na Holanda para tudo você tem que ter curso (feito na Holanda). Os diplomas e formação do Brasil são vistos com desconfiança. Para você ter uma ideia, muita formação que no Brasil é universitária, aqui só alcança a classificação de “high studies” (HBO). O que posso te assegurar nesse momento, é o que o país com mais oportunidades de trabalho e pleno emprego é a Alemanha. E é uma língua que você pode aprender aí no BR mesmo, mais acessível que o holandês. Aliás, essa semana que passou, saíram várias notas na imprensa brasileira e mundial sobre o assunto. O interessante é que vejo mendigos em todas as cidades alemãs, algo de índice muito pequeno na Holanda. Dê uma olhada nessa nota: http://www.istoedinheiro.com.br/desemprego-na-alemanha-atinge-menor-nivel-de-serie-historica/#.WN6CE1WTx1A.twitter Boa sorte com suas decisões!

      • Mauro César permalink
        01/04/2017 16:11

        Obrigado Ana Fonseca !!!! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: