Manuela Marques Tchoe Munique, Alemanha

Como se fosse um urso polar, depois de longos seis meses de inverno Munique acorda de um longo sono, renovando-se a cada dia de sol. Aos poucos a primavera recria as cores da natureza, e na estação mais quente do ano finalmente a cidade desperta da letargia numa atividade constante de festas de verão – ou Sommerfest – até chegar ao ápice que culmina na Oktoberfest em setembro, para depois acalmar o facho novamente.

Olympiapark, Munique

É especial passar o verão na capital bávara, mesmo que aqui não seja o destino de praia que muitos de nós querem para passar a estação. Mas Munique é uma maravilhosa combinação de festivais urbanos e natureza exuberante, e pode-se dizer que aqui tem um pouco de tudo para agradar os gostos mais excêntricos.

Confira uma curta coletânea do que porquê Munique é tão especial nessa época do ano:

Para se movimentar

Na verdade, não existe uma só estação em que os alemães se deixam levar pela preguiça, mas é claro que no verão é o ápice de praticar esportes, se movimentar o máximo possível. Andar de bicicleta é um clássico, o veículo de duas rodas fazendo competição com os carros. Em Munique, uma das melhores vias para andar de bicicleta é o Isarweg, ou o Caminho do (rio) Isar, uma estradinha que acompanha o rio através da cidade. Além do verde da floresta que nos acompanha, quem anda por ali não é perturbado com sinais de trânsito. O melhor é, quando o calor bate com força, dá uma paradinha para um descanso merecido no rio que, aliás, é uma delícia para tomar banho (mas é também um gelo!).

Rio Isar, Munique

Entretanto, uma das coisas que acho bacana por aqui é a possibilidade de conhecer a cidade de bicicleta – existem alguns tours que oferecem justamente isso!

Fora a bicicleta, como Munique tem não só o Isar mas também muitos lagos ao redor, tem que goste de praticar windsurf ou outras modalidades na água. Para quem curte surf, vale a pena brincar de pegar onda na Onda de Eisbach, em Prinzregentenstrasse.

Surfing-in-Munich-new_foto-by_surfeuropemag

Surfar em Munique? Claro que existe! (foto: Surf Europe Magazine)

Para os amantes de cinema

Como o verão é curtíssimo, quando um raio de sol sai detrás das nuvens praticamente a cidade toda procura ficar ao ar livre. Essa cultura de festejar o tempo bom se alastrou também para o cinema, e na cidade existe uma grande variedade de cinemas ao ar livre que geralmente funcionam entre maio até setembro. O cinema só começa quando o sol dá lugar às estrelas, e portanto as sessões únicas começam em torno das 21 horas, no pico do verão chegando às 22 horas.

viehhofkino_muenchen.de_foto-by_viehhofkino

Cinema ao ar livre de Viehhof (foto: Viehhof Kino)

O negócio é chegar cedo para pegar um drink e achar um lugar maneiro para esticar as pernas. Aviso com antecedência que todos os filmes são dublados para o alemão; esse negócio de legenda não é muito utilizado por aqui.

Para refrescar

Munique pode não ter praia, mas existem mil e uma opções de banho durante o verão na cidade e arredores. Curtir água doce é o lema nessa cidade de múltiplas piscinas públicas, lagos e um rio acanhado que é ideal para se refrescar.

Em certas áreas do rio Isar é possível nadar nas águas cristalinas, mas é preciso prestar atenção que em no rio também tem correnteza e certas áreas são perigosas; algumas pessoas já faleceram infelizmente por falta de prudência. Portanto, fique atento aos sinais dos locais proibidos para banho. No geral, duas áreas muito populares para tomar banho – e também fazer um churrasquinho – é perto da Muffathalle, na região central da cidade, assim como Thalkirchen, na área sul. Particularmente em Thalkirchen existe um lugar que eu acho um delícia, cheio de piscinas naturais e cachoeirinhas, perfeito para crianças: é na área que se chama Flaucher, onde também existe um Biergarten perto para quando a fome apertar.

Em termos de piscinas, existem várias excelentes, entretanto a minha preferida continua sendo a Maria Einsidel Bad, por suas águas serem justamente as do rio Isar; ou seja, super natural. Os lagos ao redor de Munique também são um highlight! Os meus preferidos são Feringasee, Starnberger See e Tegernsee.

Para relaxar

Nada melhor para relaxar em Munique do que o Kulturstrand, uma praia de mentira na praça de Vater-Rhein-Brunnen onde uma fonte serve de área de brincadeiras para crianças, a areia no pé te dá a sensação de férias em algum lugar distante. Muitos vão lá para conversar com os amigos, tomar um drink, ler um livro se estiver só.

Kulturstrand_foto-by_munich-greeter

Kulturstrand (foto: Munich Greeter)

Mas o Biergarten continua sendo o rei da estação! Existem inúmeros em Munique, mais ou menos com o mesmo programa: uma mesa simples, uma cerveja, um Breze enorme com obazda (pão tipo ¨pretzel¨ com um queijo local), um parquinho para crianças, às vezes até música ao vivo, e se for estação de esportes como a UEFA ou Copa do Mundo… tenha certeza que muitos terão telões e torcedores animadíssimos. Além dos Biergartens mais famosos como o Chinesischer Turm (Torre Chinesa), um dos que recomendo é o Hirschgarten, por ter um pequeno zoológico com veados que as crianças adoram.

Para um pouco de cultura

O que não falta em Munique é cultura, cultura, e mais cultura! No verão não poderia ser diferente: se os museus não atraem muita gente devido ao tempo bom, a cidade inventa programas culturais que sejam ao ar livre, da Ópera para Todos (Oper für alle) até peças de Shakespeare.

Opern-fuer-alle_foto_by_bayerische-staatsoper

Ópera para Todos, em frente à Ópera Municipal de Munique (foto: Bayerische Staatsoper)

Mas não que os museus fiquem vazios, afinal dias chuvosos no verão não faltam, além de que aos domingos a entrada de muitos custa apenas EUR 1. Por isso, os museus continuam sendo um bom programa alternativo caso o tempo não esteja bom, e aqui museu é o que não falta.

Para se surpreender

Foi há tempo que descobri que num parque perto da minha casa – o Westpark – existem templos budistas e um jardim japonês. Fomos no ano passado numa festa budista nesse mesmo parque – realizado todos os anos em maio, o Vesakh-Fest, e lá descobrimos essas belezas escondidas num canto do parque. Vale a pena dar um passeio pelo parque e descobrir essas belezas. No maior parque de Munique, o Englischer Garten, tem também uma casa de chá japonesa, onde todo julho acontece a Festa do Japão. Para quem curte cultura asiática, vale a pena conferir!

templo-budista-westpark_fotoby_polybert49

Também existe Ásia em Munique: templo no Westpark (foto: Polybert49)

Para quem curte programas alternativos

E é claro que existem festivais alternativos por essas bandas! O mais famoso deles é o Tollwood de verão (existe também a versão de inverno), que acontece no Parque Olímpico. O Tollwood apresenta um mundo alternativo de roupas, comidas veganas ou vegetarianas, comidas e bebidas multi-culti, música, teatro, artesanato, e muito mais. Vale a pena experimentar delícias bérberes ou indianas, limonadas orgânicas e sorvetes sem aromas ou açúcar (acredite, é gostoso!).

tollwood-sommerfestival_foto-by_kaufda

Burburinho alternativo: Tollwood de verão (foto: Kaufda)

Festivais medievais também são uma boa pedida para quem quer ver algo fora do comum. Geralmente tais festas ocorrem em castelos nos arredores de Munique; em toda a Baviera existem inúmeras opções de festas medievais ou da Renascença onde se mostra duelos de cavaleiros, artesanato e pessoas vestidas à caráter.

Para se embrenhar pela natureza

Não só de lagos vive Munique no verão! Ao redor da cidade existem muitas opções de se embrenhar pela natureza. Caminhadas nos vastos pastos verdes e nas montanhas é um bom programa para desintoxicar da atividade urbana num domingo, por exemplo. Vale a pena também combinar tal passeio com a visita a alguma vila antiga ou castelo; o que não falta são opções!

Um pouco de tudo

Munique é muito mais que Oktoberfest; na verdade, vale a pena conhecer essa linda cidade em qualquer época do ano. Por mais que dê para conhecer o essencial da cidade em dois dias, recomendo esticar a viagem para ir além do óbvio  – e isso é o que não falta na capital bávara! Bis Bald!

________________

Manuela Marques Tchoe tem 37 anos, é mãe, diretora de marketing em Munique e escritora nas horas vagas. Para saber mais sobre ela e o blog pessoal o Baiana da Baviera  clique aqui. Para atualizações diárias, sigam-nos no Facebook, Instagram e Twitter. Quer participar do “blog Brasil com Z”? Envie-nos um e-mail para blogbrasilcomz@gmail.com informando-nos da sua motivação e dois textos:  uma minibio, e um texto de apresentação. Entraremos em contato com os melhores candidatos para trocar mais informações e, quem sabe, convidar para participar do blog.